Últimas Notícias

Compartilhe

Amir Cardoso foi assassinado com golpes de martelo na cabeça; acusados confessaram crime


Um produtor rural de 61 anos foi encontrado morto em sua residência, por volta das 21h20, de sexta-feira (28), em Botucatu (100 quilômetros de Bauru). Amir Cardoso foi assassinado com golpes de martelo na cabeça na cozinha de sua própria casa, que fica no bairro Campo Elíseos, a cerca de 20 quilômetros do centro da cidade. Após denúncia, três pessoas da mesma família foram presas e acabaram confessando que, além de matarem, também roubaram o fazendeiro.
 
Presos por latrocínio, os irmãos, Felipe Giovane Lourenço, de 21 anos, Higor Lourenço, de 19, e o tio deles, Sebastião Lourenço, de 44 anos, foram encaminhados para a cadeia pública de Itatinga. Segundo a Polícia Militar, Higor já tinha antecedente por roubo e Sebastião era procurado por agressão.
 
A vítima foi encontrada sem vida pelos policiais militares após uma denúncia anônima. Os autores do crime foram descobertos algumas horas depois, quando a polícia obteve informações de que Sebastião, vulgo Tião, teria comentado sobre o crime em um bar na cidade.
 
Encontrado em sua casa, o acusado teria negado a autoria, em um primeiro momento, mas, depois, acabou confessando a participação na ação com os sobrinhos, conforme relato da PM.  
 
Além de matarem o fazendeiro, os três são acusados de terem roubado a carteira dele com R$ 400,00, um celular, a chave de uma moto, roupas e cartões bancários. Os cartões da vítima, as roupas e R$ 350,00 foram recuperados pela polícia. 
 

Estadão Conteúdo
Em mais um dia de protestos de caminhoneiros contra o aumento no diesel e pelo reajuste do frete nas rodovias do País, foi registrada neste sábado a primeira morte durante as manifestações. Um manifestante morreu ao ser atropelado por um colega que furou um bloqueio na BR-392, em São Sepé, região central do Rio Grande do Sul.
 
Agência Brasil 
Um manifestante morreu ao ser atropelado por um colega que furou um bloqueio na BR-392, em São Sepé, região central do Rio Grande do Sul
Ao meio-dia, havia 45 bloqueios em rodovias federais de cinco Estados, segundo informou a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Havia interrupção também em rodovias estaduais. Em regiões do Estado de São Paulo, já faltam carne suína e farinha de trigo (mais informações nesta página).
 
A morte do manifestante deixou o clima tenso no Rio Grande do Sul. A vítima, Cléber Adriano Machado Ouriques, de 38 anos, participava do protesto quando um caminhão passou em alta velocidade. Ouriques tentou impedir a passagem, mas o motorista acelerou e acabou atingindo a vítima, que morreu no local. 
 
O condutor fugiu sem prestar socorro. A polícia realizou buscas na região, mas até o fim da manhã não havia localizado o autor do atropelamento. Cerca de 50 pessoas prestaram uma homenagem à vítima às margens da rodovia.
 
Em outras rodovias do Estado, as manifestações também continuavam, apesar da determinação do Tribunal Regional Federal (TRF) para que os bloqueios fossem encerrados. Na manhã de ontem eram registradas 17 interrupções em rodovias federais e 28 em estaduais.
 
A Secretaria-Geral da Presidência da República lamentou a morte de Cléber Ouriques e se solidarizou com familiares e amigos da vítima. Na mesma nota, o governo federal reiterou “compromisso e disposição para o diálogo”. “As propostas anunciadas nesta semana em reunião, em Brasília, entre representantes dos caminhoneiros, empresários e governo são o caminho para a normalização das rodovias.”
 
Centro-Oeste e Sudeste
 
Em Mato Grosso, a PRF relatava cinco interrupções nas rodovias BR-364, BR-163 e BR-070, apesar de a Justiça Federal ter fixado multa de R$ 1 mil por dia para cada motorista flagrado em bloqueios. De acordo com a PRF, 12 pontos de bloqueio foram desfeitos durante a madrugada.
 
No interior de São Paulo, os caminhoneiros acertaram uma trégua com a Polícia Rodoviária Estadual durante a madrugada. Segundo o motorista Romildo Fávero, 37 anos, de Uirapuru, a polícia alegou que não teria efetivo para garantir a segurança dos manifestantes neste fim de semana.
 

