Últimas Notícias

Compartilhe

Por Acontece

Uma equipe da Guarda Municipal de Botucatu, composta pelos GCMs Cintia e Batista, efetuou a prisão em flagrante de um homem, que em um primeiro momento era suspeito de tentar matar o padrasto no distrito de Rubião Júnior, no fim da tarde desta quinta-feira, 30.
Segundo o boletim de ocorrência, a equipe da GCM acompanhava o SAMU no PS da Unesp em um outro atendimento, quando foram informados de que um homem estava sendo esfaqueado na rua Pedro Figueira, nas proximidades da Unesp.
Juntamente com a ambulância do SAMU, os GCMs foram até o local e presenciaram Leonardo Henrique de Almeida Pinto, de 19 anos, sobre o padrasto, desferindo golpes de canivete contra ele. Diante da situação, o agressor foi contido e levado ao Plantão Permanente da Polícia Civil. Já o senhor Oleandro de Almeida, de 45 anos, foi levado pelo SAMU ao Pronto Socorro da Unesp em estado grave, mas horas depois chegou a informação de que o mesmo não resistiu aos ferimentos e morreu.
No plantão, Leonardo se mostrou agressivo e precisou ser algemado nos punhos e nas pernas. Disse que estaria atentando contra o padrasto por ele ter feito mal a mãe dele. Porém, testemunhas que estavam no local do crime disseram aos guardas que o rapaz estava bastante alterado, aparentando ter ingerido bebida alcoólica e já teria tentado agredir o próprio irmão.
Desta forma, o delegado plantonista enquadrou Leonardo no crime de tentativa de homicídio, pois até aquela momento o padrasto não havia falecido. A Guarda Municipal se dirigiu até o Plantão Policial para informar a morte da vítima. O ‘enteado’ foi preso em flagrante, encaminhando à cadeia de Itatinga. Também participaram da ocorrência o Inspetor Courel e os Guardas Municipais Batista, Lourenço e Giselle.
Realizado na cidade de Jaú (47 quilômetros de Bauru) durante o mês de abril (aniversário de Saul Galvão), um dos objetivos do Festival é a valorização dos bares, restaurantes e chefes locais, oferecendo um evento que incentive e promova a inovação e destaque os estabelecimentos participantes, que apresentarão este ano sua versão e interpretação da gastronomia francesa. Evento começa neste sábado e vai até o dia 23 de abril. 
 
Sobre a temática escolhida, o Festival Gastronômico Saul Galvão pretende desmistificar que a boa gastronomia é inacessível e cara demais. “Quando falamos de gastronomia francesa, é comum pensar em bistrôs, vinhos e queijos caros, porém, além de ser o berço de diversas gastronomias e métodos, a França é rica em comida de rua e em pratos simples e deliciosos. Mas mais do que isso, Saul tinha uma paixão por Paris e foi lá que se aprofundou no assunto, o país colaborou muito para sua trajetória e carreira”, ressalta Marcelo Arradi, publicitário da comissão organizadora.  
 
O Festival Saul Galvão vem para unir os amantes da culinária, pessoas que gostam de experiências novas e conhecer novos locais para degustar a boa comida. Durante o Festival, serão também realizados workshops e minicursos na área da gastronomia voltados para o público em geral. “Jaú e região poderão saborear da criatividade dos chefs locais especialmente para o festival, e aproveitar também a agenda cultural e de cursos durante o período” – afirma Celina Sanzovo, também da comissão organizadora.   
 
Não é só no nome que a França se fez presente na vida deste ilustre Jauense. Saul Galvão de França Junior adorava ir à França (nos anos 90, comprou inclusive um apartamento em Paris) e, aproveitando as viagens, fez estágios em restaurantes ilustres, como o Troisgros. Esse contato foi fundamental para Saul se tornar um dos maiores críticos gastronômicos do país. 
 
