Últimas Notícias

Compartilhe

Casal de Assis (SP) estava indo marcar cesárea; criança foi salva pelo pai.
'Avisei para ela não entrar no banheiro que não era dor de barriga', diz avó.

Renata Marconi
Criança ganhou nome de Levi depois de ser salvo pelo pai (Foto: Eduardo Oliveira / Assis City)Criança ganhou nome de Levi depois de ser salvo
pelo pai (Foto: Eduardo Oliveira / Assis City)
Uma mulher deu à luz ao terceiro filho de forma repentina na manhã desta terça-feira (30), em Assis (SP), após sentir fortes dores na barriga. Fabiana Luiza Pereira, de 30 anos, e o marido Silvio Bernardes, de 34 anos, seguiam para o maternidade quando a mulher sentiu dores na barriga e precisou ir ao banheiro na casa da sogra. O bebê acabou caindo no vaso sanitário, mas foi salvo pelo pai.
“Avisei para ela não entrar que não era dor de barriga, mas ela falou que não estava aguentando de dor. Deu dois gemidos e o nenê caiu no vaso (sanitário) de ponta cabeça. Levei um susto”, conta a avó da criança, Natalina Donizete dos Santos.
Silvio conta que rapidamente salvou o filho. “Fiquei preocupado porque era perigoso ele morrer, mas tirei rápido. Eu ajudei ele nascer, fiquei emocionado. Agora ele está bonito, está bem. É  uma benção de Deus”, agradece.
O pai explica que saíram de casa nesta manhã para levar os exames na maternidade e marcar a data para a cesárea. “Nós não sabíamos a data certa, era para o fim do mês, mas não tinha data marcada. Ela começou a sentir dores hoje e falava que parecia que estava saindo.”
Os bombeiros ajudaram, por telefone, a família com os procedimentos após o nascimento até a chegada da equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A mãe e o bebê foram levados para a maternidade de Assis. O menino, que passa bem, recebeu o nome de Levi. “Um nome pequeno e da Bíblia”, conta o pai. Mãe e filho estão na maternidade, onde devem ficar alguns dias até receberem alta.
* Com informações de Guilherme Lopes / TV TEM.
Samu foi acionado para socorrer a criança e a mãe (Foto: Divulgação / Samu)Samu foi acionado para socorrer a criança e a mãe (Foto: Divulgação / Samu)

São oferecidos cursos de espanhol, alemão, francês e japonês.
Inscrições tem vagas exclusivas para alunos da rede estadual.


Do G1 Bauru e Marília
Termina nesta terça-feira (30) o período de inscrição para o curso de espanhol oferecido pela Divisão Regional de Ensino de Botucatu (SP). As vagas são destinadas a estudantes de escolas públicas.

Alunos da rede estadual de ensino que estejam entre o 7º ano do Ensino Fundamental até o 3º ano do Ensino Médio, em Botucatu, São Manuel e Laranjal Paulista, poderão ter aulas de espanhol de graça. As inscrições podem ser feitas nas escolas Dom Lúcio e Sofia Gabriel em Botucatu, e em São Manuel (SP) na escola Francisco de Oliveira Farroso.
A Divisão Regional de Ensino está localizada na Praça da Bandeira, s/n, no Centro,  Centro. Para mais informações ligue para (14) 3811-3200.
Marília
O Centro de Ensino de Línguas (CEL) de Marília (SP), também está com inscrições abertas para 245 vagas, nos cursos de espanhol, alemão, francês e japonês. As inscrições vão até o dia 14 de agosto e as vagas são exclusivamente para alunos da rede estadual de ensino que estejam entre o 7º ano do Ensino Fundamental, até o 3º ano do Ensino Médio.
O CEL é vinculado com a Secretaria da Educação e fica na avenida Rio Branco, 803, na Escola Estadual Monsenhor Bicudo. Atualmente 460 adolescentes já fazem parte dos cursos oferecidos pelo centro.
Para se inscrever, os interessados devem comparecer na unidade com a cópia do RG e histórico escolar, na companhia dos pais ou responsáveis. Não existe processo seletivo e as vagas são por ordem de chegada. O ínicio das aulas está previsto para o dia 17 de agosto.

