Últimas Notícias

Compartilhe

Em Pederneiras, empresa deve paralisar atividades. 
Calado, parte do casco que fica abaixo da água, será reduzido para 1m.


Do G1 Bauru e Marília

Nível baixo do Rio Tietê tem prejudicado o transporte de cargas  (Foto: Reprodução / TV TEM)Nível baixo do Rio Tietê tem prejudicado o transporte de cargas (Foto: Reprodução / TV TEM)

A falta de chuva fez o operador nacional do sistema de navegação fluvial diminuir o calado, que é a parte da embarcação que fica em baixo da água, para 1 metro na Hidrovia Tietê-Paraná. Com mais essa redução, que passa a valer a partir desta sexta-feira (29), as empresas que fazem o transporte em Pederneiras devem paralisar as atividades. Os produtos serão levados até Santos por caminhões, o que triplica o valor do frete, essa conta deve sobrar para o consumidor.
Em Pederneiras, as embarcações usadas para transportar grãos e celulose estão paradas e vazias. Nada chega e nada sai do porto intermodal construído exclusivamente para escoar a produção que passa pela Hidrovia Tiete-Paraná e vai de trem até o porto de Santos. A hidrovia é uma das maiores do país, possui 2400 km de extensão e interliga os estados do Paraná, São Paulo, Goiás, Minas, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.
A estiagem tem feito o nível dos rios Tietê e Paraná baixar, o que afeta a navegação e os reservatórios das hidrelétricas de Ilha Solteira e Três Irmãos. Dessa forma o operador do nacional do sistema e Departamento Hidroviário de São Paulo determinaram que a partir de agora o calado para navegação em alguns pontos do rio seja de no máximo um metro, que normalmente é de três metros. A medida altera a capacidade de transporte dos comboios de 6 mil toneladas de carga, , para pouco mais de 500 toneladas.
Medida do calado normalmente é de 3 metros  (Foto: Reprodução / TV TEM)Medida do calado normalmente é de 3 metros
(Foto: Reprodução / TV TEM)
Os efeitos dessas restrições já são sentidos pelas empresas que realizam o transporte de cargas pela hidrovia. Uma delas chegou a paralisar totalmente o transporte de grãos e celulose e demitiu cerca de 500 funcionários. “Não é possível continuar com o quadro de funcionários sem saber quando isso (navegação) vai voltar. E nossos clientes também vão ter que demitir, porque sem carga, sem grãos, não há descarga", explica o engenheiro responsável José Gheller 
Quem foi mantido no emprego, teme por mais cortes. “Parando vem o desemprego, muitos colegas já foram e nós corremos o risco também", afirma o operador Vilmar Farvson. Pela hidrovia foram transportados no ano passado mais de 6 milhões de toneladas de cargas.
Com o transporte por água prejudicado, o escoamento de produtos até Santos está sendo feito por meio de rodovias, o que aumenta o custo. Cada comboio equivale a 200 caminhões a mais nas estradas. Pela hidrovia a tonelada transportada tem custo médio de R$ 45. Pelas rodovias o valor sobe para R$ 170. Quase 300% de aumento.
“Alguém vai pagar o preço lá na ponta e vai ser o consumidor final, porque o distribuidor não vai absorver esses custos e vai repassar isso. A medida só não é mais drástica porque afeta uma região e não é nível Brasil, mas com certeza vai onerar quem depende do escoamento desses produtos”, explica o economista Reinaldo Cafeo. “O transporte hidroviário é o que torna viável as exportações. Os clientes terão duas opções ou exportam com menos lucro ou com prejuízo ou deixar de exportar”, completa Gheller.
Carga será levada em caminhões até Santos, o que aumenta os custos  (Foto: Reprodução / TV TEM)Carga será levada em caminhões até Santos, o que aumenta os custos (Foto: Reprodução / TV TEM)

Assalto foi na madrugada desta sexta-feira.
Viaturas foram atingidas, mas ninguém se feriu.


Uma quadrilha explodiu três caixas automáticos de uma agência bancária no Centro de Bocaina (SP), no início da madrugada desta sexta-feira (30).
Segundo a Polícia Militar, eles fugiram em dois carros e chegaram a trocar tiros com policiais durante a fuga, em Dois Córregos, mas ninguém se feriu. Para o delegado Gustavo Alonso Garmes, que investiga o caso, a calma das cidades pequenas as tornam um alvo mais fácil para os criminosos. “Infelizmente estão se especializando nesse tipo de ação no interior.”
Policiais de outras cidades foram chamados para ajudar na busca pelos suspeitos. Duas viaturas, de Dois Córregos e de Mineiros do Tietê, que chegavam para dar apoio na ocorrência, cruzaram com a quadrilha quando ela saía da cidade e foram atingidas pelos disparos.
Vizinhos da agência ouviram o barulho durante a madrugada e ficaram com medo de outro assalto no banco, já que não é a primeira vez que uma agência da cidade é assaltada. “Foram duas explosões, uma atrás da outra. Depois uma gritaria, um monte de gente aqui. Ficamos apavorados e escutamos um veículo saindo. Deram uns três tiros pro ar”, contou o morador Paulo Marcomino Leite.
A jardineira Helena Barbosa, que também é vizinha do local do assalto, ouviu barulho e acredita que a cidade precisa de mais segurança. “Ouvi um barulho e falei com certeza que já tinham explodido mais um caixa. A cidade de Bocaina foi calma não é mais.Precisa de mais segurança.”
Até a manhã desta sexta-feira  ninguém havia sido preso. O local já foi periciado. O banco não divulgou o valor levado pela quadrilha.
Agência ficou destruída com a explosão (Foto: Reprodução / TV TEM)Agência ficou destruída com a explosão (Foto: Reprodução / TV TEM)
Troca de tiros atingiu viaturas da polícia (Foto: Divulgação / Polícia Miitar Barra Bonita)Troca de tiros atingiu viaturas da polícia (Foto: Divulgação / Polícia Miitar)Do G1 