Saul foi um expert na arte de informar sobre comidas e bebidas, como jornalista, dedicou-se por mais de 30 anos à crítica gastronômica, tendo lançado diversos livros sobre o tema, além de ter escrito para o Estadão no caderno Paladar.  Como dizia Saul, "O negócio é passar bem". A primeira atividade será na segunda-feira com workshop marketing gastronômico no Senac das 19h às 22h. No dia 6 de abril, tem palestra fatores chaves de sucesso para bares e restaurantes no auditório do Senac Jaú, às 19h, com consultor Vitor Moura do Sebrae-SP. No dia 6 de abril é a vez do workshop de cervejas especiais na Tribo do Gole (R. Pereira de Toledo, 237), das 19h às 21h Neste workshop vai anordar sabores e variedades sobre os diferentes tipos de cervejas e sua produção. Serão 5 diferentes rótulos para degustação guiada com sommelier profissional.

Vagas Limitadas. Inscrições e informações: Tribo do Gole – Tel. (14) 3416-9215. Já dias 10 e 11 de abril, minicurso de culinária francesa no Sesi, das 18h30 às 20h30. No dia 11 de abril, workshop de vinhos na Galeria Hotel (av. Deputado Zien Nassif, 900), das 19h às 21h.  Tema preferido de Saul, o vinho e seus variados tipos são o assunto desse workshop voltado para quem trabalha e se interessa pela área. Ministrado pelo Professor Carlos Wagner, do SENAC de Águas de São Pedro. Vagas Limitadas. Inscrições e Informações: Senac Jaú – Tel. (14) 2104-6400.

No dia 17 de abril, palestra marketing digital para restaurantes no Sindicalçados de Jaú (Pç. Gildo Renda,15), 19h30 às 21h. Público: Empresários ou pessoas que pretendem empreender no ramo da gastronomia.

Inscrições e Informações: Tel. (14) 3601-1232. No dia 18 de abril tem oficina ganhe mercado no Senac Jaú (rua São Sebastião, 145), às 19h, com consultor Sebrae/SP Inscrições e Informações: Tel. (14 ) 3104-1710. 
Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

MPF denunciou nesta sexta-feira (31), os lobistas Jorge Luz e Bruno Luz

Estadão Conteúdo

Acidente foi em uma área de mata no bairro Novo Horizonte. Houve vazamento de combustível provocando risco de incêndio.


Por G 1

Avião de pequeno porte caí no bairro Novo Horizonte em Sorocaba (Foto: Júlio Leite de Oliveira/Arquivo pessoal)
Avião de pequeno porte caí no bairro Novo Horizonte em Sorocaba (Foto: Júlio Leite de Oliveira/Arquivo pessoal)

Um avião caiu na zona norte de Sorocaba (SP) na tarde desta sexta-feira (31). De acordo com a polícia, um casal morreu com a queda. O acidente aconteceu em uma área de mata no Jardim Novo Horizonte.

Ainda conforme a polícia, houve vazamento de combustível provocando risco de incêndio. A aeronave, um bimotor turbohélice de 1981, prefixo PP-EPB, caiu próximo de casas, mas nenhuma foi atingida. O voo partiu de Manaus e iria pousar no aeroporto de Sorocaba, possivelmente para passar por manutenção, informou a polícia.

Segundo a Força Aérea Brasileira (FAB), o aeroporto de Sorocaba fazia parte do plano de voo. Entretanto, o aeroporto de Campinas (SP) também estava como alternativa, caso houvesse algum problema no percurso.

Vídeo gravado por um morador mostra algumas pessoas invadindo o avião que caiu. Nas imagens é possível ver moradores entrando e saindo da aeronave, inclusive, com sacolas na mão.

Moradores entraram na aeronave após queda em Sorocaba nesta sexta-feira (31) (Foto: Arquivo pessoal)
Moradores entraram na aeronave após queda em Sorocaba nesta sexta-feira (31) (Foto: Arquivo pessoal)

Equipes do Corpo de Bombeiros, polícias Militar e Civil, e Defesa Civil foram ao local para atender a ocorrência. O helicóptero Águia, da PM, também foi acionado.

A FAB também informou que equipes do Serviços Regionais de Investigação e Prevenção de Acidentes (Seripa) foram acionadas ao local do acidente para começar as investigações.

Em nota, a Prefeitura de Sorocaba informou que "segundo informações obtidas com profissionais da aviação que estavam no local, a aeronave estaria vindo de Manaus para fazer manutenção em Sorocaba. Os dois tripulantes (um homem e uma mulher) vieram a óbito. A aeronave de pequeno porte tinha capacidade para dez pessoas."