Dupla armada fugiu levando R$ 400. 
Vítimas entregaram celulares e carteiras.

Do G1 Bauru e Marília
Uma farmácia foi assaltada no fim da tarde de segunda-feira (29), em Bauru (SP). As imagens do circuito de segurança foram divulgadas nesta terça-feira (30) e nelas é possível ver quando um dos criminosos armado ameaçou o dono e uma funcionária.
As imagens mostram ainda outro rapaz que chega e pede o dinheiro do caixa. Eles retiram todo o dinheiro e as moedas da gaveta do caixa. As vítimas ainda são obrigadas a entregar celulares e carteiras.
Os dois suspeitos usam o capuz da blusa para tentar dificultar a identificação e seguram capacetes. De acordo com a polícia, eles levaram cerca de R$ 400. Os criminosos fugiram a pé. Polícia procura pelos suspeitos.
Dupla assalta farmácia em Bauru (Foto: Reprodução / TV TEM)Dupla assalta farmácia em Bauru (Foto: Reprodução / TV TEM)

Polícia Civil identificou 41 envolvidos em esquema de tráfico e prendeu 14.
Droga vinha do Mato Grosso do Sul para ser distribuída em Assis e região.

Do G1 Bauru e Marília
Dos 14 detidos na operação, três são mulheres (Foto: Reprodução/ TV TEM)Dos 14 detidos na operação, três são mulheres (Foto: Reprodução/ TV TEM)
Quarenta e uma pessoas foram identificadas e 14 delas foram detidas no início da manhã desta terça-feira (29) por associação ao tráfico em Assis (SP), sendo que dos detidos, 11 são homens e três são mulheres. A Polícia Civil descobriu também como funcionava o esquema de uma refinaria de drogas, a forma de transporte, e associou os presos com o aliciamento de menores e mulheres na entrega de drogas na penitenciária de Assis.
Os presos foram levados para a carceragem da Polícia Civil. Eles são suspeitos de tráfico de drogas e foram identificados durante um ano de investigações. O trabalho começou em maio do ano passado, com a descoberta de um laboratório de refino de drogas no Jardim Paraná, em Assis.
“Essa quadrilha trazia uma grande quantidade de substância de entorpecente para um laboratório de refino de drogas aqui em Assis. Essa droga era refinada, reembalada e distribuída para traficantes menores. Todos eles foram identificados, desde o fornecedor, a pessoa que trazia a droga, quem comprava e quem revendia os entorpecentes”, explicou o delegado Marcel Ito Okuma.
Laboratório de refino de drogas ficava no Jardim Paraná em Assis (Foto: Polícia Civil)Laboratório de refino de drogas ficava no Jardim
Paraná em Assis (Foto: Polícia Civil)
As investigações apontaram que a quadrilha movimentava cerca de uma tonelada de drogas por mês. A base principal da organização criminosa ficava em Assis, de onde o entorpecente era distribuído para toda região. Segundo informações da polícia, a droga era trazida em caminhonetes do Mato Grosso do Sul para a cidade. Em uma das viagens, a polícia apreendeu um veículo, que carregava 200 quilos de maconha escondidos na lataria.
“Eram todos de Assis, sem contar o fornecedor que era da Coronel Sapucaia (MS). Eles entravam em contato encomendando os carregamentos, iam buscar esses carregamentos, vinha a pessoa já contratada para trazer os entorpecentes com seus batedores (espécie de escolta do tráfico) evitando a ação de policiais militares rodoviários e, quando chegavam aqui, reembalavam e redistribuíam a droga”, destacou o delegado.
Ainda de acordo com Marcel Ito Okuma, todos os detentos responderão por tráfico e associação ao tráfico. As investigações continuarão para identificação de mais envolvidos.
Quadrilha refinava droga em Assis (Foto: Polícia Civil)Quadrilha refinava droga em Assis (Foto: Polícia Civil)

Grupo de estudantes criticou limitação de acesso às galerias do plenário.
Presidente da Casa determinou distribuição de senhas para o público.

