Últimas Notícias

Compartilhe

Redação/Catracalivre

A ilha de Aoshima, no sul do Japão, tem um fato curioso. O local, a 30 minutos de barco da província de Ehime, é dominado por gatos, com uma população de felinos seis vezes maior do que a de humanos.
 
 
Os animais foram levados à ilha para acabar com a praga de ratos dos barcos de pescadores. Sem comércio, restaurantes e carros, o local se converteu em um destino turístico para aqueles que amam gatos.
 
 
A Ilha de Aoshima era o lar de 900 pessoas em 1945. Agora, cerca de 20 pessoas vivem ainda no ambiente. O turismo é a principal fonte de rendimentos.
 
 

Foi solicitada restituição do equipamento na Justiça; mandado não é para fechar a emissora


A rádio comunitária FM Integração, de São Manuel (70 quilômetros de Bauru), voltou ao ar após quase 24 horas sem transmissões. Conforme o JC noticiou, a Polícia Federal havia apreendido, na quarta-feira, o transmissor da emissora, em cumprimento de mandado de busca e apreensão expedido pela 1.ª Vara Federal de Botucatu.

Na ocasião, a Justiça apontou indícios de crime de funcionamento clandestino da rádio, uma vez que o sinal estaria sendo transmitido em duas frequências: 87,9 MHz, já registrado em licença, e 98,1 MHz, este último indicado como irregular.  

De acordo com responsável pela rádio, Antônio Ribeiro de Brito, o transmissor confiscado não apresentava irregularidades e havia sido, inclusive, homologado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

“Não poderia descumprir uma ordem judicial, então deixei que levassem o equipamento e a rádio ficou fora do ar temporariamente. No dia seguinte (quinta-feira), consultei meu advogado e protocolamos, junto ao juiz, a restituição do transmissor”, disse Brito.

Ele explica ainda que o mandado de busca e apreensão permitia que o transmissor fosse apreendido. Porém, a denúncia indicava que a rádio está transmitindo em duas frequências e não versava ordem de fechar a emissora. “Isso tudo ainda será investigado. Por isso, instalei outro transmissor, também homologado pela Anatel”, acrescentou.

Em entrevista ao JC na semana passada, Brito contou que a denúncia sobre a FM Integração estar transmitindo em mais de uma frequência teria partido da prefeitura. “É perseguição política. Na gestão passada, por duas vezes o poder público tentou fechar a rádio por questões de alvará de funcionamento. Entrei com processo por danos morais e ganhei. Em 11 anos no ar, está é a primeira vez que a Polícia Federal é acionada para apreender os equipamentos. Um absurdo”, criticou. A reportagem não conseguiu ouvir a prefeitura nessa segunda-feira (30).

O crime ocorreu na semana passada, mas a polícia só tomou conhecimento nessa segunda


Neide Carlos/Arquivo
Delegado José Claudinei Salvadeo vai ouvir a vítima e os dois homens apontados como autores da lesão corporal”
Polícia Civil investiga o caso de um pintor que foi agredido a pauladas na rua 7 de setembro, na Vila Professor Simões, em Agudos (13 quilômetros de Bauru). O crime ocorreu na quinta-feira passada, mas a polícia só tomou conhecimento nessa segunda-feira (30), após comunicado do hospital onde a vítima está internada. Um vídeo que mostra a agressão foi parar nas redes sociais e causou revolta nos internautas.

De acordo com o delegado José Claudinei Salvadeo, o crime foi registrado como lesão corporal grave, mas pode evoluir para gravíssima, caso seja constatado que houve perda de funções ou deformidade permanente. Salvadeo revela ainda que a vítima é Emerson Alexandre da Silva, 33 anos. O pintor está internado no Hospital de Base (HB) de Bauru e, segundo o delegado, passou por uma cirurgia ontem e não corre risco de morte.

“No entanto, Emerson sofreu diversas fraturas no rosto, mandíbula, perna e braço”, narra. O JC entrou em contato com a assessoria de imprensa da Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp), que administra o Hospital de Base, com o intuito de obter mais detalhes sobre o estado de saúde da vítima. Porém, ainda não foi possível conseguir a autorização do paciente para que seja divulgada qualquer informação.

Em relação aos autores do crime, o delegado afirma que são dois homens. Segundo Salvadeo, ambos foram identificados apenas pelo apelido, mas a investigação seguirá no sentido de qualificá-los por completo e ouvir o que eles têm a dizer. Além disso, assim que vítima melhorar, ela passará por exame no Instituto Médico Legal (IML) e também prestará depoimento à polícia.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) abriu nesta terça-feira (31), consulta pública sobre a regulamentação da neutralidade de rede prevista no Marco Civil da Internet, aprovado no ano passado. Pela lei, as empresas provedoras de conexão à rede deverão dar o mesmo tratamento a todos os usuários e clientes, independentemente de pacotes, conteúdo, origem ou destino. 
 
Reprodução Internet
A Anatel abriu nesta terça (31), consulta pública sobre a regulamentação da neutralidade de rede prevista no Marco Civil da Internet
Dividida em seis temas, a consulta abre espaço para que a sociedade opine, por exemplo, sobre quais requisitos técnicos poderiam ser cobrados das empresas do setor para a prestação adequada de serviços e aplicações de internet. As perguntas feitas pelo órgão são abertas a qualquer contribuição, sem dar opções de respostas para os participantes da consulta. 
 
A Anatel também abriu questionamento sobre as relações entre os agentes envolvidos nesses serviços - provedores de aplicações e conteúdos, teles e usuários -, para que a regulamentação do Marco Civil possa combater eventuais práticas anticoncorrenciais no setor. "O objetivo é garantir a isonomia de tratamento entre os diversos agentes do mercado", afirmou o superintendente de Planejamento e Regulação do órgão, Alexandre Bicalho. 
 
A agência questiona ainda qual seria a melhor forma de conduzir a regulamentação da neutralidade de rede, sobretudo na questão da oferta de serviços pelas prestadoras que priorizem determinados pacotes de conteúdos, como mensagens instantâneas ou serviços de vídeos. "Aqui discutiremos que tipo de ofertas podem ser feitas pelas empresas, sem que isso fira o Marco Civil", completou Bicalho. 
 
Na consulta, também se pergunta quais tipos de serviços de emergência poderiam ser considerados exceções à neutralidade de rede. "Em algumas situações, o tráfego relacionado a determinado serviço de emergência poderá ser priorizado pelas empresas", explicou o superintendente. 
 