Um dia depois de o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, dizer que a desoneração da folha de pagamento foi "grosseira", a presidente Dilma Rousseff disse neste sábado (28),  que Levy foi "infeliz" na declaração e que a desoneração da folha é "importantíssima e continua sendo".
 
Agência Brasil 
Dilma Rousseff disse neste sábado (28),  que Levy foi "infeliz" na fala e que a desoneração da folha é "importantíssima e continua sendo"
Levy anunciou na sexta-feira (27) um pacote de aumento de impostos e redução de benefícios a empresas. Na sexta-feira o ministro fez críticas ao programa de desoneração. "A troca entre a folha e o faturamento não era muito vantajosa", disse. Segundo ele, a "brincadeira" custou R$ 25 bilhões aos cofres públicos.
 
"Se não fosse importante, já teríamos eliminado e simplesmente abandonado. Acho que o ministro foi infeliz no uso do adjetivo", comentou Dilma a jornalistas, pouco antes de participar da inauguração do Parque Eólico Artilleros, em Tarariras, no Uruguai.
 
"O ministro e todos os setores estão comprometidos com a melhoria das condições fiscais do País. A desoneração da folha de pagamento é uma realidade e nós garantimos que haja um reajuste nas condições", declarou Dilma. De acordo com a presidente, a desoneração da folha não é "simplesmente um instrumento de ajuste fiscal". "É um instrumento que vai permanecer. Agora, em certas conjunturas, temos de reajustá-los, ou para cima, ou para baixo", apontou.
 
Questionada se o ajuste fiscal seria um reconhecimento do erros de gestão do primeiro mandato, Dilma respondeu: "Meu querido, quando a realidade muda, a gente muda". Citou o exemplo da tarifa da energia elétrica, que vai subir em média, 23%, a partir da próxima segunda-feira. "A tarifa da energia decorre da chuva. Quando aumenta a chuva, diminui a tarifa, porque entra a energia hidrelétrica. Quando diminui a chuva, diminui a hidrelétrica e aí tem de contratar a térmica, e térmica é mais cara", disse a presidente.
 
Crise
 
Na avaliação da presidente, o Brasil vai sair da crise "mais forte". "O Brasil tem fundamentos sólidos. Passamos dificuldades conjunturais e isso garantirá que o Brasil saia em outro patamar podendo continuar a crescer, garantindo empregos que nós criamos e garantindo renda que nós conquistamos".

Vítima não ficou ferida.
Fugitivos tomavam banho de sol no momento da fuga.


Do G1 Bauru e Marília

A polícia procura por dois presos que fugiram da cadeia de Lutécia, no interior de São Paulo, por volta das 10h deste sábado (28), depois de render um carcereiro.
Segundo informações da polícia, os presos renderam o funcionário durante o banho de sol e fugiram usando uma “teresa” - corda feita com pedaços de pano – para descer pelo muro. O carcereiro não ficou ferido.
A Polícia Militar da região ajuda nas buscas dos presos, mas até o fim da manhã eles não foram presos.
Presos fugiram de cadeia de Lutécia (Foto: Reprodução / TV TEM)Presos fugiram de cadeia de Lutécia (Foto: Reprodução / TV TEM)

Francisco Lessa, de Joinville, estava com bauruense quando foi atropelado e não resistiu


Arquivo JCReprodução/Site Juventude Marxista
Vereador de Bauru Roque Ferreira escapou
do acidente com apenas escoriações
Francisco Lessa durante evento em 2011 em sindicato de Joinville; ele morreu no acidente
Um atropelamento ocorrido na avenida São João, em São Paulo, matou o advogado de Joinville (SC) Francisco Lessa, 58 anos, e causou escoriações no vereador bauruense Roque Ferreira (PT).

Roque e Lessa estavam em São Paulo para participar de uma conferência marxista que seria realizada entre sexta-feira (27) e este sábado (28).

O acidente aconteceu às 21h de sexta-feira (27) enquanto o vereador e o amigo seguiam a pé para um hotel em que ficariam hospedados, após jantarem em um restaurante, que fica a duas quadras do local.

