Últimas Notícias

Compartilhe


Pai e filho foram flagrados pela Polícia Militar (PM) Ambiental, na tarde deste domingo (29), com 48 galos em situação de maus-tratos, em Iacanga (50 quilômetros de Bauru). Os moradores foram autuados com dois autos de infração no valor total de R$ 184 mil.

PM Abiental/Divulgação
PM Ambiental localizou galos em situação de maus-tratos

De acordo com o Policiamento Ambiental, policiais militares foram informados, por meio de denúncia anônima, que no interior de uma residência, localizada no Jardim Primavera, acontecia rinhas de galo.

Os policiais foram até o local e encontraram 48 galos da espécie Índio em gaiolas e duas arenas que indicavam que eram utilizadas para a prática de rinhas, esporas e biqueiras.

Durante a fiscalização não foi flagrada a rinha, mas todos os animais encontravam-se em situação de maus-tratos, sem alimentação e alguns com as esporas cortadas.
Indagados, os dois moradores, pai e filho, confessaram ser os responsáveis pelos animais e alegaram que criavam os galos porque gostavam.

Diante dos fatos, os policiais autuaram os moradores em dois autos de infração ambiental, pois cada um assumiu ser o responsável por certa quantidade de galos. Um recebeu multa no valor de R$ 60 mil por admitir que era responsável por 20 galos e o outro recebeu multa no valor de R$ 84 mil pelos outros 28 galos. A multa é de R$ 3 mil por cada animal.

Ainda de acordo com a polícia, os acusados foram conduzidos ao Plantão Policial, onde foram autuados por crime ambiental. Eles irão responder o processo criminal em liberdade e os galos foram apreendidos pela polícia.

PM Ambiental/Divulgação
Pai e filho foram flagrados 48 galos no interior da residência, no local havia indícios de possível rinha de galos

Policiais do Tático Ostensivo Rodoviário (TOR) apreenderam na noite deste domingo (29), por volta das 20h30, dois quilos e 130 gramas em folhas suspeitas de serem coca, além de R$ 5.880,00 em dinheiro, sem comprovação de origem, durante uma fiscalização em ônibus no quilômetro 192 da rodovia Castelo Branco (SP-280), no município de Pardinho (120 quilômetros de Bauru).

Segundo os policias militares do TOR, a suspeita é que as folhas sejam de entorpecente e que a quantia em dinheiro, que estava com uma passageiro de nacionalidade boliviana, esteja associada ao tráfico de drogas.

Ainda de acordo com policiais, o ônibus saiu de Campo Grande (MT) e seguia com destino à São Paulo, quando foi parado em fiscalização de rotina. O acusado, que não teve a identidade revelada, demonstrou um comportamento apreensivo ao ver os policias e por isso foi revistado.
  
O indivíduo foi encaminhado para o registro da ocorrência na Delegacia de Polícia Civil de Botucatu e depois liberado. Será elaborado um inquérito policial por tráfico de drogas e o material será periciado.

Polícia Rodoviária/Divulgação
Possíveis folhas de coca e grande quantia em dinheiro foram apreendidas com boliviano

Duas adolescentes de 13 e 16 anos, juntas com uma jovem de 22 anos, estariam se prostituindo na tarde desta segunda-feira (30), no quilômetro 301 da rodovia Marechal Rondon (SP-300), a Bauru-Lençóis.

Por volta das 17h, policiais militares rodoviários que passavam pelo local perceberam atitudes suspeitas e pararam para abordar as três. Elas estariam se insinuando para motoristas e confessaram aos policiais que praticavam ali a prostituição.

A jovem e as adolescentes foram encaminhadas à delegacia de Lençóis Paulista (43 quilômetros de Bauru), onde, de acordo com a Polícia Civil,  as três disseram que praticariam sexo sem receber nada em troca. Um boletim de ocorrência não criminal foi elaborado relatando o caso e as menores foram liberadas às respectivas famílias, que compareceram para se responsabilizarem. A jovem de 22 anos foi liberada.

Ainda, de acordo com a Polícia Militar Rodoviária, a adolescente de 13 anos disse que sua mãe já estaria ciente da situação anteriormente à ocorrência.

Dois adolescentes, ambos de 16 anos, foram detidos após serem flagrados com grande quantidade de maconha, na noite deste domingo (29), em Lençóis Paulista (43 quilômetros de Bauru). De acordo com a Polícia Militar (PM), o fato aconteceu por volta das 22h.