Por fim, a Anatel ainda quer discutir se prestadora de internet poderia, a pedido do usuário, implantar bloqueios de determinados conteúdos ou aplicações, como jogos, pornografia e redes sociais. "Existem países que permitem isso e outros que até obrigam que essa opção seja ofertada pela própria empresa contratada", completou Bicalho. 
 
As manifestações feitas pelo formulário específico disponibilizado no site da Anatel devem ser encaminhadas até as 24 horas do dia 4 de maio. Já as contribuições por carta, fax ou correspondência eletrônica serão aceitas se recebidas até às 18 horas também do dia 4 de maio.
Um homem foi preso em flagrante após furtar materiais de construção, na segunda-feira (30), em Botucatu (100 quilômetros de Bauru). Segundo a Guarda Civil Municipal (GCM), eles foram acionados para atender a ocorrência.
 
De acordo com testemunhas, um homem havia pulado o muro de uma creche e furtado uma empresa de materiais de construção.
 
Depois de realizar patrulhamento no bairro, os guardas encontraram o suspeito com uma carriola com dois andaimes e um saco de cimento. Ele foi abordado e o dono da empresa reconheceu os itens furtados do estabelecimento.
 
O acusado foi encaminhado à delegacia, onde foi preso em flagrante e os materiais recuperados.

O diretor econômico-financeiro da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Rui Affonso, disse nesta terça-feira (31) que o reajuste de 13,8% na tarifa de água e esgoto autorizado pela agência reguladora "está aquém" do que a estatal avalia ter calculado para repor as perdas com a crise hídrica.
 
Reprodução Internet
Sabesp disse nesta terça (31) que o reajuste de 13,8% na tarifa de água "está aquém" do calculado para repor as perdas com a crise hídrica
"A Sabesp identificou itens a serem revistos em relação ao que a agência reguladora propôs. Nossa visão é que esse aumento está aquém do que tínhamos calculado para garantir o equilíbrio econômico-financeiro da empresa", disse o diretor da companhia durante teleconferência com acionistas, investidores e jornalistas.
 
Na noite de segunda-feira, 30, a Agência Reguladora de Saneamento e Energia de São Paulo (Arsesp) aprovou um reajuste extraordinário nas contas de água e esgoto da Sabesp de 13,8%, dos quais 6,3% são para repor as perdas da companhia com a queda do consumo de água por causa da crise e o aumento do custo com a alta da tarifa de energia elétrica, e 7% de correção inflacionária.
 
Segundo Affonso, a Sabesp não havia pedido um índice específico de reajuste à Arsesp e ainda não avaliou as considerações feitas pela agência na nota técnica divulgada na noite de segunda-feira. "Não temos clareza das divergências do que foi pleiteado e o que foi considerado pela agência", disse Affonso. "Não tínhamos pleito de percentual", completou. Ainda de acordo com o dirigente da companhia, a Sabesp não incluiu no pedido de reajuste extraordinário as perdas de R$ 376 milhões com o bônus concedido em 2014 na conta de clientes que reduziram o consumo de água. "Não pleiteamos o repasse à tarifa do bônus. A Sabesp entende que bônus é uma opção da Sabesp para o enfrentamento da crise e portanto não deve ser repassado", afirmou.

A greve geral de 24 horas, liderada pelo setor de transportes, paralisou uma série de serviços na Argentina nesta terça-feira (31). Até a meia-noite desta terça-feira (31) não devem circular ônibus, trens, metrô e caminhões. A greve afeta também os bancos.
 
Agência ABr
A greve geral de 24 horas, liderada pelo setor de transportes, paralisou uma série de serviços na Argentina nesta terça-feira (31)
Por causa da paralisação, as empresas aéreas TAM, Lan e Gol cancelaram os voos à Argentina ou provenientes do país. A Aerolineas Argentinas avisou, em sua página oficial, que o movimento afetará as operações hoje e amanha (1º) e autorizou os passageiros, com viagens previstas para esses dias, a remarcar os bilhetes até 30 de junho, sem multas ou ajustes. Quem quiser, também poderá receber  reembolso de 100%.
 
A greve teve a adesão dos sindicatos opositores da Central de Trabalhadores da Argentina (CTA) e da Central Geral de Trabalhadores (CGT). Eles pedem a correção do limite de isenção do imposto sobre os salários, que atualmente está em 15 mil pesos, o equivalente a R$ 5,5 mil.
 
Alguns táxis trabalharam, mas bloqueios nas principais vias de acesso às grandes cidades impediram muitos argentinos de ir ao trabalho. As escolas e lojas permaneceram abertas, mas muitos alunos, professores e vendedores não puderam comparecer.
 
Esta é a quarta greve geral enfrentada pela presidenta Cristina Kirchner, que está no final do segundo mandato. As eleições presidenciais serão em outubro, mas ela não pode se candidatar ao terceiro mandato consecutivo.

Vinte e duas pessoas pertencentes a uma mesma quadrilha de tráfico de drogas foram presas durante uma Operação deflagrada pela Polícia Civil, na manhã desta terça-feira (31), em Assis. O esquema da quadrilha era responsável por vender pelo menos cerca de uma tonelada  de maconha - que abastecia tanto Assis quanto cidades da região.
 
Foram vários meses de investigações da Polícia Civil para desarticular o esquema de tráfico de drogas da quadrilha .Para conseguir cumprir os 24 mandados de prisão foram envolvidos 110 policiais civis. Apenas dois dos procurados não foram localizados pela polícia e estão foragidos da Justiça.
 
A operação teve início por volta das 6h da manhã desta terça-feira (31) e encerrou às 11h. 
O resultado do exame toxicológico de sangue coletado no corpo do estudante Humberto Moura Fonseca, 23 anos, morto durante uma festa em Bauru, apontou índice de 4,6 g por litro de sangue, segundo informou o delegado responsável pelo caso, Kleber Granja, durante entrevista coletiva nesta terça-feira (31), em Bauru.

Reprodução Facebook
Humberto Moura Fonseca tinha 23 anos
Como parâmetro de comparação,  o Código de Trânsito Brasileiro, em seu artigo 306, prevê como crime a direção de veículo automotor quando o motorista está sob efeito de álcool etílico em quantidade superior a 0,6 g por litro de sangue.

No último sábado completou um mês da morte do estudante de engenharia da Unesp em uma festa “open bar” com direito à competição de bebidas.

Outros três universitários ficaram hospitalizados em coma alcoólico no dia 28 de fevereiro, após festa em uma chácara no Jardim Ouro Verde, em Bauru. Todos já tiveram alta.