“Ele foi atravessar a avenida em diagonal e não percebeu que o carro estava vindo. Fui tentar puxá-lo, mas não deu tempo, infelizmente”, comenta Roque. “Também fui atingido pelo carro, tive escoriações no peito e no braço, mas estou bem. Fui bem atendido na Santa Casa”, completa o vereador.

Segundo Roque, o motorista do VW/FOX parou e prestou todo o auxílio às vítimas.
Lessa também foi socorrido no Pronto-Socorro da Santa Casa de São Paulo, mas não resistiu aos ferimentos, principalmente na região da cabeça, e morreu por volta das 5h deste sábado.
Lessa e Roque eram amigos há aproximadamente 20 anos.

O advogado, conhecido por sua atuação principalmente na área trabalhista, era um dos fundadores do PT em Joinville. Ele deixa a esposa e uma filha.

Governador foi à cidade para inaugurar duplicação de rodovia.
Manifestantes reclamam de desvio de rodovia pelo bairro.

Do G1 Bauru e Marília
Moradores protestam durante visita do governador (Foto: Gabriele Gabas / TVTEM)Moradores protestam durante visita do governador (Foto: Gabriele Gabas / TVTEM)
Moradores do Jardim Colina Verde em Bauru (SP) protestaram durante a visita do governador Geraldo Alckmin à cidade neste sábado (28).  O protesto foi motivado por causa de uma mudança feita pelo Departamento de Estradas e Rodagens (DER) em um dos acessos à região.
Há pouco mais de um mês, o Departamento de Estradas de Rodagens (DER) interditou a via marginal da Rodovia Cesário José de Castilho (SP-321), a Bauru-Iacanga, para dentro do bairro. Com o desvio, os veículos que saíam da Vila São Paulo e da Pousada da Esperança em direção ao centro de Bauru, são obrigados a passar por dentro do bairro.
Eles reclamam que não há sinalização para orientar o motorista e do aumento do fluxo,que aumenta o perigo de acidentes. No dia 19 de janeiro os moradores queimaram pneus e bloquearam o acesso a Rua José Maciel Ribeiro em protesto. Com cartazes eles tentavam chamar a atenção do DER e do governador.
O governador está em Bauru para a entrega oficial da duplicação da Rodovia Cesário José de Castilho. Alckmin também participa da inauguração do Copom (Centro de Operações da Polícia Militar) e assinará uma autorização de repasse de verba para as Apaes da região de Bauru.
Alckmin inaugura duplicação de rodovia (Foto: Gabriele Gabas / TVTEM)Alckmin inaugura duplicação de rodovia (Foto: Gabriele Gabas / TVTEM)

Estudante cursava engenharia elétrica em Bauru.
Festa "open bar" começou no início da tarde deste sábado (28).

Renata Marconi
Estudante tinha 23 anos e estudava na Unesp (Foto: Reprodução/Facebook)Estudante tinha 23 anos e estudava na Unesp
(Foto: Reprodução/Facebook)
Um jovem de 23 anos morreu em uma festa universitária neste sábado (28) em Bauru (SP) por coma alcóolico. Outras três pessoas estão internadas em estado grave com o mesmo quadro clínico.
A festa era promovida por várias repúblicas de estudantes da cidade. O evento começou no início da tarde e oferecia várias competições envolvendo bebidas alcoólicas.

Ele foi socorrido tempo depois por estudantes que estavam na festa, mas chegou ao pronto-socorro já sem vida.
Segundo a polícia, o jovem Humberto Moura Fonseca bebeu e passou mal na festa, após participar de uma das competições que incentivam a ingestão de bebida alcoólica.
O estudante era de Minas Gerais e estava em Bauru cursando engenharia elétrica da Unesp. O corpo será encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML).
Festa anunciava open bar de várias bebidas (Foto: Reprodução/Facebook)Festa anunciava open bar de várias bebidas
(Foto: Reprodução/Facebook)
Outras cinco pessoas também passaram mal e foram levadas para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA). Um estudante foi liberado, um está na enfermaria e outros três estão em estado grave, dois deles mulheres.
Ainda segundo a polícia, os jovens que acompanharam os colegas embriagados teriam arrumado confusão dentro do local.
O folder da festa destacava que o evento tinha "open bar", ou seja, servia à vontade bebidas como cerveja, vodca, energético, suco de caixinha, pinga de sabor e catuaba.
* Com informações de Gabrielle Gabas / TV TEM.
  •  
Festa fazia competições que incentivam ingestão de bebidas (Foto: Thaís Andreoli / TV TEM)Festa fazia competições que incentivam ingestão de bebidas (Foto: Thaís Andreoli / TV TEM)


Teori Zavascki (STF) negou pedido de liminar do deputado Carlos Sampaio.
Líder do PSDB queria suspender decisão da mesa diretora da Câmara.