Ainda conforme a prefeitura, as equipes da Defesa Civil e Guarda Civil Municipal prestaram apoio ao atendimento da ocorrência.

"O avião caiu distante dois metros de residências e não fez outras vítimas, por ser área aberta. Não teve princípio de incêndio e uma das hipóteses pode ter sido falta de combustível. A área está isolada pela Polícia Militar aguardando a presença da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil)", completou a prefeitura.

De acordo com uma mulher que mora próximo do local da queda, ela ouviu o avião com barulhos que pareciam falhas e em seguida a queda.

“O piloto conseguiu desviar das casas e caiu em uma área de mata. O avião ficou totalmente destruído”, diz a moradora que não quis se identificar.

O frentista Wesley Pires da Silva conta que mora a 500 metros do local do acidente e também afirma que viu o avião desviando das casas até cair na área verde.

"Ouvimos um barulho forte e o avião vindo caindo já. Foi um susto e fomos ver de perto, mas o casal já estava morto."

Wesley conta que viu piloto desviando de casas antes de cair em Sorocaba (Foto: Mayara Corrêa/G1)
Wesley conta que viu piloto desviando de casas antes de cair em Sorocaba (Foto: Mayara Corrêa/G1)

O jovem de 22 anos conta que algumas pessoas usaram extintores de carros para apagar o fogo e que um homem chegou a abrir a porta do avião para ver se tinha mais alguém, mas o piloto já estava morto.

Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o avião está com a documentação em dia.

Avião caiu na zona norte de Sorocaba nesta sexta-feira (Foto: Arquivo Pessoal)  Avião caiu na zona norte de Sorocaba nesta sexta-feira (Foto: Fátima Souza/Arquivo Pessoal)
Área onde avião caiu em Sorocaba foi isolada (Foto: Mayara Corrêa/G1) Avião caiu na zona norte de Sorocaba nesta sexta-feira (31) (Foto: Mayara Corrêa/G1)

Em delação premiada, ex-presidente da Transpetro Sérgio machado disse que o presidente Michel Temer pediu R$ 1,5 milhão para camapnha do PMDB em São Paulo


Lula Marques / AGPT

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse nesta sexta-feira ao Supremo Tribunal Federal (STF) que não pode investigar as citações ao presidente Michel Temer no depoimento de delação premiada do ex-diretor da Transpetro Sérgio Machado, na Operação Lava- Jato.

Segundo o procurador, Temer não pode ser investigado por fatos que supostamente teriam ocorrido antes de assumir o cargo.
Em um dos trechos dos depoimentos de delação, Machado citou um suposto encontro com Temer, em 2012, na Base Aérea de Brasília, onde o presidente teria dito que precisava de recursos para a campanha do candidato Gabriel Chalita (PMDB) à prefeitura de São Paulo.

Na época, Temer era vice-presidente. Após o pedido, o ex-diretor teria conseguido R$ 1,5 milhão junto a dois empreiteiros da Queiroz Galvão e fez o repasse ao diretório do PMDB.

Segundo o delator, a quantia fazia parte de "comissão paga" por um contrato da empreiteira com a Transpetro, empresa subsidiária da Petrobras.

Na manifestação feita ao ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo, a PGR argumenta que a Constituição garante ao presidente da República imunidade em relação a investigação de fatos que ocorreram antes de assumir o cargo.

"Significa que há impossibilidade de investigação do presidente da Republica, na vigência de seu mandato, sobre atos estranhos ao exercício de suas funções", disse Janot.

Detento de 26 anos estava preso no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Itatinga e foi levado para audiência, mas foi deixado em cela com porta destrancada.


Por G 1

A polícia procura por um detento, de 26 anos, que fugiu do Fórum de Botucatu (SP) durante uma audiência na quarta-feira (29). De acordo com boletim de ocorrência, Juliano Aparecido da Silva estava preso no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Itatinga e foi levado para a audiência no Fórum.