Nathalia PassarinhoDe Brasília
Um grupo de estudantes contrários à proposta de emenda à Constituição que reduz de 18 para 16 anos a maioridade penal em caso de crimes graves fez um protesto nesta terça-feira (30) dentro da Câmara dos Deputados. Os manifestantes gritaram palavras de ordem como "não, não, não à redução" e criticaram as limitações de acesso às galerias do plenário da Casa.
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), determinou que a entrada nas galerias serão controladas mediante a distribuição de senhas aos partidos políticos. Segundo o peemedebista, as senhas serão entregues de forma proporcional ao tamanho das bancadas.  Assim, os blocos partidários com mais deputados terão mais “tickets” de acesso para distribuir.
No dia 22, a ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a expedição de um salvo-conduto para garantir a 19 diretores da União Nacional dos Estudantes (UNE) e da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) o direito de acompanhar, na Câmara, as discussões da PEC que pretende reduzir a maioridade penal.
Pela proposta dos deputados, jovens entre 16 e 18 anos cumprirão eventuais penas em estabelecimento separado dos maiores de 18 anos e dos adolescentes menores de 16 anos. Para ir ao Senado, a proposta precisa ser aprovada em dois turnos com o voto de, pelo menos, 308 deputados
Com cópias da decisão do STF em mãos, dirigentes da UNE que conseguiram acessar o Salão Verde tentaram pressionar a direção da Câmara com gritos e palavras de ordem, como "Ô, Cunha, presta atenção, tem liminar do STF", e "A casa é do povo".
Vários integrantes do protesto portavam senhas de acesso, mas os seguranças avisaram que eles serão autorizados a entrar depois que se organizarem. O objetivo é evitar tumultos como os ocorridos nas reuniões da comissão especial que elaborou e aprovou a PEC da maioridade penal.
"Temos decisão do Supremo autorizando a entrada de 60 integrantes da UNE e da UBES, mas estamos sendo barrados em todos os locais com segurança", disse o diretor de comunicação da UNE, Mateus Weber.
Defensores da PEC que reduz a maioridade penal também receberam senhas entregues por parlamentares. Os grupos a favor e contra a redução chegaram a bater-boca ao longo da tarde, porém, não houve confronto.
Duas mulheres que usavam camisas com mensagens em defesa da PEC foram cercadas por estudantes quando caminhavam em direção às galerias do plenário.
"Burguesas! Seu filho vai para a cadeia", gritaram os estudantes que participavam do protesto. Em tom irônico, as duas mulheres mandaram beijos aos manifestantes e bateram palmas.
Pressão
No último fim de semana, centenas de manifestantes acamparam na Esplanada dos Ministérios para pressionar os deputados federais a rejeitarem a redução da maioridade penal. Os estudantes permaneceram nos gramados do trecho que concentra os ministérios até esta terça-feira.
Além do acampamento de frente para o Congresso Nacional, outro grupo de manifestantes se concentrou na manhã desta terça em frente ao Museu Nacional com um trio elétrico. Eles marcharam em direção ao Congresso. As seis faixas da Esplanada chegaram a ser fechadas por cerca de 20 minutos.
Em meio ao protesto, o ministro da Cultura, Juca Ferreira, declarou apoio aos estudantes contrários à redução da maioridade penal. Ao G1, Ferreira disse ser “absolutamente” contra a PEC que deverá ser votada nesta terça pela Câmara dos Deputados.

