Últimas Notícias

Compartilhe

Para evitar que fosse preso pela Polícia Militar, ladrão pulou entre os telhados de residências

Bruno Freitas

Não haverá coletas de sangue no sábado, véspera do Ano-Novo, e na segunda-feira na unidade do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu

Veículo sob a responsabilidade dele chegou a cair em um córrego

Lilian Grasiela

Crime teve participação de um policial que supostamente seria amante da mulher

Brad Brooks/Reuters 
Fabíola Sinimbú/Agência Brasil
Estadão Conteúdo
Elaine Patricia Cruz/Agência Brasil
Maria Carolina Marcello/Reuters
Débora Brito - Repórter da Agência Brasil
O ano de 2016 foi o mais produtivo da Lava Jato, operação que apura o esquema de desvio de recursos públicos da Petrobras e outros órgãos da administração federal. A avaliação é do Ministério Público Federal do Paraná (MPF-PR), responsável pela condução da força tarefa desde 2014.

Em balanço divulgado na quinta-feira (29), a procuradoria paranaense relata que em 2016 foram deflagradas 17 operações e oferecidas 20 denúncias contra acusados pelos crimes de corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiros e organização criminosa. O número supera as ações realizadas nos dois anos anteriores.

Em 2016, também ocorreu a terceira restituição de recursos aos cofres da Petrobras, por meio de acordos de delação premiada e de leniência. Em novembro, a empresa recebeu de volta mais de R$ 204 milhões, o maior valor já devolvido pela justiça criminal brasileira a uma vítima. Desde o início da operação, aproximadamente R$ 500 milhões foram devolvidos à Petrobras.

Segundo a nota, de 2014 até o momento foram cumpridos 103 mandados de prisão temporária, 79 de prisões preventivas, 730 de busca e apreensão, 197 de condução coercitiva e seis prisões em flagrante. A prisão do ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, em novembro, foi uma das ações desenvolvidas este ano pelo MPF-PR em parceria com a procuradoria fluminense.

A investigação da procuradoria paranaense aponta que o valor das propinas pagas no esquema superam R$ 6,4 bilhões e o total de prejuízos pode ultrapassar R$ 40 bilhões. A revelação dos crimes já resultou em 120 condenações e mais de 1.200 anos de pena.

Medidas anticorrupção

O balanço do MPF-PR também faz menção ao projeto de iniciativa popular conhecido como pacote anticorrupção, que, segundo a nota, foi desfigurado pela Câmara dos Deputados para inibir a atuação dos procuradores. Para a procuradoria, as alterações feitas foram “claramente retaliatórias”.

O Ministério Público Federal do Paraná também critica a lei de abuso de autoridade e outras iniciativas apresentadas no Congresso, como as propostas de alteração na Lei de Repatriação de Recursos e na lei que trata dos acordos de leniência. As mudanças propostas pelos parlamentares teriam o intuito de abrir a possibilidade de impunidade e anistia para crimes graves de corrupção e lavagem de dinheiro.

Os procuradores responsáveis pela força-tarefa afirmam ainda que é a sociedade que protegerá a Operação Lava Jato das investidas do Legislativo e alertam para o impacto econômico da corrupção. “Apenas a sociedade poderá levar o país na direção certa, com reformas políticas e do sistema de justiça que previnam novos escândalos de corrupção e nos coloquem nos trilhos do desenvolvimento econômico e social”, diz Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa.

“Estudos mundiais revelam que, se queremos uma economia forte, precisamos passar pela diminuição dos índices de corrupção. Dizer que o combate à corrupção prejudica a economia não só ignora as reais causas da crise como também que o caminho para o desenvolvimento econômico e social passa pelo enfrentamento desse mal", disse o procurador Orlando Martello.
Brasília, 30 - O reajuste concedido para servidores da Receita Federal deve arrefecer um dos maiores movimentos da categoria dos últimos anos. Desde o início de 2016, auditores e outros funcionários do fisco fazem paralisações e operações padrão. Cargas se avolumaram nas alfândegas e fiscalizações deixaram de ser feitas, derrubando ainda mais a arrecadação de tributos do governo. Até a divulgação de dados pela Receita foi pela metade nos últimos meses.

De acordo com o secretário-geral do Sindicato Nacional dos Auditores da Receita (Sindifisco), Cláudio Damasceno, a reivindicação salarial da carreira tributária - que inclui auditores e analistas - foi totalmente atendida. "Ainda temos a questão sobre as prerrogativas do cargo de auditor fiscal e outras questões não remuneratórias que pretendemos continuar a discutir com o governo e o Congresso Nacional", afirmou. Ele admite, porém, que a tendência é que as paralisações sejam suspensas após o reajuste.