Ele foi colocado, com as mãos algemadas, em uma cela fora da sala de audiência. Entretanto, a cela estava com a porta somente fechada e não trancada. Ainda segundo boletim de ocorrência, o detento conseguiu tirar as algemas e fugiu. Dois homens faziam a escolta do detento, mas não perceberam a fuga.

Detento fugiu de cela no Fórum de Botucatu (Foto: Reprodução/TV TEM)
Detento fugiu de cela no Fórum de Botucatu (Foto: Reprodução/TV TEM)

Adolescente foge pela janela

Em agosto de 2016, um adolescente de 16 anos, apreendido por suspeita de roubo, pulou da janela do Fórum de Bauru e caiu no telhado, onde ficou um buraco por onde ele conseguiu fugir.

Na época, segundo a polícia, depois de participar de uma audiência de apresentação, o menor quebrou o vidro de uma janela e pulou do 1º andar, enquanto estava algemado. Ele estava sob custódia de agentes da Fundação Casa quando conseguiu fugir. Ele foi recapturado em fevereiro deste ano.

Menor caiu sobre o telhado que quebrou em Bauru (Foto: João Ricardo Siqueira Godoy/Arquivo Pessoal)
Menor caiu sobre o telhado que quebrou em Bauru (Foto: João Ricardo Siqueira Godoy/Arquivo Pessoal)

Suspeito foi ouvido e liberado. Polícia Civil investiga de onde estátua foi levada.


Por G1 

Homem foi encontrado carregando estátua de Jesus Cristo (Foto: J. Serafim Show/Divulgação)
Homem foi encontrado carregando estátua de Jesus Cristo (Foto: J. Serafim Show/Divulgação)

Um homem foi encontrado carregando uma estátua da imagem Jesus Cristo, feita de bronze, perto do Cemitério da Saudade, em Lins (SP), na madrugada desta quinta-feira (30).

Policiais militares encontraram o suspeito carregando a estátua na rua, mas ele disse que havia encontrado a imagem jogada e não sabia de quem era. Ele foi ouvido na delegacia e liberado.

Segundo a polícia, a estátua é pesada e tem mais de um metro de altura. A Polícia Civil investiga de onde ela foi levada.

Decisão é da ministra Nancy Andrighi. Pedido foi da PGR. Objetivo é apurar responsabilidade por supostas fraudes no porto de Paranaguá. G1 busca contato com assessoria do governador.


Por Mariana Oliveira,, Brasília

A ministra do Superior Tribunal de Justiça Nancy Andrighi autorizou nesta quarta-feira (30) a abertura de inquérito para investigar se o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), tem envolvimento com supostas fraudes envolvendo o Porto de Paranaguá.

Foto: (Reprodução/RPC TV)

O pedido de abertura de inquérito foi feito pelo vice-procurador-geral da República, José Bonifácio Andrada. A apuração, que está em segredo de justiça, cita suspeitas de corrupção "na concessão de licença ambiental pelo Instituto Ambiental do Paraná". O G1 busca contato com a assessoria do governador Beto Richa.

O procedimento tem relação com uma operação policial realizada no porto. A Procuradoria Geral da República pediu o compartilhamento de provas coletadas em busca e apreensão autorizada pela 1ª Vara Criminal de Paranaguá.

O procurador também pediu que sejam ouvidos depoimentos de Venilton Pacheco Mucillo, Luiz Tarcisio Mossato e Theodócio Jorge Atherino, ligados ao Instituto Ambiental do Paraná.

A ministra determinou que a Justiça em Paranaguá remeta em 15 dias as cópias do procedimento e que a Polícia Federal tome os depoimentos pedidos em até 30 dias.

Motociclista foi socorrido em estado grave para o Hospital das Clínicas de Botucatu; garupa morreu no local.


Por Renata Marconi

Mulher morreu em acidente entre carro e moto em São Manuel (Foto: Acontece Botucatu/Divulgação)
Mulher morreu em acidente entre carro e moto em São Manuel (Foto: Acontece Botucatu/Divulgação)

Uma mulher morreu em um acidente entre um carro e uma moto na Vicinal Tharcílio Baroni, em São Manuel (SP), na tarde desta quinta-feira (30). Segundo a Polícia Civil, Cícera Rosa do Nascimento, de 56 anos, estava na garupa da moto e morreu no local. O motociclista foi socorrido em estado grave para o Hospital das Clínicas de Botucatu.

