Últimas Notícias

Compartilhe


Teste clínico vai avaliar se vírus alterado pode aumentar produção de proteína essencial para bom funcionamento do coração.

Da BBC
Insuficiência cardíaca é problema comum entre pessoas que sofreram ataque do coração (Foto: BBC)Insuficiência cardíaca é problema comum entre pessoas
que sofreram ataque do coração (Foto: BBC)
Pacientes britânicos farão parte de um teste clínico que vai avaliar se um vírus geneticamente modificado pode auxiliar no tratamento de insuficiência cardíaca.
A medicina tem avançado consideravelmente em tratamentos que resultam em altos índices de sobrevivência entre pacientes de ataques cardíacos, mas que passam a conviver com outros problemas, como a insuficiência cardíaca.
Mais de 750 mil pessoas no Reino Unido sofrem do problema, um termo médico que define situações em que o coração não consegue bombear o sangue para o resto do corpo de forma eficiente. Isto pode acontecer após um ataque cardíaco, por exemplo.
Pesquisadores do Imperial College London concluíram que os níveis da proteína SERCA2a são mais baixos em pacientes com este tipo de problema e modificaram geneticamente um vírus para que este produza mais quantidade da substância, muito importante para o bom funcionamento do coração.
O vírus alterado será liberado no músculo cardíaco de 200 pacientes por meio de um tubo inserido na perna que transportará o organismo pelos vasos sanguíneos. O professor Sian Harding, do Imperial College London, espera que a experiência leve os pacientes para o estado de saúde em que se encontravam antes de sofrer danos no coração.
"Nós acreditamos que este é um tratamento que pode melhorar a qualidade de vida de muitas pessoas", diz Harding.
O médico Alexander Lyon, cardiologista no Royal Brompton Hospital, onde alguns pacientes vão receber o vírus modificado, disse que este é o primeiro teste de terapia genética para tratar insuficiência cardíaca. "Nosso objetivo é lutar contra insuficiência cardíaca revertendo algumas mudanças moleculares que ocorrem quando o coração falha", diz.
A organização British Heart Foundation disse que a ideia tem "um grande potencial, mas precisa ser provada em testes clínicos". "Apesar de haver medicamentos eficientes, ainda não há tratamentos que restaurem a função cardíaca dos que sofrem de problemas no coração", disse Peter Weissberg, diretor da British Heart Foundation
.


Camarinha terá que pagar três vezes o salário que recebia quando prefeito. 
Ex-prefeito teria feito uma festa de inauguração irregular nos anos 2000. 

Do G1 Bauru e Marília

O deputado Abelardo Camarinha, na Câmara (Foto: David Ribeiro/Agência Câmara)Abelardo Camarinha foi condenado por uma festa 
em 2000 (Foto: David Ribeiro/Agência Câmara)
O Tribunal de Justiça negou na segunda-feira (29), a apelação do deputado federal e ex-prefeito de Marília (SP), Abelardo Camarinha e o condenou ao pagamento de três vezes o valor do salário que ele recebia quando prefeito, com juros.
No ano de 2000, Camarinha teria contratado um show para a festa de inauguração de um poço profundo e do sistema de distribuição de água.
No convite distribuído à população, constava o nome do ex-prefeito como anfitrião, ou seja, como se ele fosse o patrocinador da festividade e não a prefeitura, que arcou com  todos os custos.
Desta forma, a Justiça entendeu que houvepromoção pessoal em ano eleitoral. Em nota, Abelardo Camarinha disse que tudo foi feito de forma legal e que vai recorrer da decisão.

Menino chegou a ser atendido, mas, não resistiu ao choque. 
Incidente aconteceu no domingo (28) na casa da avó da criança.