As delegacias da Polícia Civil de Arealva, Pederneiras e Pirajuí, com apoio de policiais de Iacanga e da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Bauru prenderam, na manhã desta sexta-feira (30), em Arealva, três homens procurados peja Justiça durante operação. Eles teriam agido em conjunto em roubos na região e um furto à delegacia de Arealva.

Welinton Luiz dos Santos foi localizado em um imóvel no núcleo José Ricardo. Ele teria praticado dois roubos, um em Pirajuí, no dia 23 de abril, e outro em Iacanga, no dia 28 de abril. 
Foi apreendido um par de tênis que Welington teria usado no furto à delegacia. Ele também estaria foragido do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) III de Bauru desde o dia 21 de janeiro.

Já no bairro São Pedro Adriano Novaes de Sousa foi detido, acusado de roubo a um posto de combustível em Iacanga. Ele estava com a motocicleta usada no crime.

No mesmo bairro foi encontrado Khaliu dos Reis Antoniassi. Ele confessou a autoria de três roubos, dois em companhia de Welinton e outro de Adriano. Khaliu indicou onde estaria uma arma de fogo furtada de Pirajuí, usada em roubos em Santelmo e Iacanga.
Divulgação/Polícia Civil  
Welinton Luiz dos SantosAdriano Novaes de SousaKhaliu dos Reis Antoniassi
Um quarto procurado, Rodrigo dos Santos, não foi encontrado. De acordo com a polícia, ele teria dirigido o veículo usado na fuga de um roubo a supermercado em Santelmo. Ele já havia sido preso em 2012 por tráfico de drogas e pelo furto à delegacia de Arealva.

Os roubos

PIRAJUÍ: Na noite de 23 de abril, indivíduos renderem e torturarem um aposentado de 78 anos em um sítio no bairro Palmeiras. Foram levados R$ 1000,00, US$ 50, uma espingarda e uma garrucha. A vítima foi amarrada e sofreu agressões físicas com socos, chutes e com a ponta de uma faca.  Neste roubo foram identificados Khaliu, que confessou o crime, e Welinton. A garrucha roubada foi apreendida durante a operação policial.

IACANGA: Na noite de 28 de abril, dois indivíduos chegaram de motocicleta em um posto de combustível no Centro da cidade. Um deles entrou na loja de conveniência, onde mediante grave ameaça com uma garrucha, subtraiu três cheques e a quantia de R$ 450,00. A dupla fugiu em seguida. Neste roubo foram identificados Khaliu, que confessou o crime, e Adriano.

SANTELMO: Na noite do dia 2 de maio, dois indivíduos entraram em uma lanchonete, onde mediante grave ameaça com uma garrucha, subtraíram R$ 500,00 e fugiram em um veículo VW Santana, sentido Arealva. O veículo pertenceria a Rodrigo dos Santos. Neste roubo foram identificados Welinton e Khaliu, que confessaram o crime.

fonte: Jcnet


Motorista foi emparelhado por dois veículos enquanto trafegava pela SP-225, em Bauru; trio armado rendeu o homem e levou o caminhão, avaliado em R$ 300 mil


Um caminhoneiro de Igaraçu do Tietê ficou 10 horas na mira de um bandido após ser rendido enquanto trafegava pela rodovia João Baptista Cabral Rennó (SP-225), em Bauru, na altura do Canil da Polícia Militar (PM), por volta das 23h de ontem. A vítima foi abordada por três homens em dois veículos e teve o caminhão graneleiro, avaliado em R$ 300 mil, levado.

Marcus Liborio
caminhoneiro de Igaraçu do Tietê ficou 10 horas na mira de um bandido após ser rendido enquanto trafegava pela rodovia João Baptista Cabral Rennó

O homem, de 46 anos, que terá a identidade preservada, dirigia até Marília para carregar o caminhão com açúcar, cuja carga seria levada a São Paulo. “De repente, um Vectra preto entrou na minha frente e precisei diminuir a velocidade para não bater. Quando olhei para o lado, tinha outro carro e o passageiro me apontava uma arma”, contou a vítima, que não sofreu ferimentos.

Assim que o caminhoneiro parou no acostamento, foi rendido por um dos bandidos e obrigado a entrar no Vectra, enquanto outro ladrão assumiu a direção do caminhão. “Ele pediu para que eu deitasse no banco traseiro, de barriga para baixo, e ficasse quieto. Depois, disse para eu ficar tranquilo que não iria acontecer nada. Ele ligou o carro e entrou no meio de um canavial”, lembrou.