O estudante que morreu teria ingerido, ao menos, 25 copos de vodca antes de passar mal. O inquérito aberto pela Polícia Civil ainda não foi concluído. A sindicância aberta pela Unesp também não.
Jcnet
Da Agência Lusa
As negociações em Lausanne, Suíça, entre a comunidade internacional e o Irã sobre o programa nuclear de Teerã poderão continuar amanhã (1º), caso não haja progresso nas próximas horas, admitiu hoje (31) um oficial do Departamento de Estado dos Estados Unidos. Peritos e diplomatas “trabalham contra o relógio”, informou o oficial.

O anúncio de que a delegação norte-americana pretende ganhar mais tempo surgiu poucas horas antes do fim do prazo estabelecido (à meia-noite de hoje) para alcançar um acordo duradouro sobre o programa nuclear iraniano.

“Nossa equipe está avaliando a situação e tomando decisões sobre qual será o melhor caminho a adotar”, disse o oficial, que pediu para não ser identificado.

Momentos após a divulgação das declarações das autoridades norte-americanas, o negociador da delegação iraniana, Hamid Baidinejad, afirmou que ainda existem várias questões “sem solução”. Ele acrescentou que o Irã está disposto a continuar com as negociações com as grandes potências.

“Estamos focados nas questões que ainda não foram resolvidas. Soluções foram apresentadas pelas partes, feitos comentários, mas o processo deve continuar para alcançar uma solução”, ressaltou o negociador iraniano.

“As negociações acabarão quando as soluções forem encontradas. Estamos prontos para continuar. Não temos hora [para terminar]. Todo mundo pensa que os esforços devem continuar até que seja alcançado um acordo."
Apesar das esperanças iniciais, as negociações entre o grupo 5+1 (Estados Unidos, Rússia, China, França e Reino Unido e Alemanha) e o governo iraniano estão difíceis.

A comunidade internacional suspeita da natureza do programa nuclear do governo do Irã, ao qual atribui ambições bélicas e intenção de fabricar armas atômicas.

O regime iraniano, que é alvo de sanções da Organização das Nações Unidas (ONU) e da União Europeia, sempre negou as acusações, salientando o caráter civil e pacífico do programa.
Agência Brasil
A Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional (CMO) elegeu, hoje (31), a senadora Rose de Freitas (PMDB-ES) para a presidência do colegiado. Escolhida por aclamação, Rose é a primeira mulher a presidir a comissão integrada por 31 deputados e dez senadores titulares e igual número de suplentes. Cabe ao colegiado analisar as propostas orçamentárias do Executivo enviadas ao Parlamento. Entre elas, estão a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e a Lei Orçamentária Anual Geral da União (LOA). 

Brasília - Rose de Freitas (PMDB-ES), candidata à presidência da Câmara dos Deputados
A senadora Rose de Freitas (PMDB-ES) foi escolhida por aclamação para presidir a Comissão de OrçamentoArquivo/Antonio cruz/Agência Brasil
Rose de Freitas, que substitui o deputado Devanir Ribeiro (PT-SP), marcou para a próxima semana reunião da comissão para a eleição dos demais integrantes da mesa. Também na próxima semana deverá ser oficializado o nome do relator-geral do Orçamento. Pelas normas, caberá a um deputado a relatoria da proposta orçamentária. A nova presidenta disse que cumprirá rigorosamente os prazos para apreciação das propostas orçamentárias como a LDO e a LOA. 

“O Orçamento deste ano será votado no prazo certo. Trabalharemos para isso. Não votar as leis compromete as políticas implantadas, a economia dos estados e dos municípios”, disse. A primeira grande matéria a ser analisada pela comissão é a proposta de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que deverá ser encaminhada pelo Executivo à comissão até o próximo dia 15 de abril. A matéria precisa ser votada antes do recesso parlamentar de julho. 

A eleição da senadora Rose de Freitas teve a presença da ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci. A ministra elogiou a escolha de Rose para o cargo e disse que, para as mulheres, a eleição da senadora é um enorme salto na participação política. A deputada integrou várias vezes a Comissão de Orçamento e, segundo os parlamentares que participaram da reunião da CMO, isso a credencia ainda mais para o exercício do cargo. 
Iolando Lourenço
A comissão especial da Câmara destinada a analisar o mérito e dar parecer à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 171-A/93, que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos será instalada na quarta-feira (8) da próxima semana. A comissão foi criada há pouco pelo presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que encaminhará ofício hoje, ainda, aos líderes partidários para que indiquem os integrantes do colegiado. 
Manifestantes a favor e contra a redução da maioridade penal protestam durante sessão na Câmara, que vota a admissibilidade da PEC 171/93, que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Manifestantes a favor e contra a redução da maioridade penal protestam durante sessão na Câmara, que vota a admissibilidade da PEC 171/93, que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos Marcelo Camargo/Agência Brasil
Depois de mais de 22 anos tramitando na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, a PEC teve sua admissibilidade e juridicidade aprovadas pela CCJ por 42 votos a favor e 17 contra. Agora ela passará a tramitar em comissão especial da Câmara. A proposta foi apresentada em 1993 pelo então deputado Benedito Domingos (DF), visando a alterar a redação do Artigo 228 da Constituição, que trata da imputabilidade penal do maior de 16 anos. 

A comissão será composta por 26 deputados e igual número de suplentes, mais um titular e um suplente, atendendo ao rodízio entre as bancadas não contempladas. Ao falar sobre a criação e instalação da comissão no mesmo dia da aprovação da admissibilidade, Cunha ressaltou que, mesmo com a obstrução, ficou claro que a maioria dos deputados é favorável à proposta. “Eu vou dar todo o apoio para que a PEC seja votada o mais rápido possível”, prometeu. 

A comissão especial deverá eleger, na primeira reunião, o presidente e os vice-presidentes e designar o relator. Caberá ao colegiado debater o mérito da PEC, fazer audiências públicas para discutir a mudança da imputabilidade penal, com a redução da maioridade penal, e elaborar um parecer sobre a proposta para ser votada votado pela comissão. Caso aprovada, a matéria será encaminhada à apreciação do plenário da Câmara, em dois turnos de votação. 

Pelo Regimento Interno da Câmara, a comissão tem o direito de discutir a proposta por até 40 sessões plenárias da Câmara. Caso não seja apreciada nesse prazo, a matéria poderá ser discutida por prazo indeterminado. No entanto, o presidente da Câmara poderá avocar a proposta para apreciação em plenário, caso a comissão não consiga deliberar sobre o tema em um prazo razoável. 