Do G1 Bauru e Marília
Uma criança morreu após receber uma descarga elétrica no domingo (28) emLins (SP).  O menino de 6 anos foi levado ao pronto socorro da Santa Casa e os médicos de plantão tentaram reanimar a criança por 40 minutos. “Foram tentadas todas as manobras de ressuscitação cardiopulmonar e administrado todos os remédios possíveis para situação”, explica o diretor clínico Fábio Natel.
Segundo o médico, a criança recebeu uma descarga elétrica de 220 volts e sofreu queimaduras. “Ela foi encontrada na cozinha, com a mão em uma tomada e já estava desmaiada”, completa o diretor. Foram os familiares que prestaram os primeiros socorros e trouxeram o menino à Santa Casa. Segundo o boletim de ocorrência, o garoto estava com os pais na casa da vó para participar de um almoço e recebeu a descarga elétrica ao desligar um equipamento da tomada.
A casa onde aconteceu o acidente fica no bairro Santa Terezinha, na periferia da cidade. A família não quis gravar entrevista e os moradores evitaram fazer comentários. O caso foi registrado pela Polícia Civil como morte suspeita. Laudos do IML e do instituto de criminalística foram feitos para determinar a causa do acidente. O resultado deve ficar pronto em 30 dias.
“Tão logo os resultados desses laudos estejam nas mãos do delegado do 1º DP, um inquérito será aberto e todas as circunstancias desse acidente serão analisadas”, ressalta Luiz Roberto Bertozzo, delegado seccional. Ainda de acordo o diretor da Santa Casa, os choques são a quarta maior causa de acidentes domésticos, mas dificilmente são fatais.
Criança foi atendida no Pronto Socorro da Santa Casa (Foto: reprodução/TV Tem)Criança foi atendida no Pronto Socorro da Santa Casa (Foto: reprodução/TV Tem)

Representantes de polícias e do MP discutem PEC 37 com Cardozo
O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, e o ministro da Justiça, 
José Eduardo Cardozo, se reúnem com representantes dos procuradores 
e dos delegados em busca de um entendimento sobre a PEC 37.

Brasília- Representantes das polícias federal, civil, do Ministério Público e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, estão reunidos na residencia oficial do presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB -RN) para tratar da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 37. 

O texto limita a atuação criminal do Ministério Público (MP) e tem causado discussão. Na semana passada, Henrique Alves disse que pretende colocar a proposta em votação até junho.

Na avaliação dos delegados de polícia - principais defensores da PEC -, o Ministério Público hoje exerce um papel que não deveria. Eles também acusam o MP de escolher os casos em que vai atuar.

Os contrários à proposta acreditam que quanto mais houver entidades investigando, maior a chance de identificar crimes. Segundo dados do Ministério Público Federal, desde 2010, o órgão atuou 14,7 mil vezes por meio de procedimentos próprios na área penal e 77,9 mil vezes motivado por inquéritos policiais, termos circunstanciados e outros procedimentos judicializados.

Atualmente, o Ministério Público é impedido de investigar em apenas três países: Uganda, Quênia e Indonésia.

Edição: Talita Cavalcante



Fonte: Débora Zampier e Karine Melo - Agencia Brasil

Levantamento aponta pagamento de serviços que não foram feitos. 
De acordo com prefeito, administração tem dívida de R$ 1 milhão.