Ainda de acordo com a vítima, o homem, que portava um revólver calibre 38 e usava um capuz para esconder o rosto, falava ao celular o tempo todo. “Ele conversava baixinho e não consegui entender a conversa”, disse.

Fome e sede

O caminhoneiro permaneceu no interior no carro até, aproximadamente, as 9h de hoje, quando foi liberado pelo ladrão. Durante o tempo em que foi mantido refém – cerca de 10 horas-, nem ao menos água recebeu. “Passei fome, sede e frio”, contou.

De manhã, a vítima foi levada para as margens da rodovia novamente e liberada. “Ele pegou meu celular e R$ 480,00 que tinha na carteira, mas não levou minha mala de roupas. Pediu para que eu não olhasse para trás, senão voltaria. Foi a única vez que me ameaçou”, lembrou. Um motorista que trafegava pela rodovia encontrou o caminhoneiro pedindo ajuda e o levou até o Canil da PM, que estava a cerca de 5 quilômetros de onde ele foi deixado.

Um dos PMs do Canil contou à reportagem que ele estava assustado. Ainda segundo o policial, a empresa teria conseguido rastrear o caminhão e constatou que o veículo já estava no Paraguai, próximo à cidade de Pedro Juan Caballero. A informação, contudo, ainda não foi confirmada pela Polícia Civil.

A vítima foi levada pelo Policiamento Rodoviário de Bauru até a Central de Polícia Judiciária (CPJ), onde a ocorrência foi registrada como roubo qualificado. “A Polícia Civil vai instaurar inquérito para localizar e recuperar o veículo e identificar a autoria do crime”, disse o delegado Kleber Granja, responsável pelo setor de investigações gerais da CPJ.
A cidade de Botucatu viveu um dia especial nesta quinta-feira (29) com a inauguração do seu primeiro Shopping Center construído na Avenida Marginal, às margens da Rodovia SP-209 Professor João Hipólito Martins - Castelinho. Um grande número  de pessoas esteve presente para conhecer de perto o maior investimento do ramo já feito na região de Botucatu.

Com capacidade para mais de 100 lojas o complexo conta com grandes marcas, dentre elas: Riachuelo, Lojas Renner, C&A, Lojas Americanas, Tenda Atacado, Parks & Games, Cineflix (com cinco modernas salas de cinema), McDonald’s,  playground, Montana Grill, Big X Picanha, Suco Bagaço, Hering, O Boticário, Banco Itaú e Morana.


Foto: Luiz Fernando

De acordo com os empreendedores o shopping foi inaugurado com 60% de sua capacidade, mas muitas outras lojas já se encontram em processo de negociação comercial, planejando posicionamentos e os melhores espaços para oferecer os mais variados produtos ou serviços. A previsão é que de 15 a 18 meses esteja operando com sua capacidade plena.
 
Empreendimento inédito com lazer, compras, serviços, hipermercado,  cinema 3D e ampla Praça de Alimentação e Eventos, o Shopping Botucatu  abriu suas portas ao público às 14 horas. Pela manhã a imprensa, autoridades municipais, investidores e empresários, estiveram reunidos para conhecer detalhes do funcionamento do complexo.
Desenvolvido e planejado para ser um ambiente moderno e aconchegante, o shopping conta com estacionamento para mais de 1.200 veículos, amplos corredores e paisagismo, iluminação natural indireta e wifi.
 
Segundo José Henrique Faraldo, do Grupo JHF Brasil, o shopping é a realização do sonho de muita gente.  “É a concretização do que a população tem ansiado durante muitos anos. O nosso shopping trará muita diversão, entretenimento e opções de compras. Digo nosso porque ele agora pertence à população de Botucatu e região”, disse.
 
De acordo com o diretor da REP Shoppings, Thiago Lima, o shopping mudará os hábitos de consumo e vida da população. “Com certeza as pessoas terão novos hábitos porque incluirão à sua rotina o Shopping Botucatu”, comentou. “Após o horário de trabalho, todo mundo vai passear no shopping, se encontrar com os amigos, fazer compras e terão mais tempo para fazer o que precisam”, reitera.

Fonte: Acontece


Para Promotoria de Jaú, dinheiro público pagou até “caipiroskas”, o que é uma despesa indevida


Malavolta Jr.
Seis vereadores e dois servidores da Câmara viajaram até Santos para participar de Congresso
O Ministério Público (MP) quer que a presidente da Câmara de Itapuí (44 quilômetros de Bauru), Silene Valini (PSDB), devolva aos cofres públicos R$ 10,1 mil por ter autorizado gastos supostamente indevidos e elevados durante o congresso de municípios realizado em Santos no ano passado. Na ocasião, seis vereadores e dois servidores viajaram até a cidade litorânea para participar do evento.

Com base em matéria do Comércio do Jahu, denunciando que as despesas da Câmara de Itapuí na viagem, ocorrida em abril, superaram em mais de 50% o gasto de Jaú, o segundo maior entre as Casas de Leis da região, o MP instaurou um inquérito civil para apurar suposto dano aos cofres públicos e ato de improbidade.

Na ocasião, a Promotoria pediu que a presidente da Câmara informasse nomes de todas as pessoas que representaram o Legislativo no congresso, com detalhes sobre participação de cada uma delas, relatório das despesas realizadas por cada uma durante a viagem e cópias de notas fiscais e de empenhos relativas aos gastos.