Da Redação com informações do G1

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou na noite de sexta-feira (27) pedido de liminar (decisão provisória) do líder do PSDB, Carlos Sampaio (SP), para que fosse suspensa a decisão da mesa diretora da Câmara que autorizou a emissão de passagens aéreas pagas com dinheiro público para os cônjuges de deputados e deputadas.
Zavascki requisitou mais informações à mesa diretora da Câmara e determinou à Procuradoria-Geral da União (PGR) e à Advocacia-Geral da União (AGU) que se manifestem a respeito.
O líder do PSDB poderá agora recorrer da decisão de Zavascki e pleitear que a liminar seja concedida pelo plenário. Além disso, depois que a Câmara dos Deputados enviar informações, o ministro poderá alterar o próprio entendimento ou decidir levar o debate para o plenário do STF.
No pedido, o deputado Carlos Sampaio argumentava que a medida afronta o princípio da moralidade na administração pública. Para ele, a modificação nas regras na emissão de passagens só poderia ter sido feita por meio de projeto de resolução, com voto em plenário.
Na última quarta-feira, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), autorizou, em reunião da Mesa Diretora, aumento em todas as despesas com parlamentares, incluindo verba de gabinete – usada para pagar funcionários –, auxílio-moradia e cota parlamentar, que inclui gastos com passagens aéreas e conta telefônica.
Dentre esses benefícios, está a autorização para que mulheres de deputados, maridos de deputadas e parceiros de parlamentares gays tenham o direito de utilizar a cota de passagens aéreas dos deputados, desde que seja exclusivamente entre Brasília e o estado de origem.
No pedido, Carlos Sampaio requer que o Supremo reconheça que essa alteração nas regras só pode ser feita por meio de projeto de resolução, ou seja, precisa ser votada no plenário da Câmara.
Veja quem são os nobres deputados que representa o povo, ou melhor o povo que compõe a sua família.

Mesa Diretora

A Mesa Diretora da Câmara dos Deputados é responsável pela direção dos trabalhos legislativos e dos serviços administrativos da Casa. Compõe-se de Presidência - Presidente e dois Vice-Presidentes - e de Secretaria, composta por quatro Secretários e quatro Suplentes. Os membros efetivos da Mesa não podem fazer parte de Liderança nem de Comissão Permanente, Especial ou de Inquérito (art. 14 do Regimento Interno).

Presidência

img_representante.jpg
Presidente
Eduardo Cunha
Partido/UF: PMDB-RJ
Detalhes

Waldir Maranhão1º Vice-Presidente>
Waldir Maranhão
Partido/UF: PP-MA
Detalhes
Deputado Giacobo
2º Vice-Presidente
Giacobo
Partido/UF: PR-PR
Detalhes

Secretários

Deputado Beto Mansur1º Secretário
Beto Mansur
Partido/UF: PRB-SP
Detalhes
Deputado Felipe Bornier2º Secretário
Felipe Bornier
Partido/UF: PSD-RJ
Detalhes
Deputada Mara Gabrilli3ª Secretária 
Mara Gabrilli
Partido/UF: PSDB-SP
Detalhes
Deputado Alex Canziani4º Secretário
Alex Canziani
Partido/UF: PTB-PR
Detalhes

Suplentes de Secretários

Deputado Mandetta1º Suplente
Mandetta
Partido/UF: DEM-MS
Detalhes
Deputado Gilberto Nascimento2º Suplente
Gilberto Nascimento
Partido/UF: PSC-SP
Detalhes
Deputada Luiza Erundina3ª Suplente
Luiza Erundina
Partido/UF: PSB-SP
Detalhes
Deputado Ricardo Izar4º Suplente
Ricardo Izar
Partido/UF: PSD-SP
Detalhes
Por Redação M Portal

Os paladinos da moral do congresso contra corrupção da oposição, Aécio Neves, Antônio Anastasia, Aloysio Nunes, Álvaro Dias e todos os senadores do PSDB não assinaram CPI do caso HSBC

Por Redação

Nenhum senador do PSDB assinou a CPI para investigar o escândalo do banco britânico HSBC, mas o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) anunciou no Plenário, nesta quinta-feira (26), ter protocolado o pedido de criação da comissão parlamentar de inquérito do HSBC. Combatentes contra a corrupção os senadores do PSDB, Aécio Neves, Aloysio Nunes Ferreira e Álvaro Dias não assinaram o pedido de CPI.