PM/Divulgação
PM apreende mais de quatro quilos de maconha; dois adolescentes foram detidos

Uma equipe policial patrulhava pelo bairro Nova Lençóis, quando, próximo à praça esportiva, observou que três adolescentes, conhecidos nos meios policiais por tráfico de drogas, apresentaram atitudes suspeitas. Os militares os abordaram e durante buscas encontram 120 porções de maconha com um deles.

Em seguida, os PMs foram até a residência de um dos adolescentes, localizada no bairro Júlio Ferrari, e encontraram 44 porções de maconha, todas prontas para venda. Logo após, os militares foram até a casa do outro adolescente, localizada na rua Venezuela, Jardim das Nações, e apreenderam mais 13 tijolos de maconha, pesando 4,200 Kg.

Ainda de acordo com a polícia, os militares também foram na residência do terceiro adolescente, mas nada de ilícito foi encontrado.

Diante dos fatos, os dois adolescentes, que foram flagrados com as drogas, foram encaminhados para o Plantão Policial e autuados em flagrante por tráfico de drogas. Os dois estão à disposição da Vara da Infância e Juventude e os entorpecentes foram apreendidos pela polícia.

Luiz Fernando/Acontece Botucatu
Dois operários ficaram soterrados após barranco desmoronar em obra no Centro de Botucatu
Dois homens foram soterrados enquanto trabalhavam em uma obra na área central de Botucatu (100 quilômetros de Bauru), na manhã desta segunda-feira (30). Os operários trabalhavam na construção de um prédio, localizada na rua Major Moura Campos, quando o barranco desmoronou.

Luiz Fernando/Acontece Botucatu
Corpo de Bombeiros foi acionado para socorrer as vítimas
De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o acidente aconteceu por volta das 10h30. As vítimas, cujas identidades ainda não foram divulgadas, estavam na parte debaixo da construção para realizarem escavação e construírem um muro, quando, por motivos a serem apurados, o barranco cedeu e deixou os funcionários com metade dos corpos soterrados.

Testemunhas que viram o acidente acionaram uma equipe de bombeiros, que foi até o local e resgatou os operários. “Encontramos os operários com metade dos corpos soterrados em aproximadamente 1,5 metro de profundidade. Fizemos o regate por meio de uma pá de escolta, que permite com que retiremos a terra  para estabilizar o local e socorrer as vítimas”, contou o sargento Geraldo Barboza, que esteve no atendimento da ocorrência.

Os dois foram socorridos conscientes e encaminhados para o Hospital das Clínicas da Unesp. Um deles não ficou ferido e o outro sofreu lesões na coluna, mas não houve fraturas e os ferimentos não foram graves.

Ainda de acordo com o sargento Geraldo, o barranco fazia divisa com uma residência e, com o desmoronamento, a casa vizinha ficou exposta. “A Defesa Civil interditou o imóvel, pois, após o desmoronamento, ele ficou exposto e apresenta riscos aos moradores. A casa ficará interditada até que toda a terra seja retirada e um muro seja construído”, explicou o policial.

A ocorrência será registrada na delegacia de Botucatu e as causas do acidente serão investigadas.
Luiz Fernando/Acontece Botucatu
O acidente aconteceu por volta das 10h30, na área central de Botucatu. As causas do desabamento serão investigadas pela polícia

Com a debandada, Alexandre Padilha perde 1 minuto e 30 segundos de exposição na propaganda eleitoral. Pesquisas mostram que o petista patina na casa dos 3% de intenção de voto

Felipe Frazão
Maluf e Padilha conversam na cerimônia em que o deputado anunciou apoio do PP à candidatura do petista em SP
O abraço do ex-prefeito Paulo Maluf, do PP, com o candidato do PT ao governo de São Paulo,Alexandre Padilha, não durou sequer até o início da campanha eleitoral. Nesta segunda-feira, último dia fixado pela Justiça Eleitoral para a realização das convenções partidárias, a seção paulista do PP oficializou seu desembarque da chapa petista para apoiar a candidatura rival de Paulo Skaf, do PMDB.
“A Executiva Estadual do Partido Progressista em São Paulo, presidida pelo deputado federal Paulo Maluf, decidiu hoje, dia 30 de junho, por maioria absoluta, apoiar a candidatura de Paulo Skaf ao Governo de São Paulo", diz a nota do partido.
Apesar de ter anunciado a aliança com Padilha, o PP de Maluf cobrava que o PT cedesse espaço em uma chapa conjunta para as eleições ao Legislativo. O PP chegou a estipular prazo até as 17 horas desta segunda-feira para que o PT decidisse se aceitaria ou não uma coligação proporcional com os candidatos a deputado pela legenda. Mas não houve acordo. A direção nacional do PP, que comanda o Ministério das Cidades, já foi informada sobre a adesão à candidatura de Paulo Skaf.
Com a debandada, Padilha perde precisoso 1 minuto e 30 segundos de exposição na TV durante o horário eleitoral gratuito. Ele deve ficar com apoio apenas do PR e do PCdoB. A saída do PP frustra uma das principais estratégias do ex-presidente Lula para ver a candidatura de seu "terceiro poste" decolar em São Paulo. Lula tentava repetir a engenharia de 2012, quando Maluf fechou com seu candidato à época, o prefeito eleito Fernando Haddad. O PT também avalia que o tempo maior de exposição na TV é crucial para tentar promover a imagem de Padilha no interior paulista, que tem histórica resistência ao partido.