Em resposta, Valini revelou que, além de um agente administrativo e um zelador, dos nove parlamentares de Itapuí, seis participaram do congresso. As exceções foram Ademir Aparecido Castelani (PSDB), Luiz Carlos Pierazo (PTB) e Luiz Henrique Pignatti (PT) (este último desistiu na véspera por problemas de saúde).

A viagem para Santos, entre 3 e 6 de abril, foi feita, segundo a presidente, em três carros particulares, com despesas com gasolina, estacionamento e pedágio, no total de R$ 1,3 mil, pagas pela Câmara. Os gastos com a alimentação das oito pessoas atingiram R$ 6,3 mil. Já despesas com hospedagem chegaram a R$ 5,5 mil.

“Hotel de luxo”

O valor total pago pelo Legislativo, de R$ 13.274,85, chamou atenção do MP, que ajuizou ação civil contra a presidente da Câmara. A Promotoria critica o elevado número de representantes no congresso pelo porte de Itapuí e diz que Valini “deveria ter limitado o número de participantes, como fizeram os demais municípios da região”.

A ação também aponta que a vereadora se hospedou em um dos hotéis mais luxuosos de Santos, com diária no valor de R$ 414,00, mais alta do que a dos quartos destinados aos demais parlamentares e aos servidores. O total de despesas da viagem, dividido entre as oito pessoas, representa um gasto individual de R$ 1.659,35.

Segundo o MP, a análise do relatório de gastos no hotel apontou o consumo de diversos tipos de bebidas alcoólicas, entre elas cerveja, vodca, campari, energético e drinks. As supostas irregularidades, conforme a ação civil, “caracterizam clara afronta ao princípio da moralidade, além de falta de ética e de razoabilidade”.

“Silene Valini, eleita pelo voto do povo, deveria imaginar que boa parte da população de Itapuí trabalha o mês todo para receber um salário mínimo. Não é justo que a representante legal da Câmara se deleite em luxuoso hotel de Santos, com direito a caipiroskas e pinas coladas, enquanto seu eleitor, trabalhador comum, se esmera por um prato de comida”, afirma o Ministério Público de Jaú.

Pedidos
Os promotores Rogério Rocco Magalhães e Maria Cecília Alfieri Nacle pedem que a presidente da Câmara seja condenada a devolver aos cofres públicos R$ 10.144,80, que representa a diferença entre o que foi gasto na viagem (R$ 13.274,85) e a média das despesas dos vereadores de outras 4 cidades da região no congresso (R$ 3.130,05). A Promotoria também requer o pagamento de R$ 20 mil de indenização à sociedade por dano moral difuso e multa civil de até duas vezes valor do dano, além de condenação de Valini à suspensão dos direitos políticos e proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios fiscais. O JC entrou em contato com a vereadora, mas ela informou que só se manifestará quando for oficialmente notificada.



Dois assaltantes em uma moto, um deles, armado com revólver assaltaram um homem que havia acabado de sacar dinheiro no banco, na manhã desta quinta-feira (29), em Lençóis Paulista (43 quilômetros de Bauru).

Segundo a Polícia Militar, a vítima havia acabado de sair de uma agência bancária, onde sacou a quantia de R$ 4mil. Ele estava caminhando em direção à residência, no Jardim Medina, por volta das 10h, quando foi abordado pela dupla.

Um deles apontou a arma e anunciou o assalto. Eles fugiram levando todo o dinheiro. Foi realizado patrulhamento, mas, nenhum suspeito foi localizado.

Dois assaltantes fizeram um sequestro relâmpago, por volta das 20h desta quarta-feira (28), no Jardim Paraíso, em Botucatu (100 quilômetros de Bauru). A vítima foi um homem de 60 anos, que foi obrigado a ir até um caixa eletrônico e realizar um saque.

De acordo com o delegado da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) da cidade, Celso Olindo, a dupla surpreendeu a família enquanto entrava de carro na garagem de casa. Armados ambos de facas, os assaltantes agiram em conjunto. Um deles levou o homem em seu próprio veículo até um caixa eletrônico de um mercado no bairro, enquanto o outro mantinha  a mulher e o filho de 11 anos reféns dentro da casa.

Após forçar o homem a sacar R$ 400,00 e voltar à residência, a dupla fugiu com o carro, também levando celular, máquina fotográfica, joias e mais R$ 80,00 da família.

A polícia encontrou o veículo na manhã desta quinta-feira (29), no bairro Rubião Júnior. A dupla de assaltantes está foragida e a polícia investiga o caso.
 Matéria da repórter Lígia Formenti no jornal “O Estado de S. Paulo” traz a notícia de que o teste usado para medir o CD 4 de pacientes em tratamento de HIV/aids está com os dias contados e deve acabar no ano que vem. A proposta do governo é substitui-lo por novas tecnologias, o que causa apreensão entre ativistas e médicos. Veja matéria do “Estadão” na íntegra:
Fim de teste CD4 de aids cria polêmica
Ministério da Saúde diz que médicos devem migrar para ‘tecnologias mais modernas’; para especialistas, exame ainda é importante
Ferramenta considerada importante por infectologistas para acompanhar o tratamento de pacientes com aids, o exame de CD4 deve ser aposentado pelo Ministério da Saúde a partir de 2015. A proposta, que já provoca apreensão de pacientes e polêmica entre profissionais de saúde, prevê a restrição do procedimento para casos muito específicos até o fim dos estoques, o que deve ocorrer no fim do próximo ano.