A redução da maioridade penal está sendo tratada por 39 PECs, sendo que 38 foram apensadas à principal que foi apresentada em 1993. Dentre as propostas apensadas, por exemplo, há uma que propõe até acabar com a maioridade penal e outra a redução para 14 anos e 12 anos. 

Para a aprovação da mudança constitucional no plenário são necessários um mínimo de 308 votos a três, quintos dos 513 deputados, com votação em dois turnos. Só depois de aprovada, ela vai para apreciação e votação no Senado.

Caso haja deferimento do pedido, a empresa poderá congelar o pagamento das dívidas a fim de renegociá-las


Agência Brasil e Do iFronteira
A OAS, grupo que atua no setor de engenharia e infraestrutura, apresentou nesta terça-feira (31) um pedido de recuperação judicial de nove de suas empresas à Justiça do Estado de São Paulo. A medida tem por objetivo renegociar dívidas, “preservando milhares de empregos diretos e indiretos”, informou a empresa.
Dado Galdieri/Bloomberg
Operário trabalha em construção de ponte da OAS
OAS: Grupo venderá ativos para pagar dívidas e capitalizar seu negócio principal, a construção pesada
Caso haja deferimento do pedido, a empresa poderá congelar o pagamento das dívidas a fim de renegociá-las. Dessa forma, a OAS terá 60 dias para apresentar um plano de reestruturação dos débitos aos credores e fornecedores, que deverão discutir e aprovar a proposta em até 120 dias.
Para dar andamento à reestruturação, a OAS esclareceu ter colocado à venda sua participação na Invepar (24,44%), no Estaleiro Enseada (17,5%), na OAS Empreendimentos (80%), OAS Soluções Ambientais (100%), OAS Óleo e Gás (61%) e OAS Defesa (100%). A empresa negociará também a Arena Fonte Nova (50%), em Salvador, e a Arena das Dunas (100%), em Natal.
“Vamos vender nossos ativos em um processo de recuperação judicial para garantir aos investidores que não correrão risco de ter seu negócio contestado na Justiça pelos credores da OAS”, afirmou, por meio de nota, o diretor de Desenvolvimento Corporativo da Construtora OAS, Diego Barreto.
Além disso, o grupo informou que priorizará os negócios relacionados à construção pesada, representados pela Construtora OAS.
A OAS é alvo da Operação Lava Jato, que investiga desvios e corrupção na Petrobras, resultando na interrupção das linhas de crédito à empresa. Os clientes suspenderam pagamentos e novas contratações e as agências de risco rebaixaram a nota de crédito da empresa, levando ao vencimento antecipado de suas dívidas.
“O setor de infraestrutura depende de financiamento intenso de capital para desenvolvimento dos projetos que dão suporte ao crescimento econômico do país. Desde o início das investigações na Petrobras, as instituições financeiras têm sistematicamente restringido o acesso das empresas aos recursos necessários para manutenção das obras”, ressaltou o presidente da OAS Investimentos, Fabio Yonamine.
O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) informou que, até as 16 horas, o pedido de recuperação judicial não havia sido protocolado.
Na região
A reportagem do iFronteira questionou a Concessionária Auto Raposo Tavares (Cart), nesta terça-feira (31), sobre os desdobramentos do pedido de recuperação judicial da OAS na região de Presidente Prudente.
“O pedido de recuperação judicial da OAS não interfere nas atividades do grupo Invepar, que segue em absoluta normalidade na condução dos seus negócios”, informou a Invepar, por meio de nota oficial.


Fotos: Facebook

Reportagens publicadas nesta segunda-feira no Caderno de Educação do Jornal Estado de São Paulo e no Brasil Post, revelam que estudantes do sexto ano de Medicina da Unesp de Botucatu se vestiram com trajes que lembram a Klu Klux Klan, seita que prega o racismo, para dar um trote em calouros. Neste final de semana fotos deste trote, que aconteceu no início do mês, foram publicadas em uma página do Facebook , que prega a denúncia e o combate aos trotes universitários. Nas imagens, os calouros foram obrigados a ficar ajoelhados.

Em nota a 48º Turma da Faculdade de Medicina de Botucatu afirma que tudo não passou de um erro de interpretação. “A conclusão de que estávamos fantasiados de Ku Klux Kan foi  deduzida pela forma como foram divulgadas as imagens, descontextualizando totalmente a fantasia e inserindo imagens que fizessem com que os leitores chegassem a esta conclusão”, diz a nota negando qualquer associação com a seita KKK e todos os anos uma fantasia diferente é usada, Este ano a fantasia caracterizava o carrasco para "dar um susto" nos novos alunos.

O Brasil Post revela que todos os anos surgem relatos de violências dentro das faculdades de medicina. A Unesp de Botucatu foi uma das citadas textualmente no relatório final da CPI dos Trotes Universitários, realizada entre dezembro de 2014 e março deste ano na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). O presidente desta comissão, o então deputado Adriano Diogo (PT), chamou de “loucura” os relatos que envolveram a instituição do interior paulista.

“É preocupante a situação da mulher nessas faculdades como a Unesp de Botucatu e a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Elas ficam tão segregadas que acontece tanta coisa, talvez tivesse de haver uma CPI específica para as faculdades de medicina. É uma loucura. O Dr. Lotufo (João Paulo Becker Lotufo, que apresentou uma pesquisa na CPI) veio e disse que o filho foi estudar em Botucatu e comentou: ‘tenho medo de perder o menino lá’”, disse Diogo ao Brasil Post.

Alunos da instituição de Botucatu fizeram relatos assustadores aos deputados estaduais da CPI. Entre os crimes e trotes descritos estão denúncias de estupros, a existência da ‘escola do sexo’, para onde meninas são levadas e obrigadas a simular sexo oral, e de outros incidentes cruéis, como os jovens que são obrigados a cavar buracos para serem enterrados e terem de beber.

O presidente da Associação Atlética Acadêmica Carlos Henrique Sampaio de Almeida, que organiza competições e festas dos alunos de Medicina da Unesp de Botucatu, também foi procurado pela reportagem, mas disse que não poderia falar na manhã desta segunda-feira (30). O Centro Acadêmico da faculdade também não se pronunciou sobre o assunto.

Em entrevista à Rede Brasil Atual, a estudante M.B., da Faculdade de Medicina da Unesp de Botucatu e integrante do Coletivo Genis, afirmou que a apologia ao estupro e a misoginia seguem sendo registradas na instituição, mesmo depois da CPI que aconteceu na Alesp. “A maioria das letras (da bateria) é bastante machista, pornográficas, obscenas ou homofóbicas.  Eles ofendem as meninas das outras faculdades, falam que vão estuprar as meninas das outras faculdades”, comentou Marina.