Segundo a última rodada de pesquisa do instituto Datafolha, Padilha tem apenas 3% das intenções de voto, ante 21% de Skaf. O governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tentará a reeleição, marca 44%. Mais cedo, Skaf já havia comemorado a adesão do PP: "Foi uma surpresa. Desde sexta-feira eu ouvia falar de movimentos do PP, mas não estava acreditando. Agora me avisaram que o senador Ciro Nogueira [presidente nacional do PP] havia anunciado que, quase por unanimidade, a base do PP manifestou apoio à nossa candidatura", disse Skaf, na convenção do PSD em São Paulo, que formalizou a aliança com o partido e a candidatura ao Senado de Gilberto Kassab.
Leia na íntegra a nota da Executiva Estadual do PP:
A Executiva Estadual do Partido Progressista em São Paulo, presidida pelo deputado federal Paulo Maluf, decidiu hoje, 30 de junho, por maioria absoluta, apoiar a candidatura de Paulo Skaf ao Governo de São Paulo. A coligação será feita tanto na chapa majoritária como na proporcional para deputado federal e estadual. Também participaram do encontro o 1.º vice-presidente do PP, deputado federal Missionário José Olímpio, o secretário geral, Jesse Ribeiro, o 2.º secretário Fauze Hamuch, e demais integrantes da Executiva Estadual.

Volante francês, que vinha sendo contestado na Copa, é o melhor jogador em campo na vitória da França sobre a Nigéria: 'é um dos melhores momentos da minha vida'

Por Brasília
Aos 21 anos, Paul Pogba é um dos jovens talentos do futebol francês. O volante do Juventus, da Itália, sempre teve a confiança do técnico Didier Deschamps, mas ficou devendo grandes atuações na primeira fase e vinha recebendo críticas. Foi barrado contra a Suíça. Voltou ao time no empate com o Equador. E entrou em campo para enfrentar a Nigéria pressionado. Na véspera da partida, sua escalação foi contestada. Mas nada como responder na bola. Foi dele o gol do alívio, que abriu caminho para a vitória dos Bleus sobre a Nigéria por 2 a 0, nesta segunda-feira, em Brasília, e garantiu a classificação francesa para as quartas de final. No fim, Pogba ainda foi eleito o melhor jogador em campo pela Fifa.
Em campo, Pogba lutou como um verdadeiro guerreiro. Jogando mais pelo lado direito, foi incansável. Correu 10.037m durante toda a partida. Recuperou quatro bolas, arriscou três chutes a gol. Parecia que o grito “Allez les Bleus” (Vamos azuis!) da pequena, mas barulhenta torcida francesa o empurrava. O primeiro tempo estava truncado, sem grandes oportunidades. Foi quando o volante recebeu no meio e viu Valbuena livre pela direita. Pogba correu para a área e recebeu o passe. O voleio de primeira, em que a bola alcançou 87,7km/h, tinha tudo para se transformar em um dos mais belos gols desta Copa do Mundo. Mas no caminho do francês havia Enyeama, o goleiro nigeriano que parecia estar iluminado. Uma defesa espetacular. E Pogba, com a mão na cabeça e depois mordendo a camisa de raiva, parecia pensar como aquele gol poderia levar todas as críticas para longe.
Pogba marca e é reverenciado pelos colegas França x Nigéria (Foto: Getty Images)Pogba sendo abraçado pelos companheiros após marcar o primeiro gol da França contra Nigéria (Foto: Getty Images)

