Últimas Notícias

Compartilhe


Osama Bin LadenWashington, 29 ago (Prensa Latina) Um livro escrito por um ex-militar estadunidense que participou no operativo contra Osama Bin Laden contradiz a versão oficial do governo sobre a forma que morreu o líder da Al-Qaeda.

  O autor, Matt Bissonnette, põe em dúvida se Bin Laden representava uma ameaça real quando os militares dispararam pela primeira vez contra ele, informou hoje o canal de televisão CBS.

Ao parecer, o líder da Al-Qaeda recebeu um tiro na cabeça quando apareceu na porta de seu quarto ao mesmo tempo em que os membros do grupo de operações especiais da Marinha de Guerra conhecido pelas siglas Seal, subiam por uma escada estreita para seu apartamento.

O autor assinala que quando os Seals chegaram onde estava Bin Laden, o encontraram ainda vivo no chão, sobre uma poça de sangue, com um buraco visível no lado direito de sua cabeça, e dispararam várias vezes até que ele parou de se mover.

Os Seals acharam depois dois fuzis guardados, sem usar, ainda que segundo a administração do presidente Barack Obama, os militares dispararam contra Bin Laden só depois dele ter voltado ao quarto para procurar uma arma.

Um porta-voz da Casa Branca citado pela CBS se negou a comentar sobre a aparente contradição.

Outra possível revelação que incomoda o governo de Obama é que durante o voo de regresso do operativo em um helicóptero, um dos Seals ia sentado sobre o peito do cadáver de Bin Laden, segundo o autor.

Bissonnette também afirma que nenhum dos Seals eram partidários do mandatário e estavam seguros que a Casa Branca aproveitaria com fins eleitorais o resultado do assalto, que teve lugar em maio de 2011, sob a direção da Agência Central de Inteligência (CIA).

Além de todas as observações que incomodam a administração democrata, funcionários públicos do governo temem que o texto inclua informação secreta, porque não passou pela revisão exigida pelo Pentágono, conclui CBS.

O livro, titulado "No Easy Day" (Dia Nada Fácil, em inglês) seria publicado no dia 11 de setembro, mas os editores decidiram adiantar seu lançamento para o dia 4, pelo interesse que a obra despertou na opinião pública estadunidense.

rc/rgh/cc

Candidato do PRB aparece com 31% das intenções de voto contra 22% de Serra; Haddad subiu seis pontos
Serra, Russomanno e Haddad ocupam os três primeiros lugares nas intenções de votos em SP / Montagem Divulgação e FolhapressSerra, Russomanno e Haddad ocupam os três primeiros lugares nas intenções de votos em SPMontagem Divulgação e Folhapress


O candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, é o líder nas intenções de votos segundo pesquisa Datafolha divulgada nesta quarta-feira. Segundo o levantamento, Russomanno aparece com 31% das intenções de votos. Em segundo lugar vem o candidato José Serra (PSDB), com 22%. Serra caiu cinco pontos em relação à pesquisa anterior.

O petista Fernando Haddad subiu seis pontos e aparece com 14% no terceiro lutar. Gabriel Chalita, do PMDB, oscilou para 7%. A candidata do PPS, Soninha Francine, vem em seguida com 4%. Paulinho da Força, do PDT, tem 2% das intenções de voto. 

Ana Luiza (PSTU) e Carlos Giannazi (PSOL) aparecem com 1%. Os demais candidatos não pontuaram.

Rejeição 

Ainda segundo o levantamento, o tucano José Serra aparece com um índice maior de rejeição em relação ao início da campanha. Ao todo, 43% dos entrevistados afirmaram que não pretendem votar nele. 

O Datafolha ouviu 1.069 eleitores entre os dias 28 e 29. A pesquisa foi realizada pelo jornal “Folha de S.Paulo” e a TV Globo. O levantamento foi registrado na Justiça Eleitoral, sob o número 582/2012. A margem de erro é de três pontos para mais ou para menos.

Família confirmou morte neste sábado após complicações de cirurgia. Ex-astronauta havia sido submetido a uma desobstrução de artérias do coração no início do mês

Divulgação/Nasa
iG São Paulo | - Atualizada às



Neil Armstrong, primeiro homem a caminhar na Lua, morreu neste sábado aos 82 anos

O ex-astronauta norte-americano Neil Armstrong, o primeiro homem a pisar na lua, morreu aos 82 anos neste sábado, em Ohio, nos Estados Unidos. Armstrong tinha sido submetido a uma cirurgia no coração no último dia 5 para desobstruir artérias. Segundo a própria família do ex-astronauta, Armstrong morreu após complicações da mesma cirurgia.

"Estamos de coração partido por compartilhar a notícia de que Neil Armstrong morreu devido a complicações após a cirurgia cardíaca", disse a família de Armstrong em comunicado obtido pela rede de televisão americana CNN.

Como comandante da missão Apollo 11, Armstrong se tornou o primeiro ser humano a pisar na Lua, em 20 de julho de 1969. Foi ele quem proferiu a histórica frase: "Um pequeno passo para um homem, um grande salto para a humanidade”.