Ele informou ter conseguido 33 assinaturas, 6 a mais que o mínimo necessário para a criação de uma CPI. Pelo requerimento, a comissão terá 11 membros titulares e 6 suplentes. De acordo com Randolfe, o requerimento para a CPI tem interesse suprapartidário e não se dirige a “fomentar disputas desta natureza”. A intenção, disse o senador, é “desmantelar pela raiz” um grande esquema criminoso.

— Esse escândalo é de dimensão mundial. De acordo com o Financial Times, trata-se do maior caso de evasão fiscal do mundo. É necessário que o Parlamento brasileiro também se manifeste e instaure um procedimento de investigação — afirmou Randolfe.

O líder do PSB, senador João Capiberibe (AP), disse entender como prudente o fato de os senadores assinarem o pedido. Para ele, os escândalos da Petrobras já estão sendo investigados pela Polícia Federal e pelo Ministério Público, motivo pelo qual o partido resolveu esperar a conclusão das investigações.

— A do HSBC não tem processo judicial em curso, não tem investigação em curso, não tem nada. Eu acho que talvez seja o caso de o Senado pensar numa CPI — ponderou Capiberibe.

O senador José Pimentel (PT-CE), líder do governo no Congresso, informou ter assinado o requerimento. Segundo o senador, o Brasil está em um momento de combater a sonegação e de aumentar a formalização nos vários setores da economia, motivo pelo qual a CPI é importante. Para ele, a legislação do sistema financeiro já é muito avançada, mas pode passar por aperfeiçoamentos.

— É exatamente por isso que eu assinei essa CPI. Além de identificar aqueles que cometeram erros, o que eu quero, principalmente, é construir uma legislação para superar essas falhas — afirmou o senador.

Sobre a habitual polarização entre governo e período eleitoral nas CPIs, Pimentel disse esperar que a investigação não se limite a isso. O período, diz o senador, favorece o trabalho da CPI, já que é início de legislatura e as próximas eleições só serão realizadas no ano que vem.

R$ 7 bilhões

Conforme noticiado pela imprensa internacional, o banco HSBC na Suíça atuou de forma fraudulenta para acobertar recursos de clientes, blindando-os das obrigações fiscais e da comprovação da origem dos recursos — práticas que poderiam indicar atividades criminosas.

O escândalo, conhecido como Swissleaks, tem como fonte original um especialista em informática do HSBC, o franco-italiano Hervé Falciani. Segundo ele, entre os correntistas, estão 8.667 brasileiros, responsáveis por 6.606 contas que movimentam, entre 2006 e 2007, cerca de US$ 7 bilhões, que em grande parte podem ter sido ocultados do fisco brasileiro.

Na justificativa do pedido de CPI, Randolfe diz se tratar de “um arrojado esquema de acobertamento da instituição financeira, operacionalizado na Suíça, que beneficiou mais de 106 mil correntistas”, de mais de 100 nacionalidades. O total de recursos manejados dentro do esquema, segundo Randolfe, pode superar US$ 100 bilhões, no período de 1998 a 2007.

Para Randolfe, a lista dos titulares das contas certamente guarda estreita relação com outras redes de escândalos do crime organizado do país e do mundo. O senador lamentou que “o escândalo do Suiçalão” venha sendo sistematicamente ignorado pelos grandes veículos de comunicação no Brasil. Segundo Randolfe, essa seletividade denuncia o envolvimento de personagens poderosos, que podem sempre se servir da benevolência de setores da imprensa.