Do G1 Bauru e Marília
A prefeitura de Pratânia (SP) fez um levantamento nas contas e descobriu que vários serviços que já foram pagos não foram executados pelas empresas. O suposto desvio de dinheiro teria ocorrido em obras da educação. Uma escola municipal onde, estudam 150 alunos, recebeu R$ 34 mil para a pintura externa. Mas, só parte do serviço foi feita, garante a diretora. Grades e paredes ficaram sem a nova tinta. Mais de R$ 7 mil também foram gastos com a reforma de 50 carteiras utilizadas pelos alunos do primeiro ano.
Mas, alguns funcionários afirmam que elas não foram recuperadas. As tampas estão soltas, as grades quebradas e quase todas, sujas. Os problemas continuam na parte elétrica da escola e da creche que funcionam no mesmo local. Foram gastos R$ 15 mil com material como 18 rolos de fios e disjuntores, apontados em uma nota fiscal de compra. Mas, o eletricista José Américo Camilo que presta serviços às escolas alerta que o produto não foi usado. "Não foi trocado nenhum metro de fio aqui, inclusive, eu liguei para o eletricista que realizou a troca de dijuntores e lâmpadas e ele me confirmou que não trocou nenhum fio".
Carteiras deveriam ter sido trocadas, mas, isso não aconteceu (Foto: reprodução/TV Tem)Carteiras deveriam ter sido trocadas, mas, isso não
aconteceu (Foto: reprodução/TV Tem)
Três ônibus escolares também teriam sido reformados. Mas, o atual prefeito, Roque Joner alega que eles precisam urgentemente de reparos. "Como é que nós vamos explicar para o Tribunal de Contas que nós reformamos um ônibus que foi reformado há três meses atrás
Segundo um levantamento feito nos primeiros meses da nova gestão, Pratânia tem uma dívida de R$ 1 milhão. Metade dovalor, ou seja R$ 500 mil, é com o INSS, já que em 2010 a prefeitura não teria recolhido valores referentes aos funcionários municipais.
As pendências financeiras chegam também a esfera federal. O município tem dívida de R$ 140 mil com o Ministério do Turismo por causa de um rodeio realizado em 2010. 'Foram contratados pessoas para trabalhar na segurança, na limpeza, banheiros químicos e nada disso tinha informação, como nome e CPF dessas pessoas, nem fotos dos banheiros. Agora o Ministério Público quer que devolvemos esse dinheiro, em 24 parcelas", afirma o prefeito.
Ainda segundo a prefeitura, existem cerca de R$ 700 mil em verbas parlamentares disponíveis no governo federal, mas como o município está com o nome sujo no cadastro único de convênios, do Ministério da Fazenda, o dinheiro não é liberado. Por telefone, o ex-prefeito de Pratânia, Marcos Corrêa, disse que não foi notificado sobre as possíveis irregularidades e que acredita ser perseguição política.
Prefeitura afirma também que os ônibus deveriam ser reformados (Foto: reprodução/TV Tem)Prefeitura afirma também que os ônibus deveriam ser reformados (Foto: reprodução/TV Tem
)

Comunicado da Diocese foi divulgado após desligamento pedido pelo padre.
Sacerdote celebrou as últimas missas no domingo (28) em Bauru, SP 

Mariana BonoraDo G1 Bauru e Marília

Padre deixará a igreja (Foto: Ana Carolina Levorato/G1)Padre foi excomungado da Igreja Católica
(Foto: Ana Carolina Levorato/G1)
A Diocese de Bauru (SP) divulgou no início da tarde desta segunda-feira (29) o comunicado no site oficial do órgão que coloca um ponto final na polêmica envolvendo o Padre Roberto Francisco Daniel, conhecido Padre Beto, e vídeos publicados pelo sacerdote na internet. Após o pedido de desligamento feito pelo próprio padre, a Diocese decidiu pela excomunhão do sacerdote.
De acordo com a nota, um padre perito em Direito Penal Canônico foi acionado para avaliar a situação e constatou, conforme esclarece a nota, que o “padre feriu a Igreja com suas declarações consideradas graves contra os dogmas da Fé Católica, contra a moral e pela deliberada recusa de obediência ao seu pastor (obediência esta que prometera no dia de sua ordenação sacerdotal), incorrendo, portanto, no gravíssimo delito de heresia e cisma cuja pena prescrita no cânone 1364, parágrafo primeiro do Código de Direito Canônico é a excomunhão anexa a estes delitos” (Confira abaixo a nota da Diocese na íntegra).
Durante coletiva no último sábado (27), Padre Beto comunicou a decisão de se desligar da Igreja e dos exercícios como sacerdote. A atitude foi tomada diante do pedido de retratação e retirada dos conteúdos publicados em redes sociais, onde o padre discute temas polêmicos como a relação entre pessoas do mesmo sexo, fidelidade, casamento e necessidade de mudanças na estrutura da Igreja. A carta com o pedido de desligamento foi entregue à Diocese na manhã desta segunda-feira, prazo dado pela Diocese para que o padre se retratasse.