Veio o segundo tempo e a Nigéria tinha mais volume de jogo. A partida só começou a mudar depois dos 30 minutos. Griezmann entrou  no lugar do apagado atacante Giroud. E a Nigéria perdia Onazi, machucado, que fazia uma grande partida. Mas do outro lado ainda havia Enyeama, que quando não fazia grandes defesas, ainda contava com a trave como aliada ou com os companheiros, que por duas vezes tiraram a bola quase em cima da linha. 
O tempo passava. O relógio já marcava 34 minutos do segundo tempo. Mas quis o destino que o goleiro, então o destaque da partida e que havia evitado o tão esperado gol de Pogba no primeiro tempo, entregasse para ele a bola de mão beijada após uma saída errada do gol. Era só tocar de cabeça e sair para comemorar. Era o gol do alívio. Para a França, que via o jogo ganhar ares de dramaticidade. E para Pogba, que naquele momento sabia que as críticas dariam uma trégua. 
Namorada de Pogba França x Nigéria (Foto: Getty Images)Namorada de Pogba na torcida (Foto: Getty Images)
- Nem tenho o que falar. Há todo o país atrás da gente nos apoiando. Fazer esse gol nos libertou. Estou feliz pelo time e pela França inteira, não tenho palavras - revelou.
Sensação de felicidade também na arquibancada, onde a namorada do volante francês torcida para os Blues. O gol de Pogba deu tranquilidade para a França, que passou a administrar os minutos finais. Afobada, a Nigéria se perdeu. Desde o dia 22 de março de 2013, quando fez sua estreia na seleção francesa, Il Polpo Paul ("O Polvo Paul" em italiano, apelido que ganhou no Juventus) jogou 14 vezes pelos Bleus. Mas nenhum foi tão especial como este contra a Nigéria. 
- Fazer um gol pelo meu país, em um jogo importante como esse, em que passamos para as quartas de final da Copa do Mundo é meu sonho. Realmente, é um dos melhores momentos da minha vida - disse. 
Um reconhecimento que vem também da torcida. O termo “merci Pogba” (“obrigado, Pogba”, em português) foi um dos mais citados pelos usuários das redes sociais em todo o mundo logo após a partida. Yohan Cabaye mostrou que os companheiros de seleção também comemoraram a boa atuação e a 'resposta' do camisa 19 aos críticos. 
- Foi bom ele ter feito um gol e nos ajudado. Ele estava sendo injustamente criticado ultimamente e respondeu em campo - disse o jogador do PSG, após a partida no Mané Garrincha.
O que importa para Paul Pogba e para a França é que a caminhada continua. A julgar pela trajetória do camisa 19, os obstáculos durante o percurso não serão um problema. Confiança, pelo visto, não falta. Sobre um possível duelo contra o Brasil na semifinal, ele parece provocar. O jogador de 21 anos garante ter boas lembranças da vitória francesa na final da Copa de 1998.
- Eu me lembro que quando era menino vi a final entre França e Brasil. E ganhamos... Sempre tem essa rivalidade entre França e Brasil. Para mim seria um prazer enfrentar o Brasil aqui, na casa deles, na Copa do Mundo.
.
SÃO PAULO (Reuters) - O governo federal anunciou nesta segunda-feira que decidiu manter como estão, até o fim deste ano, as alíquotas reduzidas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre veículos novos.
O IPI sobre veículos de até 1 mil cilindradas continuará em 3 por cento até o fim de dezembro e não retornará à alíquota normal de 7 por cento, como estava previsto para ocorrer a partir de 1o de julho.
Para veículos flex com motores de 1 mil a 2 mil cilindradas, a alíquota continuará em 9 por cento, em vez de ser elevada para 11 por cento. No caso dos veículos com motores até 2.0 a gasolina, o IPI seguirá até o fim de dezembro em 10 por cento e não será mais elevado para 13 por cento.
Nos comerciais leves e nos veículos utilitários para transporte de carga, a alíquota será mantida em 3 por cento, em vez de passar a entre 4 e 8 por cento.
A decisão do governo, anunciada pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, ocorreu diante da fraqueza do setor automotivo neste ano, cujas vendas de carros e comerciais leves até sexta-feira passada acumularam queda anual de 8 por cento.
No início de junho, Mantega chegou a afirmar que haveria aumento do IPI sobre veículos a partir de julho, mas acrescentou na ocasião que o tamanho da alta dependeria da situação do setor automotivo.
O governo usou pela primeira vez o recurso do IPI menor sobre veículos para mitigar os efeitos da crise econômica global de 2008 e 2009 sobre o setor automotivo, que representa cerca de 25 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) industrial do Brasil.
Depois de ter sido recomposta, a alíquota do IPI sobre automóveis e comerciais leves foi novamente reduzida no fim de maio de 2012, com a finalidade mais uma vez de aquecer o consumo e estimular a economia. As alíquotas voltaram a ser elevadas no começo do ano passado e deveriam retornar aos níveis normais agora em 1o de julho, o que não ocorrerá.
Segundo o Mantega e o presidente da associação de montadoras de veículos Anfavea, Luiz Moan, a decisão desta segunda sobre as alíquotas do IPI foi decidida sob o compromisso do setor em manter o nível de emprego.
O governo Dilma Rousseff já adotou mais de 20 medidas de estímulos à economia desde 2011, com grandes renúncias fiscais e que não tiveram grandes efeitos. No ano passado, a economia brasileira cresceu 2,5 por cento e, para este ano, a projeção de economistas é de que a expansão fique próxima a 1 por cento.
Neste ano, até maio, a renúncia fiscal sonou 42,087 bilhões de reais, muito acima dos 28,642 bilhões de reais em igual período de 2013.
Segundo Mantega, a manutenção das alíquotas do IPI sobre veículos novos implicará em renúncia fiscal de 800 milhões de reais no segundo semestre, mesmo nível da primeira metade do ano.
Junto com o mau desempenho da economia, que tem afetado a arrecadação federal, a renúncia fiscal tem colocado em xeque o cumprimento da meta de superávit primário neste ano, abalando a confiança de agentes econômicos.