Ela era o comandante da primeira missão lunar, na Apolo 11, ao lado dos astronautas Buzz Aldrin e Michael Collins. Em 21 de julho de 1969, a cápsula lunar Eagle pousou sobre a superfície lunar e Armstrong - como havia sido planejado - foi o primeiro homem a caminhar sobre a Lua.

Piloto da Marinha
O comandante nasceu no dia 5 de agosto de 1930. Ele foi piloto da Marinha dos Estados Unidos entre 1949 e 1952 e lutou na Guerra da Coreia. Formou-se em 1955 em engenharia aeronáutica pela Universidade de Purdue e atuou como piloto civil da agência que deu origem à Nasa, a Naca (Conselho Nacional de Aeronáutica Em uma rara entrevista em maio deste ano , Neil Armstrong disse que os astronautas do histórico voo Apolo 11 calculavam em apenas 50% as possibilidades de pousar sobre a superfície do satélite. "Pensava que eram de 90% as possibilidades de retornar sãos e salvos à Terra depois do voo, mas apenas 50% de possibilidades de pousar sobre a Lua nesta primeira tentativa", disse Armstrong na ocasião.  A entrevista causou extrema surpresa, já que o veterano astronauta praticamente não fez declarações públicas nos últimos anos. Mas ele decidiu romper o silêncio em uma entrevista à  Associação Australiana de Peritos Contábeis Certificados. Segundo o presidente da entidade, o ex-astronauta decidiu oferecer a longa entrevista porque seu pai foi um contador público.
Repercussão
A morte do primeiro homem a pisar na Lua gerou muita repercussão em todo o mundo. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, não demorou a lamentar publicamente o falecimento de Armstrong. "Neil foi um dos maiores heróis americanos, não somente de sua época, mas de todos os tempos. Quando ele e seus companheiros de bordo pousaram na Lua com a Apollo 11, em 1969, levaram consigo as aspirações de uma nação inteira", afirmou.
Edwin "Buzz" Aldrin, o segundo homem a pisar na Lua e ex-companheiro de Armstrong, também se manifestou após a confirmação da morte. "Estendemos nossas mais profundas condolências à Carol e a toda a família Armstrong pela morte de Neil. Ele fará muita falta", afirmou.  Outro ex-companheiro de Armstrong, Michael Collins também reverenciou o amigo. "Ele foi o melhor, e eu vou sentir muito a sua falta."
No comunicado oficial assinado pela família de Armstrong, seus parentes pedem que a memória do ex-astronauta seja reverenciada por quem o admirava. "Para aqueles que eventualmente perguntarem o que podem fazer pela memória de Neil, temos um pedido simples. Lembrar seu exemplo de serviço, comprometimento e modéstia. E da próxima vez que andarem pela rua em uma noite e olharem a Lua sorrindo para vocês, pensem em Neil e deem uma ‘piscadinha’ a ele", diz o texto.
Trajetória
Armstrong teve seu primeiro contato com a Nasa no Centro de Pesquisas Lewis, onde trabalhou como piloto de provas desde 1955 e em 1962 foi admitido como astronauta e sucessivamente ocupou os postos de chefe do Escritório de Operações e Treino de Astronautas, suplente da tripulação do "Gemini 8" e organizador de voos espaciais tripulados, passando depois à equipe de voos de alunissagem.
O astronauta quase morreu em 7 de maio de 1968, durante uma prova em que o módulo lunar se incendiou no deserto do Texas. Depois da conquista da Apollo XI, quando Armstrong e Aldrin permaneceram na superfície lunar durante duas horas e 15 minutos, Armstrong continuou ligado à Nasa, que abandonou em 1971 para retornar a sua terra natal e dar aulas como professor de Engenharia Aerospacial.
Armstrong foi, além disso, presidente do Comitê Presidencial Consultivo para o Corpo de Paz (1971-1973), membro da Comissão Nacional do Espaço (1985-1986) e vice-presidente da Comissão presidencial para a investigação do acidente da nave "Challenger" (1986).
Em companhias privadas, ocupou diversos postos, como os de diretor das empresas Cincinnati Gas and Electric Co., Cincinnati Milacron, Inc., Eaton Corporation, RMI Titanium Company e Thiokol Corporation, entre outros. Foi também presidente da Ail Systems Inc., especializada em computadores para aviação, e em janeiro de 1988 obteve uma nova conquista: deu a volta ao mundo a bordo de um Boing 77 no tempo recorde de 37 horas, com outras 99 pessoas.
Aposentado em sua casa em Lebanon (Ohio), deu algumas conferências sobre voos espaciais, e suas aparições públicas coincidiram com as celebrações dos aniversários da chegada do homem à Lua. Sobre o primeiro homem que pisou na Lua, foi escrito o livro "First man: The life of Neil A. Armstrong" (ainda sem tradução em português), cujos direitos foram comprados para adaptar a obra a um filme.
*Com Reuters e agências internacionais.
Estive olhando a prestação de contas dos candidatos a Prefeito e vereador de Botucatu, feitas até o dia 02 de agosto de 2012, e confesso que fiquei surpreso com o que vi lá no site do TSE, como pode com tantas propagandas nas Ruas da Cidade desde o dia 07 de julho e ninguém gastou ou arrecadou nada isto, é um verdadeiro milagre.
É estranho porque tem um candidato a vereador que tem propaganda em toda cidade e o mesmo não arrecadou nada e tão menos gastou nada.
De vários candidatos consultados, apenas dois candidatos tem depósito em suas contas que são eles Ednei Lazaro da Costa Carreira com 400,00 reais e Manoel Oliveira com 700,00 reais, ambos com recursos próprios, os demais estão zerados.
Vamos aguardar a próxima prestação de contas para ver a movimentação dos candidatos e dos partidos.
Porque com tantas placas, adesivos e cavaletes nas Ruas, casas e veículos, não é possível que tudo isso caiu do Céu ou alguém  fez a doação de todo esse material, vamos esperar pra ver o que vai acontecer na próxima prestação de contas.
Hoje foi realizado primeiro debate entre os candidatos a Prefeitura de Botucatu, conversei com um presidente de partido que falou que os convites distribuídos foram de 15 convites para cada coligação, mas algum milagre deve ter acontecido por que se foram 15 convites para cada coligação, o auditório da f8, teria pouco mais de quarenta pessoas, mas o que se via era que a grande maioria dos convidados pertencia aos tucanos algo no mínimo estranho porque se era 15 para cada coligação, como explicar que mais da metade dos presentes estavam com o adesivo dos tucanos.
O debate em si foi morno ou por si tratar do primeiro debate ou sei lá por que, mas durante o debate, deu para perceber uns momentos estranhos como uma piscadinha que o Bilo deu para o Cury dando a entender que a coisa estaria meio que combinado, depois do debate, tive a confirmação de que isto poderia ter acontecido.
Se realmente isto aconteceu, é lamentável e mostra que tem pessoas que faz política por brincadeira.