Padre disse não estar surpreso com a decisão da Diocese (Foto: Cesar Evaristo/ TV TEM)Em entrevista ao G1, o padre disse que não se surpreendeu com a decisão da Diocese. “Eu esperava de tudo, até um arrependimento, uma volta atrás, mas, não criei nenhuma expectativa e para ser sincero não fiquei surpreendido com a decisão. Só posso dizer que dou Graças a Deus que não existe mais fogueira e fico tranquilo por estar do lado do ser humano, do desenvolvimento e da liberdade de expressão”, declara. O padre disse que ainda não recebeu um comunicado oficial, mas, já estava sabendo da decisão da Diocese. “Eu pedi o meu desligamento e o que a Igreja definir a partir daí é uma decisão exclusivamente dela, mas, não vai afetar minha vida ou minha relação com Deus”, completa.
Padre disse não estar surpreso com a decisão da Diocese (Foto: Cesar Evaristo/ TV TEM)
A nota da Diocese afirma que o juiz instrutor convocado para cuidar do caso irá encaminhar a documentação necessária para Roma para oficializar a demissão clerical do padre. O comunicado ressalta as tentativas de diálogo com o sacerdote, que também foram citadas pelo Bispo Dom Frei Caetano Ferrari em entrevista ao G1. “Ele gostaria que eu como bispo o apoiasse, mas digo a ele ‘Beto, coloque-se no seu lugar, quem te deu essa inspiração para uma missão profética de revolucionar a teologia, a doutrina e a moral da Igreja?’, argumentou o bispo.
Retratação assinada por Dom Caetano pede retirada imediata do conteúdo publicado pelo padre (Foto: Ana Carolina Levorato/G1)Comunicado foi assinado pelo Bispo diocesano de
Bauru  (Foto: Ana Carolina Levorato/G1)
No domingo (28), um dia após anunciar o desligamento da Igreja Católica, o Padre Beto celebrou as duas últimas missas, que ficaram lotadas de fiéis, muito deles emocionados.
Confira a nota da Diocese na íntegra
Comunicado ao povo de Deus da Diocese de Bauru, 
É de conhecimento público os pronunciamentos e atitudes do Reverendo Pe. Roberto Francisco Daniel que, em nome da "liberdade de expressão" traiu o compromisso de fidelidade à Igreja a qual ele jurou servir no dia de sua ordenação sacerdotal. Estes atos provocaram forte escândalo e feriram a comunhão eclesial. Sua atitude é incompatível com as obrigações do estado sacerdotal que ele deveria amar, pois foi ele quem solicitou da Igreja a Graça da Ordenação. O Bispo Diocesano com a paciência e caridade de pastor, vem tentando há muito tempo diálogo para superar e resolver de modo fraterno e cristão esta situação. Esgotadas todas as iniciativas e tendo em vista o bem do Povo de Deus, o Bispo Diocesano convocou um padre canonista perito em Direito Penal Canônico, nomeando-o como juiz instrutor para tratar essa questão e aplicar a "Lei da Igreja", visto que o Pe. Roberto Francisco Daniel recusa qualquer diálogo e colaboração. Mesmo assim, o juiz tentou uma última vez um diálogo com o referido padre que reagiu agressivamente, na Cúria Diocesana, na qual ele recusou qualquer diálogo. Esta tentativa ocorreu na presença de 05 (cinco) membros do Conselho dos Presbíteros. O referido padre feriu a Igreja com suas declarações consideradas graves contra os dogmas da Fé Católica, contra a moral e pela deliberada recusa de obediência ao seu pastor (obediência esta que prometera no dia de sua ordenação sacerdotal), incorrendo, portanto, no gravíssimo delito de heresia e cisma cuja pena prescrita no cânone 1364, parágrafo primeiro do Código de Direito Canônico é a excomunhão anexa a estes delitos. Nesta grave pena o referido sacerdote incorreu de livre vontade como consequência de seus atos. A Igreja de Bauru se