(Por Patrícia Duarte e Aluísio Alves)

Passageiros conseguiram sair antes das chamas se espalharem. 
Foto foi enviada por internauta pelo aplicativo TEM Você.

Do G1 Bauru e Marília
Veículo pegou foto ao parar no semáforo, segundo testemunha (Foto: Ricardo Bragiato/TEM Você)Veículo pegou foto ao parar no semáforo, segundo testemunha (Foto: Ricardo Bragiato/TEM Você)
Um internauta flagrou um carro em chamas na tarde deste sábado (28), em São Manuel (SP). De acordo com informações do publicitário Ricardo Bragiato, que enviou a imagem pelo aplicativo TEM Você, o veículo estava parado no semáforo da rua São Luiz, na Vila Santa Terezinha, quando começou a pegar fogo.
Ainda não há informações sobre as causas do incêndio, mas ele afirma que as pessoas que estavam no carro conseguiram sair ilesas minutos antes das chamas se espalharem. O veículo, que tinha acabado de sair da oficina, segundo Guarda Civil Municipal, ficou destruído. A GCM foi acionada para orientar o trânsito e isolar a área. Ninguém ficou ferido.
Tossiro Neto, enviado especialRio de Janeiro (RJ)
Sem Luis Suárez, suspenso de nove jogos pela mordida no italiano Giorgio Chiellini, o Uruguai foi um adversário dócil para a Colômbia, no fim da tarde deste sábado, no Maracanã. Perdeu por 2 a 0, com dois belos gols de James Rodríguez (agora artilheiro da Copa do Mundo com cinco), e se tornou a quarta das oito seleções campeãs a ser eliminada de forma precoce do torneio, juntando-se a Espanha, Itália e Inglaterra. Já os colombianos avançam para enfrentar o Brasil, nas quartas de final.
De volta ao palco em que ganharam o título de 1950 (seu segundo e último até aqui), sobre o anfitrião Brasil, os uruguaios não repetiram o feito exitoso de seis décadas atrás, historicamente conhecido como Maracanaço. Pelo contrário: foram surpreendidos por uma seleção que passa das oitavas de final pela primeira vez na competição. E que tentará mais um passo diante justamente dos anfitriões, os quais, mais cedo, passaram nos pênaltis pelo Chile.
O novo duelo sul-americano ocorrerá em Fortaleza, às 17 horas (de Brasília) de sexta-feira, quando o técnico José Pekerman buscará pôr em prática de novo o que se viu neste sábado. Como ele havia prometido na véspera, a Colômbia foi um time maduro, que impôs seu estilo de jogo e abriu o placar, o que lhe possibilitou deter a bola em seu campo de defesa por bastante tempo, com direito a gritos de "olé", ainda na primeira etapa.
Fernando Dantas/Gazeta Press
Uruguai e Colômbia prometiam um duelo sul-americano de muito equilíbrio no Maracanã...
Até lá, porém, precisou não se acovardou diante das entradas duras nos primeiros lances, a maioria delas praticada por Álvaro Pereira. O lateral esquerdo uruguaio definiu o meia Juan Cuadrado como seu alvo e lhe deu um tranco pelas costas com um minuto de bola rolando. Na jogada seguinte, acertou a panturrilha direita do colombiano, e o árbitro assinalou falta sem cartão amarelo.
A escolha de Álvaro Pereira não era em vão. Cuadrado seria o jogador mais perigoso da Colômbia até o intervalo. E, pela marcação agressiva que recebia, foi orientado por Pekerman, depois dos 20 minutos, para jogar mais pelo lado oposto do campo. Antes disso, conseguiu passar pelo marcador mais uma vez com facilidade antes de cruzar à meia altura e ver a defesa rival afastar da área.
Enquanto tinha ajuda dos zagueiros, o goleiro uruguaio Fernando Muslera se saía bem. Mas bateu um arremate de longa distância de Zuniga para que ele soltasse a bola dentro da área e fosse obrigado a fazer a defesa em dois tempos. Um rebote não aproveitado, mas que passouconfiança aos colombianos para arriscar em direção à meta adversária, qualquer que fosse a distância.
Foi o que fez James Rodríguez aos 27 minutos. Após receber lançamento próximo da meia-lua, ele ajeitou a bola no peito, de costas para o gol, e bateu de primeira, de perna esquerda. A bola passou pela mão direita de Muslera e tocou o travessão antes de se concluir um dos gols mais bonitos do Mundial. O quinto gol do camisa 10 colombiano em quatro partidas disputadas.
O Uruguai tentou responder três minutos depois, em um cruzamento de Edinson Cavani que foi afastado pelos zagueiros. Até então, a única finalização que havia merecido atenção foi um chute de longa distância de Diego Forlán, longe das traves de David Ospina. Desfalcados de Suárez, os bicampeões mundiais estavam sem apetite e só mostravam raiva para polêmicas. Como a que protagonizou Forlán, aos 37, depois de uma dividida com Mario Yepes dentro da área. Ele revidou o tranco, e os dois acabaram repreendidos.
Fernando Dantas/Gazeta Press
...mas James Rodríguez, camisa 10 colombiano, fez a diferença e desequilibrou para sua seleção
Na jogada seguinte à confusão, após cobrança de escanteio, Cavani tentou desviar de cabeça um chute cruzado de Álvaro González, da entrada da área, mas Ospina fez a defesa e contou com ajuda ainda de marcação de impedimento. O goleiro também foi ajudado pelos próprios uruguaios, que o deixavam prender a bola nos pés para ganhar tempo. Após muita cera, Cavani o apertou e cobrou Forlán por não tê-lo feito.
A maior posse de bola na primeira etapa (63% contra 37%) seria igualmente premiada no retorno do intervalo. Aos quatro minutos, a Colômbia pôs o Uruguai na roda, com uma bela troca de passes iniciada por James Rodríguez, na meia direita. Ele tocou na esquerda e correu para o meio da área, onde receberia novamente – em cabeceio do talentoso e tão importante quanto Cuadrado – para chutar de primeira e ampliar a vantagem no Maracanã.
Ferido, o técnico Óscar Tábarez tentou encontrar antídotos no banco de reservas e fez logo duas alterações: Christian Stuani entrou no lugar de Forlan, e Gastón Ramírez substituiu Álvaro Pereira. O Uruguai, contudo, não deu mais sinais vitais dentro de campo, morrendo na praiana Rio de Janeiro, onde já fez festa em um passado remoto.