Corpo de Bombeiros/Divulgação
O animal teria caído dentro da fossa na madrugada desta sexta-feira (27)
Um vaca tumultuou a vida das equipes do Corpo de Bombeiros, na manhã desta sexta-feira (27), em uma propriedade rural, que fica na divisa de Bauru com Pederneiras, em Bauru. O animal caiu em uma fossa séptica com mais de cinco metros de profundidade e, após ser localizada, foram mais de três horas para tirá-la do buraco.
 
O animal foi retirado bastante debilitado e necessitou de atendimento veterinário. Segundo o Corpo de Bombeiros, a vaca teria caído durante a madrugada e foi localizada por volta de 7h. Os funcionários da propriedade rural ainda tentaram resgatá-la, mas, como não tiveram sucesso, acionaram o 193.
 
Equipes do Corpo de Bombeiros conseguiram prender a cabeça e as patas do animal e o retiraram de dentro da fossa. O trabalho de resgate demorou três horas. Começou por volta de 7h30 e encerrou às 10h30.
 
Corpo de Bombeiros/Divulgação
Equipes do Corpo de Bombeiros levaram três horas para conseguir resgatar o animal

TOR/Divulgação
Com a acusada foram apreendidos 530 gramas de cocaína
Uma mulher de 27 anos foi presa em flagrante com 530 gramas de cocaína pela equipe do Tático Ostensivo Rodoviário (TOR), durante uma abordagem de rotina, no quilômetro 314, da rodovia Marechal Rondon ( SP-300), em Agudos (13 quilômetros de Bauru).
 
Segundo os policiais rodoviários, eles abordaram uma van que transportava familiares de presos que seguiam de Piracicaba com destino a um presídio, na cidade de Pacaembu.
 
Durante a revista, dentro de uma tigela para guardar mantimentos, ao invés de comida, havia um pouco mais de meio quilo de cocaína. Questionada, a mulher teria confessado que levaria a droga para o namorado, que é detento. 
 
A acusada foi encaminhada para a Delegacia de Agudos, onde foi presa em flagrante e seria encaminhada a uma cadeia da região.
 
TOR/Divulgação
A namorada disse que estava levando a droga para o namorado dentro do presídio, junto com mantimentos


Reprodução/Zoológico de Bauru/Divulgação
Os profissionais do Zoológico de Bauru abriram a caixa de transporte
e o veado primeiramente demorou para sair
O veado-catingueiro resgatado na tarde de quinta-feira (26), em um terreno baldio do Jardim Vânia Maria, em Bauru, foi solto na natureza com sucesso na manhã desta sexta-feira (27). O animal entrou na cidade possivelmente à procura de alimento e os bombeiros foram acionados.

Eles o cercaram por volta das 13h45 até a chegada de uma equipe do Zoológico de Bauru, que conseguiu fazer a sedação. O veado, um macho jovem, com cerca de 2 anos e 6 quilos, recebeu avaliação veterinária e foi solto nesta sexta em uma área de reserva ambiental. Ele estava bem de saúde e só tinha algumas escoriações na boca.

Os profissionais do Zôo abriram a caixa de transporte e o veado primeiramente demorou para sair. De repente, ele saiu correndo para a mata e até chegou a olhar para trás, como se estivesse agradecendo.

Reprodução/Zoológico de Bauru/Divulgação
 O animal saiu correndo para a mata e até chegou a olhar para trás, como se estivesse agradecendo
A equipe do Zoológico de Bauru que soltou o veado gravou toda a cena. Confira:

Janot afirmou ainda que há 'fatos concretos' que o obrigam a adotar medidas para garantir sua segurança. Esse teria sido motivo de reunião com Cardozo