Ainda segundo a polícia, o carro teria invadido a pista contrária e colidiu frontalmente com a moto. A perícia foi acionada para investigar as causas do acidente, que aconteceu na vicinal que liga o centro da cidade ao bairro Santa Mônica. A motorista do carro foi socorrida para Santa Casa de São Manuel em estado de choque.

Motociclista foi socorrido em estado grave e garupa morreu no local (Foto: Acontece Botucatu/Divulgação)
Motociclista foi socorrido em estado grave e garupa morreu no local (Foto: Acontece Botucatu/Divulgação)

Força-tarefa da Lava Jato pede ressarcimento de R$ 2,3 bilhões. O PP nega irregularidades e diz as doações recebidas foram legais e devidamente declaradas e aprovadas pela Justiça Eleitoral.


Por G1 PR, Curitiba

Ministério Público Federal (MPF) anunciou nesta quinta-feira (30) uma ação civil pública por improbidade administrativa contra o Partido Progressista (PP) por desvios ocorridos na Petrobras – a primeira contra um partido na Operação Lava Jato.

Além do PP, são citados na ação o ex-assessor parlamentar João Claudio Genu e 10 políticos – quatro ex-deputados e seis parlamentares com mandato. Segundo o MPF, políticos recebiam entre R$ 30 mil e R$ 300 mil de mesada.

Na ação, o MPF:

Aponta que houve improbidade administrativa na relação do PP com a Petrobras

Cita 10 políticos, seis exercendo mandatos atualmente (veja a lista abaixo)

Afirma que alguns desses políticos recebiam mesadas de até R$ 300 mil

Solicita a devolução R$ 2,3 bilhões

O Partido Progressista (PP) negou a acusação. Por meio de nota, afirmou que as doações recebidas foram legais e devidamente declaradas e aprovadas pela Justiça Eleitoral. "Reafirma, ainda, que não compactua com condutas ilícitas e confia na Justiça para que os fatos sejam esclarecidos", diz o texto.

MPF pede o ressarcimento de R$ 2.303.182.588,00. Deste total, R$ 460.636.517,60 são equivalentes à propina paga ao PP, R$ 1.381.909.552,80 de multa e R$ 460.636.517,60 por danos morais coletivos.

Políticos citados

São citados na ação os deputados federais:

Nelson Meurer (PP-PR)

Mário Negromonte Júnior (PP-BA)

Arthur Lira (PP-AL)

Otávio Germano (PP-RS)

Luiz Fernando Faria (PP-MG)

Roberto Britto (PP-BA)

Os ex-deputados federais:

Pedro Corrêa (PP-PE)

Pedro Henry (PP-MT)

João Pizzolatti (PP-SC)

Mário Negromonte (PP-BA)

E também:

João Claudio Genu, ex-assessor parlamentar

José Janene, deputado federal falecido

Entre as consequência da ação para os políticos, caso sejam condenados, está a perda do cargo, suspensão de direitos políticos, perda da aposentadoria especial e devolução do dinheiro fruto de irregularidades.

O coordenador da força-tarefa, procurador Deltan Dallagnol, afirmou que, além dos citados nesta ação, há, pelo menos, mais 21 políticos que receberam propinas a título de mesadas. Ele não descartou a possíbilidade de outros partidos serem alvos de ação similar.

"As evidências colhidas ao longo da investigação apontam que o dinheiro ilícito da corrupção da Petrobras foi empregado para o enriquecimento ilícito dos participantes e para financiar campanhas eleitorais. Neste último aspecto, a corrupção, além dos seus efeitos perniciosos mais usuais, atenta contra a legitimidade do processo democrático, por desequilibrar artificialmente as disputas eleitorais", afirma o MPF.

O que dizem os citados

Ao G1, o deputado Nelson Meurer disse que ainda não havia sido informado sobre a ação em que é citado. “Eu não sei de nada. Eu não recebi nada ainda sobre isso”, afirmou.

O deputado Roberto Britto também disse que ainda não foi comunicado sobre o teor da ação. “Estou sabendo agora pela imprensa, eu não fui ainda comunicado. Não sei o que é, sinceramente, não tenho a menor ideia do que seja. Vou deixar ser comunicado oficialmente e depois tomarei a minha posição”, declarou.