Auditores e analistas terão aumento de 21,3% até 2019, além da criação de um bônus de eficiência que será pago de acordo com metas de produtividade. O salário inicial passará para R$ 18.296 já em dezembro (que será pago em janeiro) e R$ 19.211 a partir de janeiro de 2017, alcançando R$ 21.029 em 2019. No final da carreira, poderá chegar a R$ 27.303 em 2019.
Somados aos vencimentos, o bônus será de R$ 7.500 para auditores e R$ 4.500 para analistas nos pagamentos relativos a janeiro e fevereiro. A partir de fevereiro, o valor será de R$ 3 mil para auditores e R$ 1.800 para analistas e variará de acordo com o cumprimento de metas, que serão estabelecidas pelo governo em até 60 dias.

De acordo com a polícia, o assassinato envolveu não só a mulher do embaixador, mas um PM, que teria um caso com a mulher do embaixador, e mais dois cúmplices


  Estado de Minas
 Edy Amaro/Esp. CB/D.A Press )

A brasileira Françoise de Souza Oliveira, mulher do embaixador da Grécia Kyriakos Amiridis, confessou no início da noite desta sexta-feira que participou da morte do marido. Mais cedo, a polícia havia pedido à Justiça a prisão de Françoise, do policial militar Sergio Gomes Moreira Filho e de um dos dois cúmplices, Eduardo Tedeschi, amigo do PM. O outro suspeito de participar do crime é um primo de Sérgio Moreira.
A polícia ainda não tem todos os detalhes da morte do embaixador. Mas investigações apontam que o assassinato de Amiridis tenha acontecido na casa da sala do casal, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Manchas de sangue foram encontradas no local. Só depois, o corpo teria sido removido e queimado com o carro do diplomata
Segundo a polícia, não houve barulhos de tiros, o que pode levar a crer que o diplomata foi morto a facadas. Para a polícia, Françoise é a mandante do crime e o PM, o executor.

Crime passional


A PM também informou que Françoise e o PM confessaram que os dois tinham um caso. O soldado Sérgio Gomes Filho tem 29 anos, está na Corporação desde abril de 2012 e trabalhava na UPP Fallet/Fogueteiro. Ele será submetido a Processo Administrativo Disciplinar, no caso, um Conselho de Revisão Disciplinar (CRD), que irá decidir por sua permanência ou exclusão da Instituição. Após os procedimentos realizados pela Polícia Civil, o policial será encaminhado para a Unidade Prisional da PM.

Carbonizado


O corpo do embaixador foi encontrado, nesta sexta-feira, carbonizado dentro de um carro. Françoise procurou a polícia na quarta-feira (28/12), afirmando que o marido estava desaparecido desde a segunda-feira, quando teria saído em um carro alugado sem dizer aonde ia. A partir de então, Kyriakos passou a ser procurado. Na quinta-feira, o corpo foi encontrado em um carro queimado próximo a um viaduto conhecido como Arco Rodoviário.

Desfalque na prefeitura de Santa Cruz do Rio Pardo chega a R$ 3,5 mi. 
Funcionária da tesouraria da prefeitura foi exonerada após investigação. 

Do G1 Bauru e Marília










A Polícia Civil realizou, na tarde desta quarta-feira (28), buscas em imóveis que pertencem à servidora municipal de Santa Cruz do Rio Pardo (SP) suspeita de desvios em contas da prefeitura que, segundo as investigações, somam R$ 3,5 milhõesA funcionária da tesouraria foi exonerada na última sexta-feira (23) e desde então não está mais na cidade. Ela era concursada e trabalhava na prefeitura desde 1999.
Joias e documentos foram apreendidos nos imóveis  (Foto: Romeu Neto/ TV TEM)Joias e documentos foram apreendidos nos
imóveis (Foto: Romeu Neto/ TV TEM)
Os policiais cumpriram mandados de busca e apreensão em cinco endereços da cidade. Entre eles, a casa onde mora a ex-servidora Sueli de Fátima Feitosa, na residência de duas irmãs da suspeita e também em chácaras e galpões que pertencem a família. De acordo com as inevstigações, o objetivo da polícia é apurar se Sueli e familiares tiveram um enriquecimento ilícito por conta desses desvios. 
Nos imóveis, a maioria de alto padrão, foram apreendidos documentos, entre eles contratos, notas, e também muitas joias. Todo o material foi encaminhado para Central de Polícia Judiciária e será analisado.
G1 e TV TEM tentaram contato com Sueli, mas ela não foi encontrada para falar sobre o assunto.
Polícia cumpriu mandados de busca em imóveis pertencentes à servidora  (Foto: Romeu Neto/ TV TEM)Polícia cumpriu mandados de busca em imóveis pertencentes à servidora (Foto: Romeu Neto/ TV TEM)