A ideia é não fazer novas compras. "Médicos devem se acostumar com tecnologias mais modernas", disse o diretor do departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Fábio Mesquita (foto).

A proposta começou a ser apresentada pelo diretor em alguns encontros regionais de especialistas em laboratórios e deverá ser incluída no consenso terapêutico de aids. "Não é apenas o Brasil que está revendo o uso do CD4", disse o diretor. "A Organização Mundial da Saúde também vai analisar o tema." A expectativa de Mesquita é de que o debate no órgão seja definido ainda neste ano.

Entre especialistas brasileiros, no entanto, o fim do uso do CD4 está longe de ser um consenso. "Concordo que a tendência é de redução da indicação desse exame. Mas ele ainda é fundamental e não há perspectivas de que isso mude num curto espaço de tempo", afirmou o presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Érico Arruda.

O pesquisador Jorge Beloqui, do Núcleo de Estudos para Prevenção da Aids da USP (Nepaids-USP), tem avaliação semelhante. "Esse exame não é um ornamento." A maior crítica de Beloqui, no entanto, está na forma como o assunto está sendo conduzido, sem diálogo com associações de pacientes com HIV.

Como funciona
O CD4 é usado para avaliar o sistema imunológico do paciente e é geralmente combinado com outro teste, o de carga viral, que dá informações sobre a quantidade de HIV no organismo do paciente.

O CD4, até pouco tempo, era levado em consideração para definição do início do tratamento com medicamentos antiaids. Depois de o governo liberar a indicação dos remédios para todos os pacientes, independentemente da quantidade do vírus, o exame passou a ser considerado menos importante pelo Ministério da Saúde. "O início do tratamento qualquer que seja o CD4 é uma opção do paciente. Da forma como o governo lida com o tema, não haveria alternativa", disse Beloqui. Do ponto de vista de saúde pública, o uso precoce do medicamento é considerado essencial: o paciente reduz o vírus circulante, diminuindo o risco de transmitir a doença para outras pessoas, no caso de relações sexuais desprotegidas. "Mas não está claro se isso traz vantagens para o paciente. Não se sabe qual o impacto do início precoce do tratamento. O direito de escolha não pode ser retirado", disse o pesquisador.

A coordenadora do Programa Estadual de DST-Aids de São Paulo, Clara Gianna, também defende a manutenção do CD4. "Ele não tem a importância do passado, mas continua sendo fundamental, sobretudo no Brasil, onde pacientes ainda descobrem a doença tardiamente", explica. Assim como Arruda, Clara defende que o exame seja feito assim que a doença é diagnosticada. Em caso de níveis considerados não muito bons de CD4, entre 300 e 400, o exame deve ser repetido anualmente. Além disso, para níveis inferiores a 200, o teste deveria ser indicado para fazer a prevenção de doenças oportunistas.

Mesquita considera que o exame é importante apenas nessa terceira hipótese. "Para avaliar a qualidade do tratamento, o exame de carga viral é suficiente. Ele pode ser associado a outros testes, mais modernos."


Fonte: O Estado de S. Paulo 
Joaquim Barbosa (Agência Brasil)
O presidente do STF, Joaquim Barbosa, confirmou hoje que se desligará da corte em junho
Ao anunciar que deixará o Supremo Tribunal Federal (STF) no próximo mês, o atual presidente da corte, Joaquim Barbosa, voltou a alimentar especulações de que poderá se lançar na política.
Mesmo que opte por este caminho, Barbosa não poderá concorrer nas eleições de outubro, já que o prazo para que juízes deixassem seus postos para se candidatar no próximo pleito se encerrou em abril.

Para João Paulo Peixoto, cientista político da Universidade de Brasília (UnB), Barbosa conquistou grande popularidade "não só por sua atuação como juiz, mas pelo incorformismo que revela com o status quo atual das instituições brasileiras".Ainda assim, segundo analistas ouvidos pela BBC Brasil, o ministro deixará o Supremo com cacife para tentar cargos eletivos.
"Ele personifica esses protestos que estão na rua, é uma espécie de voz para tudo o que está errado", diz Peixoto.
Segundo o professor, caso pudesse disputar as eleições presidenciais em outubro, Barbosa teria boas chances de se eleger.
Seu eventual ingresso na política, porém, enfrentaria um importante obstáculo, segundo Peixoto: “Mesmo que isso não seja verdadeiro, poderia parecer que houve uma utilização política do julgamento do mensalão para projetá-lo".
A atuação de Barbosa no processo do mensalão – ou Ação Penal 470, um dos julgamentos mais emblemáticos na história do STF – dividiu opiniões.
Membros do PT e advogados dos réus disseram que ele conduziu o julgamento de modo autoritário e intransigente. Sua atuação no processo, porém, rendeu-lhe muitos elogios entre parte da opinião pública.