Turistas com drogas foram flagrados na entrada da Fifa Fan Fest


Agência Brasil 
Foto: Reprodução
Estrangeiros presos com drogas
Estrangeiros presos com drogas
Um norte-americano, um peruano e um equatoriano foram presos hoje (28), em Belo Horizonte, pela Polícia Militar de Minas Gerais. O norte-americano, segundo o órgão, foi preso na entrada da Fifa Fan Fest por porte de maconha, mas as razões das outras prisões não foram informadas pela polícia.
Segundo o órgão, além dos três estrangeiros, 12 pessoas foram presas neste sábado, dia em que a seleção brasileira enfrentou o Chile na capital mineira. Os locais e motivos das prisões não foram divulgados, mas a PM informou que as atividades programadas para a cidade transcorreram “de forma pacífica e ordeira”, inclusive a manifestação, durante a tarde, na Praça Sete.
A polícia divulgou ainda que 21 mil pessoas se reuniram neste sábado na Fifa Fan Fest, no Expominas, enquanto 20 mil torcedores acompanharam o jogo do Brasil na Savassi, reduto de bares e restaurantes na capital mineira. Segundo a PM, aproximadamente 12 mil policiais estão de serviço.
O técnico Luiz Felipe Scolari avisava, antes mesmo da Copa do Mundo, que não gostaria de enfrentar o Chile no mata-mata. A preocupação foi justificada no início da tarde deste sábado, no Mineirão. A Seleção Brasileira só superou o rival sul-americano por 3 a 2 na disputa de pênaltis após um empate por 1 a 1 no tempo regulamentar da partida. O goleiro Júlio César, vilão no Mundial passado, defendeu as cobranças de Pinilla e Alexis Sánchez e viu Jara chutar na trave. Pelo Brasil, Willian bateu para fora e Hulk desperdiçou, mas David Luiz, Marcelo e Neymar converteram.
Ofensiva no início do dramático confronto em Belo Horizonte, a Seleção abriu o placar com o zagueiro David Luiz, após cobrança de escanteio de Neymar. Permitiu o empate do Chile ainda no primeiro tempo, quando o atacante Sánchez tirou proveito de uma bobeada do esforçado Hulk. Nos minutos que se seguiram com a bola rolando, o time foi pouco criativo e ainda sofreu alguns sustos, como em um chute no travessão, de Pinilla, a um minuto dos pênaltis.
Ainda que sofrido, o resultado ampliou o retrospecto favorável do Brasil sobre o Chile em Copas do Mundo. Antes, o time nacional havia vencido por 4 a 2 nas semifinais de 1962, na casa do oponente, com uma grande atuação de Garrincha (autor de dois gols, assim como Vavá). Os outros dois confrontos também foram válidos por oitavas de final – 4 a 1 em 1998, com César Sampaio e Ronaldo anotando duas vezes cada, e 3 a 0 no Mundial passado, através de Robinho, Juan e Luis Fabiano.
Superado o seu duelo mais difícil com o Chile, a Seleção Brasileira terá quase uma semana para se recuperar tecnicamente para as quartas de final. O encontro com a Colômbia, que eliminou o Uruguai no Maracanã, será apenas na próxima sexta-feira, às 17 horas (de Brasília), no Castelão.
Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Júlio César defendeu duas cobranças chilenas na disputa por pênaltis no Mineirão