Investigações
Um decreto assinado pelo prefeito de Santa Cruz do Rio Pardo suspendeu o atendimento à população. A medida foi tomada para concentrar esforços na auditoria das contas do município. O objetivo é descobrir detalhes de um esquema que, segundo a prefeitura, teria desviado mais R$ 3,5 milhões desde 2013.
Prefeitura suspende atendimento à população (Foto: Reprodução/TV TEM)Prefeitura suspende atendimento à população
(Foto: Reprodução/TV TEM)
Segundo a investigação, a funcionária é suspeita de transferir ilegalmente R$ 1,2 milhão de uma conta destinada a iluminação pública para conseguir pagar os salários de dezembro e assim tentar esconder o rombo. Um extrato mostra a existência de R$ 850 mil em uma conta da prefeitura, mas esse valor foi falsificado. Na verdade, a conta tinha R$ 398 mil, R$ 450 mil a menos do que deveria, informou a prefeitura.
A prefeitura passa por uma auditoria nesta semana. Na terça-feira (27), a polícia apreendeu o computador da funcionária apontada como responsável pelo crime.
Funcionários dos setores contábil e finanças, juntamente com o controlador interno e a procuradora geral do município, estão vasculhando documentos, contratos e papéis a procura de novas pistas. O horário normal da prefeitura para atendimento a população voltará dia 2 de janeiro.
Documentos foram falsificados, diz prefeitura (Foto: Reprodução/TV TEM)Documentos foram falsificados, diz prefeitura (Foto: Reprodução/TV TEM)












Desvios
Os desvios de dinheiro eram feitos há quatro anos, segundo a prefeitura. “Vamos solicitar uma perícia contábil, diligências investigativas junto ao poder judiciário para poder identificar a real dimensão desse desfalque. Identificar também a autoria desse delito e levar à Justiça quem for responsável pelas irregularidades”, diz o delegado Renato Caldeira Mardegan.
Segundo o secretário de finanças Armando Cunha, os documentos contábeis foram alterados. Um documento mostra que o saldo na conta da prefeitura passa dos R$ 850 mil. Já outro documento mostra o que realmente tinha na conta: R$ 398 mil. Uma diferença de mais de R$ 450 mil. Foi assim ao longo de alguns anos que mais de R$ 3,5 milhões foram desviados da conta da prefeitura de Santa Cruz do Rio Pardo, diz Cunha.
“Saíram de duas contas, as duas maiores receitas do município são pela ordem decrescente ICMS, do governo estadual, e FPM, do governo federal. São as duas fontes de recursos das quais a prefeitura precisa para sobreviver", comenta o secretário.
De acordo com a prefeitura, a fraude foi descoberta depois que a funcionária fez uma transferência no valor de R$ 1,2 milhão, que estava em uma conta destinada para iluminação pública, para outra conta, assim conseguiria fazer o pagamento dos salários de dezembro e encobrir o desfalque. “Todo dinheiro arrecadado pela prefeitura da iluminação pública entra nessa conta, que só pode ser usado para melhoria na iluminação pública.”
Até agora já foram identificados desvios feitos desde 2013, mas ainda não se sabe o destino do dinheiro. A Polícia Civil também vai investigar o caso. Segundo o delegado, o responsável pode responder por peculato, falsificação, falsidade ideológica, estelionato e possível associação criminosa.
Polícia investiga desfalque nas contas da prefeitura (Foto: Reprodução/TV TEM)Polícia investiga desfalque nas contas da prefeitura (Foto: Reprodução/TV TEM)

Animais da espécie cabeçuda foram encontrados na segunda-feira (26).
Projeto Tamar e banhistas ajudaram os filhotes a ganharem o mar.