Falta de aptidão

Antonio Carlos Mazzeo, livre docente em Teoria Política pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), diz que, apesar de sua popularidade, Barbosa não parece ter aptidão para a política.
"Em geral, uma das primeiras coisas que políticos precisam aprender é a navegar em águas revoltas, superar dificuldades negociando, flexibilizando posições", afirma Mazzeo.
No entanto, segundo o professor, Barbosa é bastante formal e parece pouco afeito a mediações políticas.
"Acho que ele tem dificuldade de trabalhar com divergências – isso é nítido, ele tem um viés autoritário e caudilhesco que transparece em suas posturas."
Ministros do STF (Agência Brasil)
Com saída de Barbosa, STF terá novo presidente
Para o cientista político e especialista em marketing eleitoral Antonio Lavareda, embora Barbosa tenha se tornado "uma das figuras políticas mais conhecidas e respeitadas do país com o processo do mensalão", ele não deve tentar uma carreira política tradicional.
"Poderia eventualmente ser candidato em outro contexto, como uma figura emblemática para a Vice-Presidência ou chamado para integrar um minisério, mas não vejo nele vocação para uma carreira política parlamentar ou no Executivo".
Já para Peixoto, da UnB, a "personalidade forte" de Barbosa não impediria seu sucesso na política.
"A própria presidente [Dilma Rousseff] não tem nenhum pendor político, no entanto, convive com a atividade, porque tem interlocutores para fazer isso. O Joaquim Barbosa poderia participar do sistema político sem necessariamente fazer a política miúda, porque teria para isso aliados e assessores".
Peixoto diz ainda que o ministro poderia mudar para se ajustar à política. "As pessoas mudam quando estão ocupando cargos. Ele teria a possibilidade de se adaptar porque demonstra idealismo e vontade de transformação muito grande.”

'Momento mais fecundo'

Barbosa confirmou nesta quinta-feira que deixará o STF no fim de junho para se aposentar.
"Tive a felicidade, a satisfação e alegria de compor esta corte no seu momento mais fecundo, de maior importância no cenário político-institucional do nosso país. Sinto-me deveras honrado de ter feito parte desse colegiado e ter convivido com diversas composições e, evidentente, com a atual composição”, ele disse aos demais ministros, na abertura de sessão da corte.
Marco Aurélio Mello (Agência Brasil)
Marco Aurélio Mello lamentou a saída de Barbosa
O ministro Marco Aurélio Mello, magistrado com mais tempo de casa presente na sessão, lamentou a saída de Barbosa. Disse, porém, compreender a decisão, "tomada pelo estado de saúde", segundo Mello.
Barbosa, de 59 anos, sofre de sacroileíte, uma inflamação nas articulações da região lombar que provoca forte dores e lhe impede de permanecer sentado por horas seguidas.
Pelas regras do STF, ele poderia permanecer no posto por mais 11 anos, até completar 70 anos.
Horas antes de seu anúncio no Supremo, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) havia dito a jornalistas que Barbosa se aposentaria no próximo mês, após receber uma visita do ministro.
Barbosa também se reuniu pela manhã com o presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), e com a presidente Dilma Rousseff.
Nomeado para o STF em 2003 pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Barbosa foi o primeiro ministro negro do STF e assumiu o comando da corte em novembro de 2012, em votação simbólica.
A tradição do Supremo recomenda que sua Presidência seja exercida pelo ministro que está há mais tempo na casa e que ainda não a tenha ocupado. Os mandatos duram dois anos.
Nascido em Paracatu (MG), Barbosa se formou em direito na Universidade de Brasília e fez mestrado e doutorado na Universidade de Paris-2.
É professor licenciado da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e autor de dois livros sobre Direito – um sobre o funcionamento do Supremo, editado na França, e outro sobre o efeito de ações afirmativas nos Estados Unidos.
Antes de ingressar na corte, o ministro ocupou diversos cargos na administração federal, entre os quais procurador da República, chefe da consultoria jurídica do Ministério da Saúde e oficial de chancelaria do Ministério das Relações Exteriores, chegando, inclusive, a servir na embaixada do Brasil na Finlândia.



Divulgação
Epidemia de dengue em Jaú aumentou  número de atendimentos na Santa Casa
Mesmo com a ampliação de 12 novos leitos de UTI na Santa Casa de Jaú (47 quilômetros de Bauru), ainda faltam vagas para atender a pacientes que necessitam de internação na unidade de tratamento intensivo do hospital. Ontem 12 pessoas em estado grave estavam no pronto-socorro aguardando transferência para UTI, informou a assessoria de imprensa da instituição hospitalar.
 
O hospital filantrópico, que atende a uma região com aproximadamente 350 mil habitantes, está sobrecarregado, já que vem aumentando significativamente os atendimentos no pronto-socorro. O último levantamento do departamento de estatística mostrou que a Santa Casa chegou a realizar este ano mais de 22.300 atendimentos em um único mês, 40% a mais do que a média mensal no ano de 2013 (15.920/mês).
 
O crescente número de atendimentos vem sendo observado há alguns anos, mas, em 2014, com a epidemia de dengue que assolou a cidade, o problema se agravou ainda mais. 
 
Segundo último levantamento da Secretaria de Saúde, até esta segunda-feira (26) 4.042 pessoas foram infectadas pelo vírus da dengue.
 