Fonte: Estadão

O que é KKK

Para quem não conhece, a organização Klu Klux Klan, também conhecida como KKK, surgiu nos Estados Unidos ainda no século 19 e, de lá para cá, teve três encarnações, todas criadas para pregar a supremacia branca, lançando mão do racismo, dos conceitos nazistas e práticas de violência armada, notadamente em Estados do sul do país. Em Botucatu, as roupas brancas da KKK foram trocadas por trajes negros.

O uso de roupas da KKK não é novo em trotes universitários. Em 2003, o jornal Folha de S. Paulo publicou uma nota em que dizia que estudantes da Universidade de São Paulo (USP) já lançavam mão do mesmo expediente na recepção de calouros. Veteranos da Veterinária da USP vestidos assim já foram denunciados por obrigarem calouros a tomarem banho com um líquido retirado do estômago de bois, comer grama e rolar em um misto de lama e estrume, vestidos somente com roupas íntimas.

Nota de Imprensa
A Faculdade de Medicina da Unesp, câmpus de Botucatu, publicará, o mais rapidamente possível, Portaria que instaura Comissão de Apuração Preliminar dos fatos ocorridos dia 5 de março em Botucatu.  A Comissão responsável pela Apuração deverá levantar informações, confrontando sua veracidade, obtendo nomes, datas, horários, fiscalizando a existência de câmeras, fotos e requerendo providências que se façam necessárias e que possam resultar em provas substanciais.  Cabe à Comissão de Apuração Preliminar, na conclusão de seus trabalhos, relatar o apurado e verificar se houve alguma infração ao Regimento Geral da Unesp. Nesse caso, será aberta Sindicância, que pode aplicar as sanções previstas no artigo 162 do mencionado Regimento. O Regimento Geral da Unesp está disponível em http://www.unesp.br/portal#!/secgeral

Com Acontece


Agentes civis municipais Pichinin e Zambonato, estiveram na Rua Antônio Fumis, na Vila Antártica para atender a um caso de violência doméstica. No local dos fatos foram informados que um indivíduo estava em desinteligência com seus familiares e teria se apossado de uma faca para matar sua irmã.

Como o agressor não estava mais no local e a versão foi confirmada pela esposa e irmã do acusado,
 os agentes efetuaram patrulhamento pelas imediações e o localizaram em um bar. Na abordagem, segundo relatório dos agentes, ele confirmou que houve a desinteligência e pretendia matar sua irmã.

Os envolvidos nesse entrevero foram encaminhados ao Plantão Policial onde foi elaborado o Boletim de Ocorrência (BO) da Polícia Civil de natureza Lei Maria da Penha, violência doméstica e ameaça, sendo o indiciado recolhido a Cadeia Pública de Itatinga, permanecendo á disposição da Justiça.

Fonte: Acontece
A Secretaria Municipal de Cultura e a Subsecretaria de Turismo promovem na unidade do Poupatempo de Botucatu uma exposição fotográfica em comemoração aos 160 anos da cidade. As imagens foram registradas pelo artista visual Danilo Batista.
 
A mostra que, conta com 30 fotos, terá início hoje e segue no local até dia 18 de abril e faz parte do calendário de atividades em comemoração ao aniversário da cidade.
 
Danilo Batista explica que a exposição tem como objetivo trazer o que é possível encontrar em Botucatu. Além dos pontos turísticos já consagrados como as cachoeiras, a exposição também faz um panorama sobre a cultura e as pessoas que vivem na cidade.
 
“Nas fotos foram utilizadas técnicas variadas, mas sempre com o intuito de re-despertar o olhar de quem mora aqui para a própria cidade. Botucatu oferece muitas cores que passam despercebidas aos olhos da rotina. É preciso redescobrir”, enfatiza.
 
Danilo Batista/Divulgação
Foto de Danilo Batista estará hoje em exposição no Poupatempo

Ele trefegava com a viatura e colidiu contra um Hyundai IX-35


Um policial civil morreu após colidir a viatura em que estava contra um Hyundai IX-35, na manhã desta segunda-feira (30), na rodovia Deputado Leônidas Pacheco Ferreira (SP-304), em Jaú (47 quilômetros de Bauru). O acidente ocorreu por volta das 10h30, na altura do km 304.
 
Segundo as primeiras informações prestadas pelo Policiamento Rodoviário, a vítima, cuja identidade ainda não foi divulgada, teria morrido na hora. Não há informações sobre o condutor do outro carro e nem o que teria provocado a colisão.
 
Equipes das Polícias Civil e Militar Rodoviária, além de viaturas de resgate, estão na local e a pista permanece parcialmente interditada.
 
Acorda Jaú/Facebook 
Um policial civil morreu após colidir a viatura em que estava contra um Hyundai IX-35, na manhã desta segunda (30), na SP-304, em Jaú; no momento, a rodovia estava molhada, não se sabe se ainda chovia. 

Famílias reivindicam processo seletivo para emissão de posse de fazenda


Alex Mita
Josemiro Delgado (dir.) representa cooperativa que apoia as famílias
Cerca de 50 pessoas ocuparam pacificamente o prédio do Instituto BioSistêmico (IBS), prestador de serviços e representante do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), em Bauru, na manhã desta segunda-feira (30)

Quarenta e quatro famílias reivindicam um processo seletivo para emissão de posse da fazenda Maraci II, em Agudos (13 quilômetros de Bauru), que seria realizado em dezembro do ano passado.

Segundo Josemiro Delgado, um dos líderes da cooperativa Radicais Livres, filiada à Federação de Agricultura Familiar (FAF) e à Central Única dos Trabalhadores (CUT), R$ 7,5 milhões teriam sido pagos em juízo em novembro.

Ainda de acordo com informações de Delgado, o IBS estaria inativo por falta de pagamento e com isso diversas atividades teriam sido suspensas, como atendimento veterinário, cursos de capacitação e assistência agronômica às famílias.

O grupo pretende se revezar com outras 80 pessoas, que ainda eram esperadas, e manter a ocupação até ser atendidos.
Marcus Liborio

Um homem de 38 anos foi agredido com vários golpes de facão após uma discussão com o amigo, quando os dois tentavam manter relação sexual em matagal, localizado no bairro Jardim Panorama, em Dois Córregos (80 quilômetros de Bauru).
 
O acusado teria oferecido R$ 50,00 ao colega, mas houve uma confusão no local. A vítima não corre risco de morte e o agressor foi preso após confessar o crime. 
 