demonstrou Mãe Paciente quando, por diversas vezes, o chamou fraternalmente ao diálogo para a superação dessa situação por ele criada. Nenhum católico e muito menos um sacerdote pode-se valer do "direito de liberdade de expressão" para atacar a Fé, na qual foi batizado. Uma das obrigações do Bispo Diocesano é defender a Fé, a Doutrina e a Disciplina da Igreja e, por isso, comunicamos que o padre Roberto Francisco Daniel não pode mais celebrar nenhum ato de culto divino (sacramentos e sacramentais, nem mais receber a Santíssima Eucaristia), pois está excomungado. A partir dessa decisão, o juiz instrutor iniciará os procedimentos para a demissão do estado clerical para enviar a Roma o procedimento penal para sua "demissão de estado clerical". Com esta declaração, a Diocese de Bauru entende colocar "um ponto final" nessa dolorosa história. Rezemos para que o nosso Padroeiro Divino Espírito Santo, "que nos conduz", ilumine o Pe. Roberto Francisco Daniel para que tenha a coragem da humildade em reconhecer que não é o dono da verdade e se reconcilie com a Igreja, que é "Mãe e Mestra".
Bauru, 29 de abril de 2013.
Por especial mandado do Bispo Diocesano, assino os representantes do Conselho Presbiteral Diocesano.
Entenda o caso
Após declarações polêmicas acerca de temas como a homossexualidade, fidelidade e necessidade de mudanças na estrutura da Igreja Católica nas redes sociais que causaram um pedido de retratação por parte da Diocese de Bauru (SP), Roberto Francisco Daniel, conhecido como padre Beto, anunciou no sábado (27), que deixará de exercer suas funções como padre a partir de segunda-feira (29). (Veja o vídeo na íntegra)
Essa era a data limite para “confissão humilde de que errou quanto a sua intepretação e exposição da doutrina, da moral e dos bons costumes ensinados pela igreja", como exigia a nota assinada pelo Bispo Dom Caetano Ferrari na última terça-feira (23), que pedia a retratação e retirada do conteúdo, contrário aos dogmas da Igreja, publicados na internet. “Eu não tenho do que me redimir. Muito menos a quem ou do que pedir perdão de tudo aquilo que eu fiz e declarei nas redes sociais. Se refletir é um pecado, eu sou um pecador e sempre serei. Não vou negar ser uma pessoa reflexiva e uma pessoa que pensa”, declarou o padre que, com sua decisão, deixa de celebrar casamentos, missas e outro rituais religiosos.
Padre falou sobre amor e preconceito na última missa (Foto: Camila Turtelli/Agência BOM DIA)Padre falou sobre amor e preconceito na última
missa (Foto: Camila Turtelli/Agência BOM DIA)
Na entrevista coletiva realizada na manhã de sábado, o sacerdote afirmou aos jornalistas que sua decisão foi tomada após várias reflexões, entre elas, a de não aceitar que seja possível seguir um modelo que não respeita a liberdade de reflexão e expressão por parte dos fiéis e membros do clero.
“Acho impossível seguir o evangelho de Jesus Cristo em uma instituição que, no momento, não respeita a liberdade de reflexão e de expressão. O modelo que nos temos que seguir se chama Jesus Cristo e esse modelo viveu plenamente essa liberdade e fez com que as pessoas refletissem”, explica.
“Além disso, acredito que não é possível ser cristão em uma instituição que cria hipocrisia. Nós estamos em um momento em que a igreja faz questão de manter regras morais que são totalmente ultrapassadas para a nossa época e também em frente à ciência”, diz o padre irá entregar a carta de pedido de afastamento para o bispo na segunda-feira. Ele também divulgou uma nota no seu perfil em uma rede social, onde explica a decisão para o seus mais de 2.500 seguidores
.