Segundo o delegado, o relacionamento começou há cerca de oito meses com encontros na escola. Pai flagrou as trocas de fotografias no computador da filha

O Dia
Um professor de uma escola particular de Vitória (ES) foi indiciado por trocar e armazenar fotos íntimas com uma aluna, de 17 anos, da instituição. De acordo com a polícia, o docente de 41 anos mantinha diálogos de cunho sexual com a adolescente pela internet. O inquérito foi concluído nesta segunda-feira pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). O suspeito pode pegar até 12 anos de reclusão.
Inquérito policial foi concluído nesta segunda-feira
Reprodução TV Vitória
Inquérito policial foi concluído nesta segunda-feira
Segundo o delegado Lorenzo Pazolini, da DPCA, a investigação teve início após o pai da jovem procurar a delegacia. Ele explicou que ao utilizar o computador da filha, flagrou as trocas de fotografias com cenas pornográficas. Pazolini relatou que os envolvidos costumavam trocar e-mails e mensagens via rede social. Em algumas conversas, o professor pede para que a adolescente envie fotos dela nua.
Conversa entre o professor e a aluna em rede social
Reprodução
Conversa entre o professor e a aluna em rede social
O delegado informou ainda que o relacionamento dos dois começou há cerca de oito meses com encontros na escola. Depois eles começaram a se encontrar no carro e chegaram a ir a um motel. O acusado dava aulas para a jovem. Ele nega qualquer tipo de relação sexual com ela.
O professor foi indiciado por manter e transmitir conteúdo pornográfico envolvendo criança ou adolescente. A jovem nega qualquer tipo de ameaça feita pelo docente. Pazolini explicou que o suspeito responderá pelo crime em liberdade, já que não foi feito flagrante. Caso seja condenado ele poderá pegar uma penas de 12 anos de prisão.

Há relatos de que dezenas de pessoas teriam ficado presas em casas e edifícios por causa do incêndio causado pela queda

BBC
Um avião militar carregando 113 passageiros caiu nesta terça-feira na cidade de Medan, na Indonésia, em meio a uma área residencial.
Veja clicando no link abaixo:
Queda de avião militar pode ter matado mais de 100 na Indonésia

Autoridades acreditam que nenhum dos passageiros do Hércules C-130 sobreviveu
Reprodução/BBC
Autoridades acreditam que nenhum dos passageiros do Hércules C-130 sobreviveu
As autoridades acreditam que nenhum dos passageiros do Hércules C-130 sobreviveu, e há ainda relatos de que dezenas de pessoas teriam ficado presas em casas e edifícios por causa do incêndio causado pela queda.
O avião militar tentava retornar para o aeroporto da cidade, depois de o piloto ter relatado problemas na aeronave pouco após a decolagem. Mas o Hércules C-130 acabou acertando duas casas e um hotel antes de explodir.
Foi também em Medan, há 10 anos, que um Boeing 737 caiu sobre uma área residencial, matando 143 pessoas, incluindo 30 no solo.

Medida não isenta brasileiros de pedir visto para viajar aos Estados Unidos

Agência Brasil
A presidenta Dilma Rouseff anunciou hoje (30), ao lado do presidente norte-americano Barack Obama, a inclusão de cidadãos brasileiros no programa Global Entry, que facilita a entrada de quem viaja com frequência aos Estados Unidos. O anúncio foi feito durante declaração conjunta à imprensa, após reunião de trabalho entre os dois presidentes.
No Global Entry, o viajante não precisa passar pelas filas de imigração, apenas passa o passaporte em leitor eletrônico ao desembarcar nos EUA. A medida deverá beneficiar viajantes frequentes, sem validade para turistas eventuais.
Dilma também destacou a assinatura de um acordo previdenciário que vai beneficiar a comunidade brasileira que vive nos Estados Unidos.
Durante a declaração, Dilma e Obama destacaram a cooperação bilateral em áreas como comércio, investimentos, educação, defesa, energia e ciência e tecnologia e mudanças climáticas.
Dilma e Obama em encontro em Washington
AP
Dilma e Obama em encontro em Washington