O jogo – Nem parecia que os jogadores brasileiros e chilenos eram adversários no túnel de acesso ao gramado do Mineirão. Companheiros de Barcelona, os atacantes Neymar e Alexis Sánchez se abraçaram e conversaram amistosamente, com sorrisos e afagos, à espera de a partida começar. O lateral direito Daniel Alves fez questão de se juntar aos dois.
Em campo, tudo mudou. As hostilidades entre brasileiros e chilenos começaram nas arquibancadas, com vaias para trechos das execuções dos hinos nacionais dos dois países. E continuaram já nos primeiros minutos de jogo, quando Fernandinho cometeu uma falta dura em Aránguiz, que revidou em Neymar.
O Chile tentou aproveitar aquela empolgação inicial para atacar o Brasil. A iniciativa durou pouco. Depois que Marcelo deu um bom chute de fora da área, que quase acertou a meta aos cinco minutos, os donos da casa passaram a controlar as ações da partida. Principalmente pelo lado esquerdo, onde Neymar e Hulk se revezavam nas arrancadas em velocidade.
O Brasil era mais perigoso, contudo, nas jogadas de bola parada. Foi assim que abriu o placar. Aos 18 minutos, Neymar cobrou escanteio na área do Chile. A dupla de zaga brasileira, então, tirou vantagem da baixa estatura adversária para aparecer com destaque. Thiago Silva desviou o cruzamento com a cabeça, e David Luiz disputou com a coxa com Jara para empurrar a bola para dentro.
Com 1 a 0 no placar, o Brasil se sentiu confortável para permanecer no setor ofensivo, envolvendo o Chile – apesar de Oscar, Daniel Alves e quem mais que atuasse pela direita participarem pouco da partida. Só um erro do time de Luiz Felipe Scolari seria capaz de reanimar os chilenos naquele momento. E foi o que aconteceu.
Aos 32 minutos, Marcelo cobrou um lateral no campo de defesa para Hulk, que dominou de maneira displicente. Vargas tirou proveito para fazer o desarme e acionar Sánchez dentro da área. O amigo de Neymar e Daniel Alves dominou com tranquilidade e finalizou cruzado, sem tanta força, para superar Júlio César e empatar o jogo.
O gol do Chile silenciou momentaneamente a torcida brasileira e entusiasmou a visitante. No gramado, os jogadores chilenos redobraram a rispidez nas disputas de bola e motivaram Neymar a fazer acrobacias a cada falta sofrida, para irritação de Felipão com a arbitragem. Nem mesmo a pressão que o Brasil esboçou no final do primeiro tempo foi suficiente para acalmar o treinador.
AFP
Sánchez marcou para o Chile depois de erro de Hulk no primeiro tempo, mas perdeu pênalti mais tarde
Aos 35, Neymar quase marcou um gol de cabeça em cruzamento de Oscar, que desviou na defesa chilena. Três minutos depois, o astro brasileiro recebeu um lançamento longo, brigou com três marcadores, e a bola sobrou para Fred concluir para o alto. Daniel Alves também perdeu a timidez e chutou de longe, fazendo Bravo espalmar para cima do travessão. Na defesa, no entanto, a Seleção dava novos sinais de desatenção.
Os sustos sofridos no primeiro tempo claramente incomodaram os comandados de Felipão. Neymar chutou a bola para longe quando a partida foi para o intervalo. No vestiário, o astro deixou de lado as chuteiras douradas e milionárias que ganhou de sua fornecedora de material esportivo para calçar o mesmo modelo utilizado na fase de grupos da Copa do Mundo. Felipão, entretanto, esperou para mexer na sua formação.