De acordo com boletim de ocorrência (BO), registrado na Polícia Civil da cidade, o fato ocorreu na madrugada de domingo (29), na rua Avelino de Almeida.
 
De um orelhão próximo ao local, J.A.S., de 21 anos, telefonou para a Polícia Militar (PM), avisando que teria matado uma pessoa.
 
Ele esperou a chegada dos policiais no telefone público e os levou até a mata, onde J.C.Q. estava caído e desacordado. O homem foi levado por uma ambulância até a Santa Casa da cidade e passou por atendimento médico. O estado de saúde dele é estável.
 
Já o acusado foi preso em flagrante por tentativa de homicídio qualificado e, após prestar depoimento, foi recolhido à Cadeia de Barra Bonita, onde permanece à disposição da Justiça.
 
Proposta
 
Segundo o JC apurou, os dois estariam retornando de um forró, quando um deles propôs o pagamento de R$ 50,00 para manter relação sexual com o colega.
 
No entanto, durante o ato, ele teria tido uma disfunção erétil, o que provocou uma briga. Durante a discussão, a vítima levou vários golpes de facão em uma das mãos e na nuca, chegando a desmaiar.
Ana Borges

Um jovem de 18 anos morreu, no final da tarde de domingo (29), após dar entrada no Pronto-Socorro de Barra Bonita, com suspeita de overdose. Ele residia em Igaraçu do Tietê e foi socorrido e levado ao hospital da cidade vizinha.
 
De acordo com o boletim de ocorrência (BO), a vítima teve uma parada cardíaca causada pelo consumo abusivo de bebida alcoólica e entorpecentes.
 
Um rapaz, que morava junto com o jovem, teria relatado no hospital que a vítima teria bebido, feito uso de entorpecentes como maconha, crack e também ingerido até spray de solda.
 
O caso foi comunicado à Polícia Civil de Igaraçu do Tietê, que instaurou inquérito para investigar o fato, registrado como morte suspeita. O corpo da vítima foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Jaú. 
Por Renato Santino
O Facebook tem uma missão muito clara: conectar todas as pessoas do mundo. É a tecla em que bate Mark Zuckerberg todas as vezes em que ele se apresenta em um evento público. Agora, com mais de 1,4 bilhão de pessoas usando a plataforma, chegou a hora de se perguntar “Para onde vai o Facebook?”.

A cada três meses a rede social atualiza os números públicos referentes aos seus usuários ativos mensais, as pessoas que fazem login na página pelo menos uma vez por mês. E, apesar de vermos um crescimento contínuo, o fôlego parece estar diminuindo. Não à toa: só há mais 1 bilhão de pessoas online que ainda podem se tornar parte da base de usuários, e muitas delas provavelmente já tiveram a oportunidade e decidiram ficar de fora.

As estimativas mais recentes indicam que há cerca de 3 bilhões de internautas no mundo, dentre os quais estão 640 milhões de chineses, que não têm acesso ao site, banido no país.
Portanto, o Facebook precisa recorrer a outras alternativas para seguir crescendo. E isso ficou muito claro com as últimas atitudes tomadas pela companhia e apresentadas na F8.

Levar conexão aonde ela não existeReprodução
Parece ser o próximo foco de Mark Zuckerberg. O projeto se veste como uma fundação sem fins lucrativos que quer levar internet aos lugares mais pobres e afastados, onde não há infraestrutura, mas o Internet.org beneficia diretamente o Facebook.

Durante a F8, a empresa detalhou o Aquila, drone que já está em fase de testes e que será responsável por sobrevoar estas áreas distribuindo sinal de internet sem fio usando lasers. A aeronave não tripulada tem uma envergadura de mais de 30 metros, maior de que a de um Boeing 737. Ele pode voar por meses em altitudes de até 18 quilômetros, abastecido por painéis para captação de energia solar.

Com isso, o Facebook teria um novo grupo de pessoas conectadas que jamais teve contato com a rede social e que poderia ajudar a ampliar exponencialmente sua base de usuários, que passou a crescer em um ritmo pequeno. Claro que isso será revertido também em mais publicidade, o que gera mais receitas para a  companhia

Tem um outro detalhe um pouco mais sinistro neste caso, porém. Sendo o fornecedor de internet para as regiões pobres, o Facebook poderia controlar diretamente o acesso à rede destas pessoas, efetivamente determinando o que elas podem e não podem ver. Nos países onde a Internet.org já está implantada, isso já está em vigor de certa forma: o acesso é grátis a determinados conteúdo de parceiros, normalmente apps educacionais, para busca de empregos, previsão do tempo e informações sobre saúde. Obviamente, o acesso à rede social também está garantido.

Rentabilizar e segurar ainda mais a base atual de usuários
Reprodução
Uma empresa gigante como Facebook não se mantém se suas receitas e seu lucro não continuarem crescendo. Nos últimos anos, a companhia tem feito um trabalho excelente de monetizar sua base gigantesca de usuários, mas se o seu crescimento está desacelerando, é preciso fazer cada uma destas pessoas render mais dinheiro.

Como alcançar isso? Fazendo com que as pessoas não tenham mais que sair do Facebook para nada. Efetivamente, a rede social quer englobar a internet toda.

O modo como a empresa quer fazer isso fica mais claro a cada dia que passa. A estratégia de vídeos do Facebook é simples: a rede social quer mais desse tipo de conteúdo e está disposta a impulsionar violentamente o alcance das páginas e pessoas que publicarem seus vídeos nativamente na rede.

Há alguns motivos para isso, dos quais destacamos dois:
  • Publicidade em vídeo vale muito mais do que um banner no canto da página ou uma imagem patrocinada no seu feed. Mesmo que você ainda não esteja vendo anúncios do tipo, a rede social quer que as pessoas se acostumem com seu feed de notícias em movimento. Esse dia chegará.

  • Uma afronta direta ao YouTube. Conteúdo em vídeo é a febre do momento na internet e, sendo o site de Google a maior plataforma dedicada a este material, isso significa pessoas saindo do Facebook para assistir a alguma coisa em outra página, gerando dinheiro para outra empresa. O novo recurso que permite a incorporação de vídeos em outras páginas da web é outra medida neste sentido. Conteúdo exclusivo para a rede também está chegando.
Essa estratégia também inclui a compra da Oculus VR, a empresa que desenvolve o dispositivo de realidade virtual Oculus Rift. Foi anunciado que a rede social ganhou suporte a vídeos “esféricos”, recurso conhecido no mundo real como gravação em 360 graus. É uma ideia que casa perfeitamente com a proposta da realidade virtual para criar experiências de imersão.