A presidenta brasileira disse que a recuperação da economia dos Estados Unidos é importante para as economias do Brasil e do mundo e quer aproveitar o cenário para ampliar o fluxo de comércio e investimentos entre os dois países.
“Queremos ampliar e diversificar nossas trocas, nosso desafio é dobrar a corrente de comércio em uma década. O objetivo é construir condições para um relacionamento comercial ambicioso entre o Brasil e os Estados Unidos. Para isso, no curto prazo, devemos remover os obstáculos não-tarifários existentes para bens industriais e agrícolas, devemos reduzir a burocracia, as complicadas autorizações e outras restrições, ao mesmo tempo em que gostaríamos que fosse reconhecida a qualidade dos processos produtivos do Brasil”, listou.
Dilma destacou a nova etapa do programa de concessões e disse que espera participação de investidores norte-americanos nas licitações de obras de infraestrutura do Brasil incluídas no pacote.
Obama e Dilma também assinaram um compromisso para ampliar a participação de energia renovável na matriz energética dos dois países até 2030, para contribuir com a redução das emissões de gases de efeito estufa, que agravam as mudanças climáticas.
“Essa decisão tem muito a ver com perspectivas e nossa participação em um acordo global de redução de emissões, para que a gente consiga de fato concretizar esse acordo na Conferência do Clima em Paris [em dezembro deste ano]”, avaliou Dilma.
A presidenta acrescentou os esforços do Brasil para reduzir o desmatamento e disse que a meta é zerar a derrubada ilegal no país até 2030. “Também queremos virar a página e passar a ter uma política clara de reflorestamento. É importantíssimo para o Brasil, tem a ver com compromisso próprio que assumimos no Código Florestal”, acrescentou.
Dilma e Obama também comentaram a reaproximação entre os Estados Unidos e Cuba. Obama agradeceu o apoio de Dilma e do Brasil no processo e nas negociações para a abertura de embaixadas em Havana e Washington.
Segundo Dilma, a retomada de relações entre os Estados Unidos e Cuba marca “o fim da Guerra Fria” e um novo patamar de relacionamento dos norte-americanos com toda a América Latina.
Dilma reiterou o convite para que Obama venha ao Brasil em 2016 para os Jogos Olímpicos do Rio. O norte-americano agradeceu o convite e brincou que, caso venha ao Rio, não poderá usar em público uma camiseta do Brasil, presente de Dilma, para não entrar em conflito com seus compatriotas.

Divulgação/PM
Os policiais encontraram os documentos na cueca do passageiro
Dois indivíduos foram presos acusados de falsificação de documentos na segunda-feira (29), em uma praça de pedágio no quilômetro 300 mais 900 metros da rodovia João Baptista Cabral Rennó (SP-225), em Santa Cruz do Rio Pardo (96 quilômetros de Bauru).
 
Durante fiscalização de combate ao narcotráfico, a Polícia Militar Rodoviária abordou um Palio vermelho ocupado por dois homens.
 
Em busca pessoal nos ocupantes, os policiais encontraram, na cueca do passageiro, de 28 anos, duas Carteiras Nacional de Habilitação (CNH). Uma era com a foto dele e a outra com a foto do motorista, de 26 anos. Os documentos eram falsificados e tinham nomes de terceiros.
 
Após investigação, foi constatado que os indivíduos fazem parte de uma quadrilha de estelionatários que age pelo País.
 
Foi dada voz de prisão em flagrante aos autores do crime. Eles foram encaminhados à Cadeia de São Pedro do Turvo por uso de documentos falsificados.
Luzian Cruz Frata/Divulgação
Unidade de Barra Bonita, uma das maiores do País, onde houve demissões de trabalhadores
A crise no setor da cana já atinge a região de Bauru. O grupo Raízen (fusão entre a anglo-holandesa Shell e a paulista Cosan) demitiu nos últimos dias 600 trabalhadores rurais nas unidades de Barra Bonita, Jaú e Dois Córregos. Os números foram divulgados pelo Sindicatos de Trabalhadores e Empregados Rurais daquela região.
 
Em nota, a Raízen confirma os desligamentos, mas não informa o número de demitidos (leia ao lado). 
 
Nas cidades de Barra Bonita, Igaraçu do Tietê, Dois Córregos, Mineiros do Tietê, Macatuba, Itapuí e Jaú já há  protestos contra as demissões que ocorrem em plena campanha salarial dos empregados agrícolas do setor sucroenergético, cuja data-base é 1 de maio e, em especial, nas negociações com as unidades Raízen na região de Bauru.
 