O posicionamento do Brasil ao menos foi outro no segundo tempo. Percebendo que o seu time era deficiente no lado direito do ataque, Felipão mandou Hulk atuar mais por ali. Aos nove minutos, a ordem quase acabou premiada com um gol. O atacante dominou a bola com o braço e bateu de joelho para a rede, porém o árbitro inglês Howard Webb viu a irregularidade e interrompeu a festa que os brasileiros já faziam. “Vá tomar no...”, berrou o jogador, revoltado.
Jorge Sampaoli, o técnico argentino do Chile, resolveu entrar em ação naquele instante. Substituiu Vargas por Gutiérrez. Felipão não ficou atrás. Escolheu Jô, atuando em casa por ser atleta do Atlético-MG, para ocupar a vaga de um contestado Fred, mineiro de Teófilo Otoni e ex-jogador do Cruzeiro. A torcida até se alegrou com a mudança, embora tenha se assustado em seguida. Aos 18, Aránguiz bateu forte após cruzamento rasteiro da direita, e Júlio César fez grande defesa para salvar o Brasil.
Muito nervosa, a Seleção começou a oferecer cada vez mais espaços para o Chile atacar. Felipão ainda recorreu a Ramires no lugar de Fernandinho, que mancava em campo. Outros jogadores também pareciam com problemas, porém técnicos, como Daniel Alves. Jô foi mais um a falhar, aos 28 minutos, quando furou um cruzamento de Hulk e enervou Felipão.
Alguns torcedores até tentaram fazer com que a apatia da Seleção Brasileira não se refletisse nas arquibancadas do Mineirão. “Levanta! Levanta! Levanta!”, berraram, para aqueles que estavam sentados, inertes. A maioria só se levantou mesmo aos 38, com uma boa jogada de Hulk, que parou em Bravo. De fato, as razões para alegria eram poucas. Os atletas brasileiros aparentaram alívio com o fim do segundo tempo.
A ordem era mudar completamente de postura na prorrogação. Hulk demonstrou que queria que fosse assim ao correr o campo inteiro com a bola em sua primeira jogada, ser derrubado perto da área e brandir os braços para chamar o público para o jogo. A torcida correspondeu, porém os seus companheiros já não tinham o mesmo vigor físico àquela altura do jogo.
No último tempo da partida com bola rolando, Felipão optou por dar fôlego à equipe brasileira com Willian no posto de Oscar. O Chile, também desgastado, já queria os pênaltis. Medel se jogou em campo e só foi substituído por Rojas depois que a maca entrou para retirá-lo. Em seguida, Pinilla e Gutiérrez ficaram caídos durante o tempo que puderam. “Timinho! Timinho! Timinho!”, reagiram os torcedores.
Quem tinha a missão de não se apequenar no Mineirão era a Seleção Brasileira. O drama já fazia o público ter de mostrar a sua crença aos jogadores antes da decisão por pênaltis: “Eu acredito! Eu acredito! Eu acredito!”. Era mesmo necessário ter fé. Aos 15 minutos, Pinilla dominou bem a bola, girou diante de Thiago Silva e soltou o pé. Só não virou o jogo para o Chile naquele mesmo instante porque acertou o travessão.
A tensão era tamanha que Júlio César chorou antes da disputa de pênaltis. Parecia prever que seria decisivo, defendendo as cobranças de Pinilla e Sánchez, vendo Jara chutar na trave e tendo a sua grande e sonhada redenção em uma Copa do Mundo. Pelo Brasil, Willian bateu para fora e Hulk parou em Bravo, porém David Luiz, Marcelo e Neymar converteram para sacramentar a suada classificação e ir às lágrimas com a extasiada torcida. 
Gazeta Press
David Luiz e Neymar converteram suas cobranças de pênalti contra o Chile (Foto: Washington Alves)

Ultimas Notícias

Loading...