Decisão do ministro suspendeu tramitação da proposta no Congresso.
Mendes se reuniu nesta segunda com presidentes da Câmara e do Senado.

Nathalia PassarinhoDo G1, em Brasília
Após se reunir com os presidentes da Câmara e do Senado, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, afirmou nesta segunda-feira (29) ao G1 que levará em maio para julgamento no plenário da corte a ação que questiona a legalidade do projeto que impõe regras mais rígidas para que novos partidos políticos tenham acesso a maiores fatias do fundo partidário do tempo de rádio e TV. Na última quarta (24), Mendes determinou suspensão da tramitação da proposta no Congresso.
Segundo o ministro do Supremo, os dois parlamentares pediram celeridade no julgamento do mérito da ação pelo plenário da corte. “O pedido foi de celeridade para a análise pelo pleno. Vamos julgar isso rapidamente, logo. Vou levar [para análise do plenário] em maio”, afirmou. A decisão do ministro foi criticada por parlamentares. O presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse que havia uma "invasão" do Supremo no processo legislativo do Senado e da Câmara. Na última quinta (25), o Senado apresentou recurso no STF para derrubar a liminar de Mendes que interrompeu a tramitação do projeto.  Calheiros e o presidente da Câmara, Henrique Alves, se reuniram nesta tarde com Gilmar Mendes para discutir a questão.
De autoria do deputado Edinho Araújo (PMDB-SP), o projeto que teve a tramitação suspensa por Mendes impede que parlamentares que mudem de partido no meio do mandato transfiram para a nova agremiação parte do fundo partidário e do tempo no rádio e na TV da sigla de origem. Pelas regras atuais, a maior parte do fundo e da propaganda eleitoral é distribuída de forma proporcional ao tamanho das bancadas.
A liminar (decisão provisória) foi concedida por Gilmar Mendes atendendo a um pedido do senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) protocolado na última terça (23), depois de o projeto ter sido aprovado na Câmara dos Deputados. A liminar prevalecerá até que o plenário do Supremo decida sobre o caso.
PEC que limita poderes do Supremo
O ministro também afirmou que Henrique Eduardo Alves explicou a ele as circunstâncias da aprovação da PEC 33, que dá ao Congresso o poder de vetar decisões do Supremo sobre emendas constitucionais. A proposta, de autoria do deputado Nazareno Fonteles (PT-PI), foi aprovada  pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara em votação simbólica, e com a presença de apenas 21 deputados, menos da metade do número total de integrantes do colegiado.
Segundo Gilmar Mendes, o presidente da Câmara o informou que pretende apresentar projeto de lei complementar que impede a aprovação de propostas de emenda à Constituição por votação simbólica, quando não há contagem de votos.
O mal estar entre Judiciário e Legislativo causado pela aprovação da PEC 33, além das críticas de ministros do STF, levaram Henrique Alves a decidir não instalar comissão especial para analisar a proposta, que seria o próximo passo de sua tramitação antes de ser encaminhada ao plenário da Câmara. Para alterar a Constituição, a proposta ainda precisaria ser aprovada em dois turnos também pelo Senado.
Gilmar Mendes afirmou que a reunião com Henrique Alves e Renan Calheiros foi muito “positiva”. “Nunca houve interrupção do diálogo.Sempre tive boa relação com o Henrique. A reunião foi muito positiva”, disse
.

A PEC condiciona o efeito vinculante de súmulas aprovadas pelo STF ao aval do Poder Legislativo e submete ao Congresso Nacional a decisão sobre a inconstitucionalidade de leis


Por: Agência Brasil
BRASÍLIA
No despacho, Toffoli concedeu prazo de 72 horas para que a Câmara se manifeste sobre o assunto
Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr
No despacho, Toffoli concedeu prazo de 72 horas para que a Câmara se manifeste sobre o assunto
Mesa Diretora da Câmara dos Deputados foi notificada nesta segunda-feira (29) do pedido de informações feito pelo ministro Antonio Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), sobre a Proposta de Emenda à Constituição 33. Aprovada na semana passada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, a proposta, entre outros pontos, submete as decisões do STF ao Congresso.
Dias Toffoli é o relator do Mandado de Segurança 32.036, impetrado na última quinta-feira (25) pelo líderdo PSDB na Câmara, deputado Carlos Sampaio (SP), que pede a suspensão imediata da tramitação da proposta. O tucano argumenta que a PEC fere a cláusula pétrea da separação dos Poderes.
No despacho, Toffoli concedeu prazo de 72 horas para que a Câmara se manifeste sobre o assunto. “Notifique-se a autoridade impetrada para que preste informações prévias acerca do pedido de liminar, no prazo de 72 horas, sem prejuízo de novo pedido de informações quando do julgado do mérito”, diz parte do despacho do relator do mandado de segurança.
Aprovada na última quarta-feira (24), a PEC 33, de autoria do deputado Nazareno Fonteles (PT-PI), condiciona o efeito vinculante de súmulas aprovadas pelo STF ao aval do Poder Legislativo e submete ao Congresso Nacional a decisão sobre a inconstitucionalidade de leis.
Também estabelece que o STF só poderá propor súmulas vinculantes “após reiteradas decisões sobre matéria constitucional”, resultante de decisão de quatro quintos dos ministros. De acordo com a proposta, as súmulas só passarão a ter efeito vinculante após aprovação do Congresso Nacional.
A aprovação da proposta pela CCJ tem provocado polêmica. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), chegou a admitir que há uma crise entre os dois Poderes. Em nota, o presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, disse que a PEC, se aprovada pelo Congresso, “fragilizará a democracia brasileira”.
Nesta segunda-feira (29) à tarde, os presidente do Senado e da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), devem se reunir com o ministro Gilmar Mendes para discutir a liminar, expedida pelo ministro, que suspende a tramitação do projeto de lei que altera as regras de distribuição do fundo partidário e do tempo de televisão da propaganda eleitoral. A PEC 33 também está na pauta do encontro.