Há ainda o rumor de que grandes sites e jornais digitais poderiam fechar uma parceria para publicar suas notícias e artigos diretamente no Facebook, acabando com a necessidade de clicar em um link externo para ler as informações. É mais um exemplo de como a rede social quer engolir a internet.

Diversificação
Reprodução
Vamos supor que a rede social, o principal produto do Facebook, caia em desuso. Sem problemas (brincadeira, seria um problema gigantesco, mas não sem solução): a empresa ainda controla alguns dos principais aplicativos móveis no mundo. O Messenger, o WhatsApp, e o Instagram garantem que a companhia não perderá relevância tão breve.

A diversificação de negócios garante um controle enorme da informação que é publicada diariamente pelas pessoas conectadas na internet. Estes serviços ainda não são massivamente monetizados pelo Facebook, mas tudo isso vai levar, invariavelmente, a um conhecimento mais profundo de seus usuários, o que acarretará em métodos de arrecadação diversificados.

O mais interessante é ver como a empresa decidiu diferenciar o WhatsApp do Facebook Messenger, vistos como possíveis concorrentes, que poderiam canibalizar a audiência um do outro. No entanto, houve uma guinada interessante na tática do segundo caso, que é a transformação em uma plataforma ampla.

O WhatsApp continuará sendo o mensageiro “arroz-com-feijão” que sempre foi, leve e adequado a todo tipo de usuário no mundo. O Messenger não. O Facebook quer que ele seja usado no comércio eletrônico para integração entre empresas e clientes, que permita a transferência de dinheiro entre amigos, que outros aplicativos conversem com ele para criação de conteúdo diversificado, incluindo áudio, vídeo, GIFs, possibilitando até mesmo a aplicação de efeitos.
Jornal GGN - Em mais um palco, Eduardo Cunha atua forte. O deputado federal pelo PMDB e presidente da Câmara concedeu entrevista ao jornal O Globo, onde ganhou espaço e holofotes para dizer o que bem entende. Destaque para sua fala de que não é oposição nem situação, é o presidente da Câmara. Esta fala é importante, principalmente porque logo depois ele diz que está em guerra contra Janot e com o governo federal, que o colocou no epicentro da crise do Lava Jato. Colocou é um termo estranho. Todos os que foram citados até agora tiveram um tratamento bem diferente por parte de políticos e grande imprensa.
Cunha reconhece ter com governo uma relação ruim, mas nega ser oposição
Ele se diz conservador, bem conservador. Disse também que maioria do Congresso também é, além de uma grande parcela da população. Bom frisar que Michel Temer rebateu algumas das falas de Eduardo Cunha nesta reportagem, dizendo que o PMDB participa sim do governo e o faz com competência. Leia a matéria do jornal O Globo.
Presidente da Câmara admite que a relação de seu partido, o PMDB, com o PT e o governo Dilma é muito ruim
POR MARIA LIMA, ISABEL BRAGA, JÚNIA GAMA E SERGIO FADUL
Eduardo Cunha dá entrevista na residência oficial da Câmara: “Tenho que me comportar como poder independente” - Jorge William / Agência O Globo
BRASÍLIA - O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, tinha ido dormir às 3h da madrugada. Às 8h de quarta-feira, estava de pé na porta da residência oficial para receber O GLOBO. Meia hora antes, na sala decorada com porta-retratos com imagens das quatro filhas, do filho e da mulher, já havia se reunido com o deputado Hugo Motta (PMDB-PB), indicado por ele para presidir a CPI da Petrobras.
Pediu ao garçom uma vitamina, pôs no prato uma fatia de melão — que ficou praticamente intocada —, e passou a discorrer com acidez sobre erros da presidente Dilma Rousseff, mostrando-se bem à vontade na condição de “bicho-papão” do governo e do PT. Fez um resumo da relação do partido dele, o PMDB, com o governo: “Na prática, a gente finge que está lá (no governo). E eles fingem também (que o PMDB está no governo).”
Cunha afirma que seu poder vem do cargo que ocupa e da percepção de que, para chegar ali, ele derrotou o governo e a oposição. Diz achar que Dilma se cercou de pessoas fracas, mas nega que ele e o presidente do Senado, Renan Calheiros tenham tomado o comando do país.
O senhor defende a redução pela metade dos ministérios. É declaração de guerra ao Planalto?
Eu não estou fazendo crise! Os ministros (do PMDB) não têm ministério (relevante). Sempre foi assim. Na prática, a gente finge que está lá (no governo). E eles fingem também (que o PMDB está no governo).
O PMDB tem dito que não quer mais cargos no governo. É real?
Ninguém quer. Para quê? Você acaba apadrinhando, tem que ser tudo técnico, né? Só que é ladrão técnico, não é ladrão político. Eu conheço ladrões técnicos, muitos ficam buscando os políticos, e muitos (políticos) são inocentes e apoiam. Alguns, eventualmente, podem até ter motivos escusos, não vou dizer que só tem santo. Mas, com certeza, esse ladrão não diz para ele o que está fazendo. Fica um monte de pilantra circulando os políticos, pedindo apoio. Para ficar livre do cara, você diz que apoia. E os caras são ladrões, que querem ter apoio para roubar.
A oposição diz que, na prática, quem está governando é o PMDB, e não Dilma...
Quem tem a caneta? É ela. Quem edita medidas provisórias? É ela. Quem libera o Orçamento? É ela. Quem nomeia e indica a cargo? É ela. Então, é ela quem governa. A devolução da MP 669, do ajuste fiscal, pelo Renan, foi um gesto político. Tanto que o governo revogou a MP, para poder mandar o projeto de lei.
O senhor diria que governo está em colapso político e gerencial?
Não diria que ele está em colapso gerencial. Eu diria que ele está em uma inércia de comunicação. Ele pode até estar gerenciando, mas não comunica o que está fazendo. Eu acho que o governo passa a sensação de estar parado. Ou de não ter o que fazer. A Petrobras foi responsável por 1% do PIB de perda este ano. A Petrobras está parada. O Comperj mandou 19 mil embora. Tem gente na rua pedindo esmola lá (em Itaboraí, RJ). Foi embora a perspectiva de o Rio produzir 85% do petróleo do país, e hoje não refina nem 10%, de poder agregar renda, desenvolvimento. E o processo econômico do Rio é dependente do petróleo. Então, o meu estado está em situação complicadíssima. A gente vê essa paralisia em vários lugares. Ela (Dilma) tem que responder a essa paralisia com ação.
Dilma está conseguindo governar?