O aumento de pacientes politraumatizados, provenientes de acidentes nas estradas da região, também contribuiu para o crescimento dos casos com necessidade de tratamento intensivo.
 
O perfil epidemiológico dos pacientes da Santa Casa também mudou muito nos últimos anos. Hoje o hospital recebe muito mais pacientes com histórico de doenças cardíacas, neurológicas, degenerativas e respiratórias, com quadros clínicos descompensados, que chegam em estado grave, necessitando de intervenção médica e manutenção da vida por meio de aparelhos utilizados nas UTIs.
 
Em dezembro do ano passado, 12 novos leitos foram criados, mas, ainda assim, não atendem à demanda do hospital. A Santa Casa dispõe hoje de 44 leitos de UTI, sendo 31 para adultos e 13 para crianças, informa a assessoria de imprensa. 

fonte: jcnet



A Justiça de Jaú concedeu liminar obrigando a prefeitura de Itapuí (44 quilômetros de Bauru) a fornecer durante 90 dias medicamento de alto custo para ajudar um munícipe, portador de moléstia grave, a deixar de fumar. A decisão é criticada pelo município, que alega prejuízos de mais de R$ 800,00 por mês.
 
O morador de Itapuí chegou a protocolar requerimento administrativo na prefeitura pedindo o medicamento. Como não teve resposta, recorreu à Defensoria Pública, que entrou na Justiça de Jaú com ação para que o município fosse obrigado a fornecer o remédio.
 
Custo elevado
 
No fim de abril, a juíza Betiza Marques Soria Prado atendeu o pedido de tutela antecipada e obrigou a ré a disponibilizar, em vinte dias, o medicamento Champix ao munícipe, sob pena de sequestro de recursos para a compra do remédio em rede particular e multa.
 
Na decisão, a juíza permite a troca por medicamento de marca diversa, desde que com o mesmo princípio ativo. “Restou certo pela prova documental que a parte autora necessita da referida medicação e insumo para ter dignidade de vida”, cita a magistrada na sentença.
 
“Há ainda a demonstração de que houve requerimento administrativo, mas não obteve a autora resposta até o momento, o que torna existente o interesse de agir. Demais disso, os referidos itens apresentam custo elevado para o padrão de renda da parte autora”.
 
Indignação 
 
Em carta publicada na Tribuna do Leitor do JC, o prefeito José Eduardo Amantini criticou a decisão judicial. Cada caixa do remédio Champix, com 53 comprimidos, custa, em média, R$ 388,65. Na decisão o município é obrigado a fornecer ao munícipe 3 caixas do medicamento durante 90 dias, “prejudicando o erário em R$ 843,30 ao mês”.  “Esta liminar injusta causou perplexidade e indignação na maioria dos servidores e na sociedade. Faltou sensibilidade e bom senso antes desta decisão que penaliza os cofres públicos para beneficiar alguém a se ‘livrar’ de um vício cuja total responsabilidade é da pessoa”, declarou.
 
João Rosan
Prefeito José Eduardo Amantini afirma que custo do medicamento vai onerar os cofres públicos


Aeronave tinha como destino Marília e fez escala em Bauru

 
Douglas Reis
Após decolar do Moussa Tobias teve que retornar para Bauru devido à suspeita de bomba na aeronave
Douglas Reis
Brigada de incêndio do aeroporto também foi mobilizada
Um avião que vinha do aeroporto de Viracopos, em Campinas, com destino a Marília e escala em Bauru, precisou ser vistoriada no Aeroporto Moussa Tobias, após uma suspeita de bomba no interior da aeronave, na manhã desta terça-feira (27). A possibilidade era de que houvesse um artefato explosivo no interior do avião.

De acordo com informações do delegado da Polícia Federal Ênio Bianospino, um bilhete foi encontrado no interior do banheiro masculino do aeroporto Moussa Tobias, dizendo que uma bomba teria sido colocada na aeronave.

Policiais militares, equipes do Canil da Força Tática da PM e agentes da Polícia Federal foram acionados para ir até o local. O avião já havia decolado, às 10h, quando, próximo ao aeroporto de Marília, precisou retornar para Bauru. Cerca de 50 passageiros tiveram que descer da aeronave e aguardaram em uma sala enquanto a perícia investigava a suspeita de bomba.

Vistoria

O avião permaneceu isolado e o cão Falcão, da Polícia Militar (PM) de Bauru, que é treinado para achar explosivos, checou todas as bagagens e o interior da aeronave para constatar se realmente havia artefato explosivo. Porém, nada foi encontrado.

A reportagem entrou em contato com o Departamento  Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp) e uma nota será encaminhada para esclarecimentos.

A Polícia Federal abrirá um inquérito para apurar a origem do bilhete.

Os passageiros foram divididos em dois grupos. Os que iam para Marília, foram de ônibus e van e os que seguiriam para Campinas viajaram a bordo de outra aeronave.

'Fiquei assustado ao saber da denúncia de bomba'

José de Souza Junior, advogado, 39 anos, de Marília, era um dos passageiros da aeronave. Ele contou para reportagem que o piloto do avião, após 10 minutos de voo, informou que, por questões de segurança, o avião precisa retornar para Bauru. "Descemos e a brigada de incêndio já estava no local. Questionamos para saber se era algum problema técnico, mas disseram para que saíssemos imediatamente da aeronave", disse.