Contrato prevê que opção para compra de mais 40 jatos.
Se chegar às 70 aeronaves, operação tem valor estimado em US$ 2,9 bi.

Do G1, em São Paulo

Avião da Embraer com logo da United (Foto: Divulgação/United Airlines)Avião da Embraer com logo da United
(Foto: Divulgação/United Airlines)
A fabricante brasileira de aeronaves Embraeranunciou, nesta segunda-feira (29), que assinou um contrato com a United Airlines para a venda de 30 jatos Embraer 175. O contrato também prevê opções para mais 40 aviões. Se todas as opções forem exercidas, a operação tem valor estimado de US$ 2,9 bilhões, segundo a empresa.
“Estamos muito satisfeitos com este pedido, pois reforça e amplia a nossa parceria de longa data com a United Airlines, então como Continental Airlines, cliente de lançamento do jato ERJ 145, em 1996”, disse, em nota,  Paulo Cesar Silva, presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial.
Em nota, a United Airlines informou que as aeronaves da Embraer vão substituir alguns dos antigos jatos regionais de 50 assentos da frota da companhia. "Os E175s vão consumir 10% menos combustível por assento e terão menos emissões de CO2 por assento que a aeronave de 50 assentos que vão substituir".
A primeira entrega, segundo a Embraer, está prevista para o primeiro trimestre de 2014. Os aviões, que serão operados sob a marca United Express, serão configurados com 76 assentos.
Em nota, a United Airlines informou que as aeronaves da Embraer vão substituir alguns dos antigos jatos regionais de 50 assentos da frota da companhia. "Os E175s vão consumir 10% menos combustível por assento e terão menos emissões de CO2 por assento que a aeronave de 50 assentos que vão substituir".
A Embraer deve divulgar, ainda nesta segunda-feira, os resultados da companhia referentes ao primeiro trimestre de 2013
.

Centenas de peixes mortos foram encontrados no rio em Arco-Íris. 
Espécies foram retirados com ajuda de pescadores e voluntários.

Do G1 Bauru e Marília

Centenas de peixes mortos foram retirados do rio (Foto: reprodução/TV Tem)Centenas de peixes mortos foram retirados do rio
(Foto: reprodução/TV Tem)
Um caso de mortandade de peixes foi registrado em Arco-Íris (SP) neste sábado (27). De acordo com o secretário de Meio Ambiente da cidade, Osvaldo Soares dos Reis Filho, a quantidade de peixes mortos no Rio Aguapeí foi tão grande que encheu duas carretas.
Os peixes foram retirados com ajuda de pescadores e voluntários. Algumas espécies chegavam a pesar 10 quilos.
O problema já havia sido identificado no rio na região de Tupã. Técnicos da Cetesb fora acionados e coletaram amostras da água para análise.
Espécies foram retiradas com ajuda de pescadores e voluntários (Foto: reprodução/TV Tem)Espécies foram retiradas com ajuda de pescadores e voluntários (Foto: reprodução/TV Tem)
Segundo secretário do Meio Ambiente, quantidade de peixes encheu duas carretas (Foto: reprodução/TV Tem)Segundo secretário do Meio Ambiente, quantidade de peixes encheu duas carretas (Foto: reprodução/TV Tem
)

Sailendra Nath Roy sofreu ataque cardíaco durante tentativa.
Homem era detentor de recordes ao puxar veículos com o cabelo.