Não acho que ela esteja parada. Acho é que está todo mundo no meio de uma crise política que não acaba.
De onde veio a crise?
Essa eleição foi muito diferente das outras três eleições do PT. Eles não tiveram hegemnia eleitoral, mas uma vitória apertada. E não entenderam esse processo. A crise começou no dia em que a presidente ganhou a eleição. Ela não disse o que ia fazer com o país. Isso foi gerando a crise política. Ficou claro e nítido que eles estavam fazendo uma opção de enfraquecer a todos nós.
A presidente não soube manter a base política construída por Lula?
Ela tinha a estrutura e não precisava implodi-la. A leitura que foi feita quando veio aquela operação Tabajara, do Kassab (Gilberto Kassab, ministro das Cidades, que patrocina a criação do PL, visto pelo PMDB como uma tentativa de diluir seu poder), que não podia dar certo. Porque não ia achar uma turma de pessoas experientes da política que assistisse isso acontecer. Eu ouvi uma frase ótima outro dia: “Dá 60 deputados para o Kassab para ver se ele não ia ficar igual”. Kassab virou formador de partido.
Formador de partido para barganhar com o governo?
Eu não quero acusar o Kassab. Foi a opção que ele fez e, se deram corda para ele, quem deu a corda é que está errado. Cada um propõe o que quiser. Quem aceita, ou não, é o outro.
Isso influenciou a crise política?
No dia da eleição, ela (Dilma) foi erraticamente discutir reforma política com plebiscito, e optou por esse caminho de formar um partido falso, inexequível. E isso jamais ia ter sustentação política. Ele (Kassab) foi ajudado por todo mundo para fazer aquele partido.
Foi uma tentativa de a presidente ficar mais independente de Lula e do PT?
Eu acho que não foi contra o Lula. Foi contra a gente mesmo, contra o PMDB.
Mas o PMDB já estava independente na Câmara antes de começar a formação desse novo partido...
Mas a independência do PMDB na Câmara foi por outro movimento errado dela. Ali juntaram dois problemas. Do período eleitoral em que o PT queria a hegemonia e não abria mão. O resultado é que Lindbergh Farias acabou em quarto lugar no Rio. Ao mesmo tempo, aquela reforma ministerial da desincompatibilização (substituição dos ministros que deixaram os cargos para se candidatar em 2014), usar aquilo para acerto eleitoral do PT? Reagimos e ficamos independentes.
Essa ação para afastar o PMDB partiu da presidente ou do PT?
Não sei se foi estratégia do círculo dela. Quando você escolhe as pessoas para fazer parte do seu círculo de intimidade, naturalmente escolhe em qual linha atuar. Pepe Vargas e Miguel Rossetto (ministros da articulação política) não estão no padrão de um processo desse tamanho. Você deve colocar pessoas do mesmo tamanho que você ou maiores. É erro de formação de equipe.
Mercadante tem comando?
Eu não convivo naquela intimidade para saber. Ricardo Berzoini (Comunicações) tem uma doutrina ideológica forte, é patrocinador da regulamentação da mídia, da radicalização dos atos políticos e continua no núcleo do processo. Jaques Wagner (Defesa) pode não estar com poder, mas está no bojo da articulação. É mais maleável.
A articulação precisa de alguém que tenha coragem de enfrentar a presidente e dizer onde está errando?
É preciso ter uma articulação que busque a integração de todos e não deixar prevalecer um ponto de vista. Dilma saiu da máquina. É a primeira presidente da República que não foi parlamentar. Ela não conhece o Congresso.
É hora de pôr alguém de fora do PT?
O problema não é ser ou não do PT, mas de comportamento. Briguei com o (deputado) Henrique Fontana durante a minha campanha, porque não pode o líder do governo dar uma coletiva contra mim, líder do PMDB. Eles, às vezes, misturam muito o papel de PT com governo.
O senhor já pensou em assumir a Presidência da República?
Essa pergunta você sabe que não vou responder, não vou cair nessa (risos).
Basta que duas pessoas viajem para o senhor assumir a Presidência.
Para quê? Para ficar lá cinco minutos e só? Vou usar a caneta para quê? Se o Cid (Gomes) ainda fosse ministro, eu podia demitir o Cid. Mas não vou poder nem demitir o Cid.
O senhor é oposição ou governo?
Nesse momento, sou o presidente da Câmara. Não posso me comportar nem como oposição, nem como governo. Tenho que me comportar como poder independente. Preguei na minha campanha que ia ser independente, não ia ser submisso, e que daria governabilidade. Vou cumprir o meu programa.
O senhor divide opiniões. O senhor é anjo ou demônio?
Eu sou o Eduardo Cunha (risos). Não sou nem anjo, nem demônio. Sou coerente com o que falo.
Controla a CPI e impediu a convocação de Fernando Baiano (apontado como operador do PMDB na Petrobras), como dizem seus adversários?
Não é verdade. Quem controla uma CPI? Por mim, pode convocar quem quiser. O que houve foi a conscientização de não trazer pessoas presas para cá. O caso do Renato Duque é diferente, porque ele ainda não estava preso quando o convocaram.
O senhor está tranquilo quanto às acusações dos delatores?
Absolutamente tranquilo. (Meu advogado) falou que o (doleiro) Youssef fala que não me conhece. Que não tem absolutamente nada contra mim. Forçaram a barra do Youssef perguntando de mim, aí ele fala que ouviu do Júlio Camargo. Ele não me acusa de nada. Diz que não me conhece, não sabe nada de mim.
Mas seu nome foi incluído.
A partir de agora, estou em guerra aberta com o (procurador-geral da República, Rodrigo) Janot. Tudo é possível. Vamos ver até que nível que vai. Ele me escolheu. Está muito claro.
É o maior escândalo do país?
Além de ser inacreditável, foi o maior escândalo de corrupção do mundo. O que mais me incomoda é a gente olhar que tem um escândalo desse tamanho e achar que todo mundo está igual. É a percepção que passa quando abre um inquérito para um e para o outro que não roubou.
O senhor acusou o governo de atuar para te incriminar...
Eu já disse que tinha a mão do governo. Já acusei claramente.
O Congresso atual é conservador?
Ele é! O Congresso é conservador na sua maioria porque a sociedade é conservadora em sua maioria.
Eduardo Cunha é conservador?
Sou um político de centro, que acredita no mercado. Busco essa linha. E sou conservador de costumes sim. Defendo a tese da vida e da família. Aborto, todo mundo é contra. A questão não é só evangélica. É católica. Cristãos que defendem a vida.

Ultimas Notícias

Loading...