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, discursa durante solenidade comemorativa dos 10 anos da reforma do Judiciário em Uberlândia (MG) nesta sexta-feira (26)
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, discursa durante solenidade comemorativa dos 10 anos da reforma do Judiciário em Uberlândia (MG) nesta sexta-feira (26) (José Cruz/Agência Brasil/Fotos Públicas)
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou nesta sexta-feira que sua casa em Brasília foi arrombada no fim de janeiro. Ele afirmou que há "fatos concretos" que o obrigam a adotar medidas para garantir sua integridade física, mas disse não saber se o risco está relacionado com algum caso específico, como a Operação Lava Jato. Às vésperas de apresentar a lista com pedidos de investigação contra políticos citados no petrolão, Janot se reuniu na quarta-feira com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, em encontro que não constava na agenda oficial de nenhum dos dois. Segundo a Procuradoria-Geral da República, Cardozo foi ao gabinete de Janot para alertar que o departamento de Inteligência do Ministério da Justiça detectou que a segurança do procurador pode estar ameaçada. Ele sugeriu, por exemplo, que o chefe do Ministério Público deixe de voar em avião de carreira e reforce o efetivo de guarda-costas.
O único órgão de inteligência ligado ao Ministério da Justiça é a Polícia Federal, mas não foi elaborado nenhum relatório sobre ameaças à segurança de Janot - procedimento de praxe nesses casos. Tampouco o procurador solicitou, até a noite de quinta, reforço à Polícia Federal.
"Não sou uma pessoa assombrada. Mas alguns fatos concretos têm me levado a adotar algumas regras de contenção", disse Janot. E citou como exemplo o arrombamento de sua casa no fim de janeiro passado, quando criminosos teriam ficado pelo menos oito minutos dentro de sua residência. "Tinha lá uma pistola .40 com três carregadores, máquina fotográfica e tudo quanto é coisa de valor. E a única coisa que foi levada foi o controle do portão", revelou. "Daí para cá, tenho recebido relatórios de inteligência. E nos relatórios últimos, parece que aumentou um pouquinho o nível de risco. Por isso as precauções", acrescentou.
Na próxima semana, o procurador-geral da República deve apresentar ao Supremo Tribunal Federal (STF) a lista de políticos que devem ser investigados por denúncia de envolvimento no esquema de desvio de recursos da Petrobras, apurado por meio da Operação Lava Jato. Questionado se acredita que o risco que corre teria relação com o caso, Janot foi sucinto: "Não sei. Isso eu não posso dizer".
Ele esteve em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, para participar de ato em repúdio ao atentando sofrido pelo promotor Marcos Vinícius Ribeiro Cunha, atingido por três tiros no último dia 21 em Monte Carmelo, no Alto Paranaíba, por causa de investigação que levou à cassação do mandato do ex-presidente da Câmara municipal Valdelei José de Oliveira.
Janot confirmou que viajou para o município mineiro em uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), evitando voo de carreira. Essa teria sido uma das recomendações feitas pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, em reunião não agendada previamente com o procurador-geral na quarta-feira. Segundo Janot, "com certeza" a reunião foi para falar sobre sua segurança.
Já Cardozo afirmou que foi pessoalmente até a Procuradoria-Geral discutir a criação de uma vice-procuradoria de combate à corrupção. O ministro disse ainda que a reunião já havia sido marcada há algum tempo para tratar de "medidas legislativas de combate à corrupção".


Fonte: Veja (Com Estadão Conteúdo)
Redação Portal IMPRENSA
Perseguições policiais são atrações que dão audiência em telejornais nos EUA. Com um helicóptero, as emissoras de TV norte-americanas dedicam um bom tempo de sua programação para seguir carros roubados ou um motorista fora de controle cruzando o tráfego em alta velocidade, enquanto tentam fugir da policia. Na última quinta-feira (26/2), porém, o foco de uma TV do Arizona era "o drama das lhamas".

Crédito:Reprodução
Emissora acompanhou a fuga das lhamas em transmissão ao vivo
Segundo o Extatime, duas lhamas foram vistas caminhando tranquilamente pelo distrito de Sun City, em Phoenix, capital do Arizona. Os moradores então se mobilizaram para apanhar a dupla de "delinquentes", que não se entregou facilmente. Mesmo encurraladas num estacionamento, as duas conseguiram evadir nada menos do que 12 homens, numa sequência de dribles que lembram uma jogada de futebol americano.

Após 20 minutos de perseguição televisionada, uma das lhamas, de cor preta, foi finalmente capturada. A outra, da cor branca, conseguiu disparar em direção a uma avenida, onde foi enlaçada por um homem a bordo de um carro. A emocionante epopeia das lhamas gerou diversas piadas nas redes sociais, com o assunto "Llama Drama" dominando os trending topics do Twitter por um bom tempo.

Até a rede de TV CNN entrou na brincadeira e trouxe uma "entrevista" exclusiva com Pierre, uma lhama branca parecida com a que movimentou o noticiário durante a tarde. O âncora Don Lemon recebeu o animal - que já está acostumado com os holofotes, após uma participação no humorístico "Saturday Night Live - para falar sobre o caso de sua "colega de espécie".