No início deste ano, a escassez de cana-de-açúcar para moagem devido à estiagem provocou a suspensão de atividades da usina Bom Retiro, em Capivari, onde foram realizadas 250 demissões. 
 
Em duas semanas, segundo o sindicato dos trabalhadores, nas unidades de Jaú, Barra Bonita e Dois Córregos 420 trabalhadores rurais foram demitidos.
 
Os sindicatos de empregados rurais reunidos na Federação dos Empregados Rurais Assalariados (Feraesp), informaram que estudam o ingresso de medida judicial para reverter, e também impedir, as demissões, não apenas porque há um processo de negociação coletiva em curso, mas, também, porque em uma das cláusulas da pauta se discute o fim da dispensa imotivada.
 
A forte estiagem do ano passado agravou a crise no setor sucroenergético, que registrou, no ano passado, 13.681 demissões em todo o Estado, de acordo com dados da Federação das Indústrias do Estado (Fiesp).
 
Para sindicalistas da região, a Raízen poderá levar a efeito novas demissões nesta semana, mesmo que para tanto, as faça em etapas para, exatamente, não chamar a atenção da imprensa e da Justiça.  
 
A Raízen tem hoje 24 unidades e com elas produz 2 bilhões de litros de etanol por ano, 4 milhões de toneladas de açúcar, sendo a maior produtora individual de derivados de cana no Brasil. A empresa comercializa aproximadamente 22 bilhões de litros de combustíveis para os segmentos de transporte, indústria e varejo. 
 
Empresa confirma
 
A Raízen informa que os desligamentos ocorridos fazem parte de medidas necessárias de reestruturação de cargos operacionais relacionados principalmente pela sazonalidade característica no setor nas áreas de plantio, preparo de solo e transporte agrícola.
 
A empresa informa ainda que o redesenho servirá para dar mais agilidade aos processos internos da empresa e tornar as unidades melhor preparadas e mais competitivas para enfrentar os atuais desafios do mercado.
 
Região teve demissões no setor metalúrgico  
 
A Pedertractor, empresa de Pederneiras (26 quilômetros de Bauru) que fabrica peças e componentes para máquinas agrícolas e da construção civil, deu início a demissão de cerca de 400 funcionários. Os cortes foram atribuídos a uma diminuição nos pedidos, motivada pela crise econômica enfrentada pelo País.
 
As primeiras demissões começaram na semana passada. A reportagem apurou que, no total, aproximadamente 700 trabalhadores dos 2.300 que a Pedertractor poderão perder os seus empregos.  As rescisões dos contratos de trabalho dos funcionários demitidos começarão a ser pagas amanhã.  
 
Entre os clientes da Pedertractor estão a Caterpillar, multinacional que produz máquinas como compactadores, escavadeiras hidráulicas, motoniveladoras, retroescavadeiras e tratores de esteiras; a multinacional Volvo, que fabrica carregadeiras, escavadeiras, compactadores de solo e caminhões articulados e o Grupo CNH, fabricante de máquinas da construção civil e agrícolas.
 
Dispensas 
 
Como último recurso para enfrentar a crise econômica, a maior montadora de ônibus de Botucatu dispensou centenas de funcionários no mês de maio. A Induscar Caio demitiu 220 dos quatro mil trabalhadores. Depois de conceder dois períodos de férias coletivas, a instituição teve de recorrer ao corte de funcionários.  

com Jcnet

A Câmara Municipal de São Paulo aprovou em definitivo nesta terça-feira (30), o projeto de lei elaborado pelas bancadas partidárias que aumenta de 18 para 30 o número máximo de cargos comissionados (sem concurso) nos gabinetes dos vereadores. Ao todo, 660 novas vagas poderão ser preenchidas pelos 55 parlamentares a um ano do início da campanha eleitoral na capital. O projeto recebeu 38 votos a favor e 7 contra, e agora segue para a sanção do prefeito Fernando Haddad (PT).
 