João Pizzolatti disse que não tem conhecimento da ação porque ainda não foi notificado. A assessoria do deputado Luiz Fernando Faria deverá divulgar uma nota à imprensa, e a defesa de Nelson Meurer informou que só vai se manifestar quando tiver acesso à denúncia.

O advogado do ex-deputado Pedro Henry, disse que eles ficaram sabendo dessa ação pela imprensa. E que só vão se manifestar depois que tomarem conhecimento do inteiro teor dela.

A defesa de Mário Negromonte disse que a ação do MPF não está lastreada em indícios mínimos que apontem para a materialidade de qualquer ato de improbidade administrativa e que os fatos articulados são os mesmos já deduzidos perante o Supremo Tribunal Federal, sendo que lá já foram prestados os esclarecimentos que decerto seriam suficientes a contestar a pretensão agora apresentada ao Judiciário.

Além disso, também pontou que Negromonte já foi alvo de ações fiscais da Receita Federal do Brasil, que não constatou a existência de evolução patrimonial a descoberto, tampouco identificou indícios de movimentação financeira injustificada nas suas contas bancárias.

A defesa de Mário Negromonte Júnior disse que ele ainda não era deputado quando ocorreram os fatos alegados pela denúncia e, por isso, ele não pode ser alvo de medidas para restituição de valores ou indenização por atos de improbidade administrativa.

O deputado José Otávio Germano não quis se manifestar.

A defesa de João Cláudio Genu disse que só vai se manifestar quando o cliente for notificado da denúncia.

O G1 tenta contato com os demais deputados citados.

Esquema

De acordo com a força-tarefa da Lava Jato, a ação cita dois esquemas de desvio de recursos: um envolvendo a Diretoria de Abastecimento, e outro ligado aos benefício que a Braskem, empresa do Grupo Odebrecht, obteve a partir da atuação deste setor da estatal, conforme o MPF.

As irregularidades ocorreram, especialmente, segundo os procuradores, no contrato de comercialização de nafta entre a Petrobras e a Braskem. No esquema, havia a promessa de entrega de US$ 5 milhões por ano para que houvesse atuação em prol da empresa na Diretoria de Abastecimento da Petrobras.

O prejúizo para a Petrobras, conforme divulgado, foi de US$ 35 milhões, entre 2006 e 2012.

"Esta ação não criminaliza nem obstrui a atividade política, mas sujeita a todos, inclusive os mais poderosos, à lei", afirmou o procurador do MPF Deltan Dallagnol durante a entrevista coletiva concedida nesta tarde.

Procurada pelo G1, a Braskem lembrou que assinou em dezembro de 2016 um acordo global de leniência que inclui todos os temas relativos às práticas impróprias no âmbito da Operação Lava Jato, pelo qual está pagando mais de R$ 3 bilhões em multas e indenizações.

"A empresa, que continua cooperando com as autoridades, vem reforçando seu sistema de Conformidade para que tais práticas não voltem a ocorrer", declarou a Braskem.

O ressarcimento

Dallagnol afirmou que o PP é solidário junto com as pessoas físicas citadas na ação para o ressarcimento dos danos causados. Segundo ele, este ressarcimento pode ocorrer via suspensão dos repasses para o fundo partidário quando não houver mais possibilidade de recursos na ação. Verbas do fundo partidário não podem ser bloqueadas previamente, segundo o procurador.

“Se trata de uma retenção do valor que seria destinado para o partido, uma agremiação que, embora seja de interesse público, é privada. Ou seja: o valor que sairia dos fundos públicos fica retido em compensação a débitos existentes. É bom ressaltar que isso vai ser objeto de avaliação num segundo momento, após uma eventual condenação transitado em julgado”, afirmou o procurador.

A procuradora Isabel Cristina Vieira explica que o PP recebeu, via fundo partidário, R$ 179 milhões no período investigado – e no mesmo período, no esquema criminoso, o PP recebeu 70% dos valores prometidos como propina – um total de R$ 296 milhões.

Ultimas Notícias

Loading...