Assista à perseguição e a entrevista de Pierre:




Por iG São Paulo

Americano tinha 83 anos e foi vítima de doença pulmonar obstrutiva crônica; relembre a trajetória


O ator americano Leonard Nimoy, conhecido pelo papel de Sr. Spock na saga "Star Trek, morreu nesta sexta-feira (27), aos 83 anos. Nimoy sofria de doença pulmonar obstrutiva crônica e tinha sido internado no dia 19 de fevereiro em Los Angeles, na Califórnia.
A morte foi confirmada pela mulher do ator, Susan Bay Nimoy, ao jornal "The New York Times". Ele anunciou no ano passado que sofria da doença, que compromete o funcionamento dos alvéolos do pulmão, e a atribuiu ao cigarro, que largara havia 30 anos.
Nimoy nasceu em 26 de março de 1931 em Boston, Massachusetts, filho de judeus imigrantes da antiga União Soviética. Aos oito anos começou a atuar em um teatro do bairro onde morava e chegou a estudar atuação na universidade Boston College, mas não concluiu o curso. Depois, também estudou fotografia na Universidade da Califórnia.
A estreia no cinema foi em 1951 com "Queen for a Day", e o primeiro papel principal foi no filme "Kid Monk Baroni" (1952). No ano seguinte e até 1955, serviu como sargento no Exército dos Estados Unidos.
Shatner e Nimoy em 'Star Trek'
Divulgação
Shatner e Nimoy em 'Star Trek'
De volta à carreira de ator, fez uma série de pequenos papéis em filmes e séries de televisão tão diversas quanto "Bonanza", "The Twilight Zone", "Rawhide", entre outros.
"Star Trek"
Seu grande papel foi o Sr. Spock na série "Star Trek", da qual participou durante 1966 a 1969 e pela qual recebeu três indicações ao Emmy. O personagem - meio humano, meio vulcano - o transformou em estrela e foi escolhido como um dos 50 mais importantes da história da televisão pela revista americana "TV Guide".
"Star Trek" também rendeu a Nimoy uma longa amizade com o ator William Shatner, intérprete do Capitão Kirk, que servia com Spock a bordo da USS Enterprise.
Nimoy foi responsável pela criação do aceno usado por seu personagem, que une os dedos das mãos e forma uma espécie de "V", um dos principais símbolos de "Star Trek".
O ator repetiria o papel de Spock em várias séries derivadas e em oito filmes, incluindo os dois mais recentes - "Star Trek" (2009) e "Além da Escuridão" (2013) -, de J.J. Abrams. Nos dois casos, a versão jovem do personagem é vivida por Zachary Quinto.
Carreira como diretor
Nimoy dirigiu "Jornada nas Estrelas 3 - À Procura de Spock" e "Jornada nas Estrelas 4 - A Volta para Casa", um dos mais elogiados e bem-sucedidos títulos da franquia.
Leonard Nimoy com Zachary Quinto, que interpreta Spock nos filmes recentes (04/06/2014)
Astrid Stawiarz/Getty Images
Leonard Nimoy com Zachary Quinto, que interpreta Spock nos filmes recentes (04/06/2014)
Como diretor, Nimoy também tem no currículo "Três Solteirões e um Bebê", o filme mais visto de 1987; "O Preço da Paixão" (1988); "As Coisas Engraçadas do Amor" (1990); "Holy Matrimony" (1994); além de episódios de séries de televisão e um curta-metragem.
Depois de Star Trek
Nimoy teve outros trabalhos de destaque depois de "Star Trek", como a série "Missão Impossível", da qual participou entre 1969 e 1971, e o telefilme "Golda" (1998), pelo qual recebeu mais uma indicação ao Emmy.
Também foi apresentador e narrador do programa "In Search of...", que investigava fenômenos inexplicáveis; e teve uma participação em "Os Invasores de Corpos" (1978).
No teatro, esteve em produções de "Oliver!", "Camelor", "Calígula", "Um Violinista no Telhado", "Um Estranho no Ninho", entre outras. Também foi escritor, fotógrafo e músico.
Seu último trabalho na televisão foi a série "Fringe", da qual participou entre 2009 e 2012. 

Ultimas Notícias

Loading...