O texto aprovado sofreu uma pequena alteração em relação ao que passou em primeira votação na semana passada. Para não aumentar a verba mensal destinada ao pagamento dos funcionários de cada gabinete, de R$ 130 mil, os vereadores trocaram os 17 cargos de assistentes que seriam criados por 17 cargos de auxiliares. Com isso, o piso salarial a ser pago cai de R$ 2.010 para R$ 950. Além deles, cada parlamentar tem direito a um chefe de gabinete.
 
Segundo o vereador Gilberto Natalini (PV), embora não haja aumento da verba destinada aos gabinetes, a proposta deve elevar entre R$ 5 milhões e R$ 7 milhões os valores gastos pela Câmara com benefícios trabalhistas, como vale refeição e vale transporte. "Não é oportuno para uma Casa Legislativa aprovar um projeto desses diante da crise política, econômica e moral do País", disse um vereador. Além dele, parlamentares do PSDB, PSOL e PPS também votaram contra a proposta. 
 
Na semana passada, o projeto de lei criado por diversas bancadas partidárias teve tramitação relâmpago. Foi protocolado na terça-feira (23), lido em plenário na quarta, publicado no Diário Oficial e aprovado na quinta (25) em primeira votação simbólica (quando não há objeção). Segundo a justificativa formal da Casa, ele "tem por finalidade readequar a estrutura e o funcionamento da assessoria parlamentar dos gabinetes, a fim de permitir que cada vereador, no exercício do seu mandato, possa melhor estruturar o trabalho para bem atender aos anseios dos munícipes sem que, com isso, ocorra qualquer aumento ou acréscimo de despesa salarial". Na prática, contudo, os novos "auxiliares" poderão virar cabos eleitorais dos vereadores nas eleições do ano que vem.

Famílias pressionam para ter a presença de alguém da superintendência do Incra na cidade


Éder Azevedo
Parte dos sem-terra permanece na frente do escritório Incra
Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ocuparam o escritório do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), na manhã desta terça-feira (30), no Jardim América, em Bauru.
 
Cerca de 30 militantes do Acampamento Recanto do Povo, assentados na Gleba 1 do Horto Aimorés, em Pederneiras, reivindicam a presença do superintendente do Incra, Wellington Diniz Monteiro. Até o momento, os sem-terras permanecem no local.
 
Líder do movimento, Roberto Eurico de Souza Costa disse à reportagem do Jornal da Cidade que o grupo só deixará a sede do Incra em Bauru após conversar pessoalmente com alguém da superintendência do órgão estadual. Eles pedem resposta quanto à negociação de área ao lado do Horto, cuja fazenda, segundo Roberto, possui três nomes: Santa Lúcia, Boa Vista e Água do Cemitério.
 
Os sem-terra, que já estão com cerca de 20 famílias no local, querem a regularização dessa área - em torno de 179 alqueires - para a reforma agrária. “Solicitamos que liberem, ao menos, 40 alqueires na frente da propriedade, onde tem pasto improdutivo, e outros 23 alqueires na parte da plantação de cana”, detalhou Roberto. 
 
A reportagem entrou em contato com o Incra que deve encaminhar uma nota até o final desta terça-feira (30). 

Divulgação
Arruda participou das investigações sobre pagamentos de propina a funcionários da Petrobras pela empresa holandesa SBM Offshore
Convidado como testemunha pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, o ex-gerente de Segurança Empresarial da estatal, Pedro Aramis de Lima Arruda, disse que muitos funcionários são credenciados para ter acesso a qualquer documento da empresa e que é difícil identificar quando alguém dá um "destino indevido" às informações que deveriam ser mantidas em segredo.
 
Arruda fez parte de comissões de investigação sobre irregularidades na Petrobras e confirmou as declarações que fez à Justiça do Paraná, na Operação Lava Jato, afirmando que há indícios de ilegalidades nos contratos.
 