Leandro Tedesco

Alguns filhotes foram levados para o Projeto Tamar, na Praça do Papa (Foto: Reprodução/TV Gazeta)Alguns filhotes foram levados para o Projeto Tamar, na Praça do Papa (Foto: Reprodução/TV Gazeta)













Cerca de 118 filhotes de tartarugas da espécie cabeçuda foram encontrados na Praia de Camburi, em Vitória, nessa segunda-feira (26). Biólogos e banhistas ajudaram os pequenos animais a ganharem o mar. É o segundo ninho encontrado na praia da capital.
De acordo com o Projeto Tamar, ao todo, foram depositados 123 ovos no ninho. O biólogo Tommy Magalhães, disse que foram até o local logo que receberam a informação. “Quando chegamos, muitas pessoas já haviam levado vários filhotes para o mar. Os poucos outros que encontramos, ajudamos na liberação”, disse.
Segundo o biólogo Paulo Rodrigues, alguns filhotes que ainda estavam no ninho e não chegaram ao mar foram levados para o Projeto Tamar, em Vitória. "Trazemos eles para cá, para as pessoas poderem conhecer. Irão ficar um tempo aqui e depois eles serão soltos”, afirmou.
Tommy conta que o ninho passou despercebido. "Não tínhamos o monitoramento desse ninho. E nem o conhecimento desses filhotes", explicou.
Um outro ninho foi cercado e está sendo monitorado  (Foto: Reprodução/TV Gazeta)Um outro ninho foi cercado e está sendo monitorado
(Foto: Reprodução/TV Gazeta)
Primeiro ninho
No início do mês, uma tartaruga da mesma espécie desovou na praia.  Foi a primeira vez, em mais de 30 anos, que o Projeto Tamar registrou o acontecimento na praia da capital.
A área foi cercada, identificada com placa, e está sendo monitorada. O nascimento dos filhotes está previsto para janeiro.
“O ninho está cercado, estamos fazendo o acompanhamento, e está para eclodir em meados de janeiro. São da mesma espécie”, contou o biólogo Tommy.
Praia urbana
Apesar de a Praia de Camburi ser considerada uma praia urbana, é um bom sinal as desovas no local, segundo Paulo Rodrigues. Mas é preciso ficar alerta.

"Acreditamos que isso seja bom. Assim a população de tartarugas está aumentando. Por outro lado temos que controlar as ameaças, o lixo, a iluminação. Temos a esperança de melhorar o ambiente", afirmou.
O biólogo explica ainda que as desovas estão acontecendo por conta da quantidade de tartarugas e também por conta do desequilíbrio ambiental em outras praias.
“Foi uma surpresa para nós, porque aqui não é uma área típica reprodutiva. A população das tartarugas está cada vez mais crescente. Algumas praias têm sofrido com a erosão, outras acumulado areia, então os animais procuram essas faixas de areia para se reproduzir”, disse
.
Segundo a pasta, serão depositados R$ 4,449 bilhões

Epoca
Ministério da Fazenda em Brasília (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
MINISTÉRIO DA FAZENDA EM BRASÍLIA (FOTO: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL)

Os municípios vão receber os recursos do programa de repatriação na sexta-feira, dia 30 de dezembro. De acordo com o Ministério da Fazenda, as ordens de pagamento serão emitidas nesta quinta-feira, dia 29, para que os municípios possam contabilizar os recursos ainda no ano de 2016. Segundo a pasta, serão depositados R$ 4,449 bilhões.

Os prefeitos estavam receosos de que os recursos só entrassem efetivamente nos cofres municipais em 2017. Isso poderia ocorrer se o Tesouro Nacional autorizasse o pagamento apenas no dia 30 de dezembro, que, para o sistema bancário, é considerado o último dia útil do ano para realização de operações financeiras. De acordo com o Ministério da Fazenda, esse risco não existe.
A Frente Nacional de Municípios (FNP) e o PSB chegaram a entrar com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para antecipar o recebimento desses recursos, mas a corte negou o pedido nesta terça-feira, 27.
O dinheiro da repatriação integrará a terceira parcela mensal de repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Nessa mesma data, o governo também vai depositar o valor devido aos municípios pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), que somará R$ 1,053 bilhão.
Ao todo, considerando o dinheiro da multa da repatriação e do Fundeb, os municípios vão receber R$ 5,502 bilhões no dia 30 de dezembro.
O governo pretendia repassar os recursos aos municípios apenas em 2017, mas diante da reação dos prefeitos, retificou a Medida Provisória 753, que trata da divisão dos recursos. Pela nova versão, publicada no dia 20 de dezembro, um dia depois da primeira publicação, os efeitos da medida para os municípios passam a valer a partir de 30 de dezembro deste ano.

Ultimas Notícias

Loading...