Do G1, em São Paulo

O indiano Sailendra Nath Roy, recordista do Guinness Book conhecido por demonstrações de força com seus cabelos e bigode, morreu ao tentar atravessar o rio Teesta usando seu rabo de cavalo como corda.
De acordo com a mídia local, durante a travessia na cidade de Siliguri, Roy sofreu um ataque cardíaco e morreu.  A polia na qual deslizava sobre o rio também ficou presa, o que dificultou o acesso da equipe de resgate até Roy (veja mais abaixo a foto do resgate).
Conforme site do “Guinness Book”, Saliendra possui o recorde de maior distância percorrida em um cabo de aço usando apenas o seu cabelo, no qual deslizou por 82,50 m em março de 2011. O homem usava um cabo de segurança que não sustentava seu peso apenas como medida de segurança, da mesma forma como aconteceu este ano.
Em 2012, o indiano puxou um trem de 42 toneladas por 2,5 metros com um cabo preso a seu rabo de cabelo durante exibição em Siliguri, no país natal do recordista.
Em 2012, o indiano Sailendra Nath Roy puxou um trem de 42 toneladas por 2,5 metros com um cabo preso a seu rabo de cabelo durante exibição em Siliguri, na Índia (Foto: Diptendu Dutta/AFP)Em 2012, o indiano Sailendra Nath Roy puxou um trem de 42 toneladas por 2,5 metros com um cabo preso a seu rabo de cabelo durante exibição em Siliguri, na Índia (Foto: Diptendu Dutta/AFP)
  •  
  •  
  •  
Imagem forte (Foto: Editoria de Arte/ G1)
  •  
  •  
Sailendra Nath Roy era conhecido por recordes nos quais fazia travessia ou puxava objetos pesados com o cabelo (Foto: Reuters)Sailendra Nath Roy era conhecido por recordes nos quais fazia travessia ou puxava objetos pesados com o cabelo (Foto: Reuters
)

Luigi Pietri está desempregado e tinha o objetivo de disparar contra políticos

Foto: Corriere dela Serra

Luigi Prieti foi dominado na praça e preso pela guarda italiana
Luigi Prieti foi dominado na praça e preso pela guarda italiana


Um homem de 46 anos feriu três pessoas na manhã deste domingo em Roma, ao fazer vários disparos em frente à sede do Governo durante a posse do novo premiê Enrico Letta.Luigi Prieti, tinha como alvo os políticos, segundo apurou a Justiça italiana.
'Não é um louco", disse à imprensa o procurador adjunto de Roma Pierfilippo Laviani. "É um homem que perdeu otrabalho, perdeu tudo e estava desesperado.' 
Prieti disparou contra os policiais ao perceber que os políticos estavam fora de seu alcance. A arma utilizada era de procedência ilícita e, segundo Laviani, o atirador admitiu o crime.
O procurador visitou o hospital de São Giovanni, onde Prieti, que ficou ferido na cabeça ao ser rendido, está internado.
Um dos policiais foi atingido no pescoço e outro na perna. Ambos estão fora de perigo. A terceira vítima foi uma passante grávida, atingida de raspão por um dos projéteis. Ela também não corre risco de vida.
Segundo a polícia, o autor dos disparos se postou diante da sede do governo e, sem dizer qualquer palavra, disparou cinco vezes contra os policiais, para depois tentar fugir.
Segundo o ministro do Interior, Angelino Alfano, o autor dos disparos tentou se suicidar, mas já não tinha munição.
O diretor da UTI do hospital Umberto I de Roma, Claudio Modini, declarou que Giuseppe Giangrande, o policial atingido no pescoço, passa por exames para saber se o disparo afetou sua coluna vertebral.O militar foi submetido a uma pequena cirurgia para extração da bala.

1 / 1
Brigadeiro Casagrande, o militar ferido / Corriere dela Serra

Ultimas Notícias

Loading...