“A comissão identificou cinco indícios que apontavam para uma probabilidade alta de algo errado. O primeiro foi o valor pago em comissões girando em torno de US$ 130 milhões para uma única empresa. O segundo é que a formalização dos pagamentos estava distribuída para mais de uma empresa. O terceiro que algumas empresas estavam em paraísos fiscais”, explicou.
 
Ele contou ainda que documentos sigilosos foram identificados na sede da empresa SBM na Holanda. “Não estariam (na Holanda) se não houvesse facilitação por alguém. Mas usamos os instrumentos de que dispúnhamos e não conseguimos identificar o caminho (desde a sede da estatal até a Holanda)”, disse. Os arquivos, segundo ele, foram salvos em um dispositivo como um pendrive e foram enviados por e-mail pessoal ou impressos e remetidos para a empresa.
 
Arruda participou das investigações sobre pagamentos de propina a funcionários da Petrobras pela empresa holandesa SBM Offshore, denúncias em torno da compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos – que teria levado a prejuízo de cerca de US$ 700 milhões – e da averiguação sobre sobrepreço na construção do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) e já havia confirmado que há indícios das denuncias à Justiça do Paraná.
 
A CPI ainda espera autorização do Supremo Tribunal Federal (STF) para ouvir o dono da empresa UTC, Ricardo Pessoa, que teve a delação premiada homologada na última semana. O empresário é apontado como o coordenador do cartel de empreiteiras que mantinham contratos com a Petrobras. A defesa de Pessoa enviou documento ao colegiado informando que o acordo de colaboração com a justiça é de sigilo e isso impediria que o empresário trouxesse informações para a CPI. Matéria da revista Veja mostrou que ele citou 18 políticos beneficiários de recursos ilegais da UTC durante campanhas eleitorais.
 
Na sessão de hoje, o deputado Hugo Motta (PMDB-PB) disse que enviou ofício ao juiz federal Sérgio Moro, ao ministro do STF, Teori Zavascki, e ao Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, para ter acesso ao conteúdo da delação premiada do empresário.
 
Ainda hoje, os parlamentares da comissão devem ouvir os depoimentos do presidente da Federação Nacional das Associações de Aposentados, Pensionistas e Anistiados do Sistema Petrobras, Paulo Teixeira Brandão, e do vice-presidente da Associação dos Engenheiros da Petrobras, Fernando Leite Siqueira.
 
Na quarta-feira (8) da próxima semana, a comissão realiza acareação entre Pedro Barusco (Serviços) e o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque no dia 8. No dia seguinte, Barusco fica frente a frente com o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto. Com o início do recesso parlamentar, que começa no dia 18 de julho, a CPI fará acareação entre o doleiro Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa.

Veterinário e pedreiro foram flagrados com armamento e prestaram depoimento à polícia


A Polícia Militar Ambiental de Barra Bonita (68 quilômetros de Bauru) flagrou, anteontem, dois pescadores utilizando redes não permitidas durante pesca em trecho do Rio Tietê, que corta o município de Mineiros do Tietê. Os dois foram autuados em R$ 738,00 cada e tiveram barco, motor e redes apreendidos.
Já em Reginópolis (70 quilômetros de Bauru), a PM Ambiental de Bauru, após ouvir disparos de arma de fogo, localizou na residência do veterinário P.P.A. (somente as iniciais foram divulgadas), 35 anos, um revólver calibre 38, 135 munições do mesmo calibre, uma carabina calibre 30 com luneta e 38 munições, um rifle calibre 22 e uma espingarda de calibre 36.
Todo material foi encaminhado para o Plantão Policial da cidade e o homem foi liberado após prestar depoimento.
Caça
O pedreiro P.H.S.S. (somente as iniciais foram informadas), 26 anos, foi surpreendido com uma pistola de pressão quando praticava caça silvestre em Agudos, neste sábado. Ele foi autuado em R$ 500,00 pelo ato da caça. Levado à delegacia, o homem prestou esclarecimentos e foi liberado.
Fotos: Polícia Ambiental/Divulgação
Em Reginópolis, policiais recolheram revólver, carabina, rifle e espingarda
Arma de pressão apreendida em Agudos

Ultimas Notícias

Loading...