O advogado conta que sentiu medo quando soube da bomba. " Os passageiros não foram avisados de imediato sobre a bomba para não causar pânico.  Fiquei assustado ao saber que tinha uma denúncia de bomba. Como está chegando a Copa, alguém deve ter feito alguma coisa para prejudicar, pensei".

Ainda de acordo com Junior,  os passageiros souberam da denúncia somente dentro da sala de desembarque, quando perguntaram à polícia. " Nos disseram que seria feita a vistoria na aeronave e teriam que aguardar a liberação, porque, se houvesse algum problema, todos os passageiros seriam entrevistados sobre o que levava na bagagem".
Douglas Reis
Policiais militares, equipe da Força Tática e Polícia Federal se mobilizaram após suspeita de artefato explosivo em aeronave
Douglas Reis
A Polícia Federal abrirá um inquérito para apurar a origem do bilhete

João Rosan
A motociclista, de 58 anos, foi socorrida e corre risco de morte
Uma mulher de 58 anos ficou em estado grave após sofrer um acidente entre sua moto e um Corolla, por volta das 14h desta terça-feira (27), no quilômetro 229 da rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294), a Bauru-Jaú.

Os dois veículos, com placas de Bauru, trafegavam no sentido Bauru-Jaú, quando o Corolla bateu na traseira da moto. O condutor do carro, de 57 anos, alegou que a motociclista freou bruscamente à sua frente.

Ela foi socorrida  pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada em estado grave ao Pronto-Socorro Central (PSC), onde passa por exames. Ela corre risco de morte e aguarda ser transferida para o Hospital de Base. O condutor do Corolla não ficou ferido.

Houve um desvio no trânsito, mas o fluxo de veículos segue normalmente. 
Líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), será um dos titulares

Do R7, com Agência Brasil
Fontana: PSDB também deve ser investigado sobre cartel do metrôFabio Rodrigues Pozzebom/05.10.2011/ABr
Os partidos da base aliada ao governo no Senado fizeram, nesta terça-feira (27), as indicações de membros que vão compor a CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) da Petrobras.
O prazo venceu na última terça-feira (20), mas os governistas não fizeram as indicações na data. Com isso, o presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), faria as indicações nesta terça.
No entanto, percebendo que a CPI mista seria inevitável, os partidos da base preferiram se antecipar e escolher os integrantes do colegiado.
O PT no Senado indicou os senadores Humberto Costa (PT-PE), José Pimentel (PT-CE) e Aníbal Diniz (PT-AC) como membros titulares. Os senadores Inácio Arruda (PCdoB-CE) e Ana Rita (PT-ES) foram indicados pelo bloco de apoio ao governo como suplentes.
Já o bloco da maioria, que tem o PMDB como maior membro, indicou os senadores João Alberto (PMDB-MA), Valdir Raupp (PMDB-RO), Vital do Rêgo (PMDB-PB), Kátia Abreu (PMDB-TO) e Ciro Nogueira (PP-PI). Com isso, a lista de composição da CPMI se completa. A base aliada na Câmara já tinha feito as indicações desde a semana passada.
O governo tentou evitar a CPMI mista, mas sem o apoio majoritário da base na Câmara, a oposição conseguiu vencer a queda de braço.
Por isso, o líder do governo em exercício na Casa, deputado Henrique Fontana (PT-RS), defende a investigação que os governistas querem fazer sobre denúncias de irregularidades no metrô de São Paulo. Segundo ele, esta seria a única forma de equilibrar as forças com a oposição no Parlamento.
— Seria incompreensível que a candidatura do Aécio Neves [pré-candidato à Presidência pelo PSDB] queira organizar um palco político eleitoral em torno da Petrobras e não estejam dispostos a enfrentar o mesmo palco político eleitoral em torno do cartel dos trens e propinas no governo de São Paulo.
Na avaliação do senador Alvaro Dias (PSDB-PR), um dos primeiros atos da CPI mista deveria ser a convocação do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, preso na Operação Lava Jato, da Polícia Federal.
— Nesta CPMI, nós temos a obrigação de participar. Vamos tentar colaborar para que ela não se transforme também em uma farsa. Não pode ser a CPI da embromação. Nós queremos que investigue.
Reunião com o Planalto
A base aliada teve uma reunião, mais cedo, com o ministro da Secretaria de Relações Institucionais (SRI), Ricardo Berzoini. Além de Fontana, participaram do encontro os deputados Vicentinho e Arlindo Chinaglia, ambos do PT paulista, Eduardo Cunha e Manoel Júnior (PMDB), Antônio Brito (PTB), Moreira Mendes (PSD), Vieira da Cunha (PTB) e Luciana Santos (PCdoB).
Além das investigações em torno das comissões de inquérito, a base governista tratou de medidas provisórias que trancam a pauta da Casa. Uma delas (MP 639/14) prevê a doação de dois terrenos da União para garantir as obras do novo porto do Rio de Janeiro, no bairro da Gamboa, e outra (MP 640/14) que redefine funções gratificadas para servidores de carreira que estiverem atuando na Copa do Mundo.

Ultimas Notícias

Loading...