Não é só em Botucatu que Pacientes Morrem por falta de atendimento Médico, na Capital o Sistema é igual. Vejam o que aconteceu com essa estudante.
Aluna morre em sala de aula após esperar 42 minutos por socorro, diz família

Angelita Pinto, de 28 anos, sofria de arritmia cardíaca e havia um mês que não tomava medicamentos por orientação médica

iG São Paulo | - Atualizada às
HÉLIO TORCHI/AE/AE

Universitária Angelita Pinto, de 28 anos

A estudante universitária Angelita Pinto, de 28 anos, aluna do 1º semestre do curso de Ciências Contábeis, teria agonizado, segundo a família, por 42 minutos antes de morrer, sem receber socorro, à espera de uma equipe de atendimento, na noite de quinta-feira (23). Ela morreu em uma das salas de aula da Faculdades Unidas Metropolitana (FMU), campus Itaim Bibi, na rua Iguatemi, zona sul da São Paulo.
Investigação:  "É cedo para apontar culpados", diz delegado
Eram 21h30 quando a jovem começou a passar mal. Quando os bombeiros chegaram já era tarde. A estudante, segundo parentes, sofria de arritmia cardíaca e havia um mês não tomava medicamentos por orientação médica.
O marido da universitária, José Carlos dos Santos, ao chegar à faculdade, foi informado pelos bombeiros, por colegas de Angelita e por policiais que não havia médico e enfermeira naquele momento na instituição. Ao ser indagado sobre o que a direção da faculdade disse, José Carlos afirmou: "'Meus sentimentos', foi apenas o que me passaram. Eles não deixaram os colegas socorrerem minha esposa. Os bombeiros chegaram depois de 42 minutos. A gente vai entrar com processo, pois isso não pode ficar assim. Foi praticamente um homicídio", desabafou.
Leia também:  Alunos da FMU Itaim citam falta de estrutura para atendimentos emergenciais
Pelo boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar, Angelita passou mal às 21h30 e a ambulância só chegou às 22h12. A Secretaria Municipal de Saúde, no entanto, informou que o Samu foi acionado às 21h46 e chegou ao local às 22h05, ou seja, 19 minutos depois.

Por meio de nota, a secretaria informou que, "desde a chamada até a chegada da ambulância ao local, o atendente permaneceu na linha com o solicitante passando as orientações de como deveria conduzir a situação até a chegada da equipe ao local".
Angelita foi atendida pela equipe do Corpo de Bombeiros, que chegou primeiro ao campus da universidade. Segundo a corporação, foi registrado um chamado de socorro para vítima com problemas cardíacos às 21h49. A equipe teria deixado a base às 21h51 e chegado ao local 21h56, onde foi constatada a morte da estudante.
Investigação
O caso foi registrado no 14º DP, de Pinheiros, pelo delegado Pedro Ivo, como morte suspeita e omissão de socorro, mas foi transferido para o 15º DP, que é mais próximo a faculdade. Segundo o delegado Paul Henry Bozon Verduras ainda é cedo para apontar culpados ou responsáveis pela suposta omissão de socorro. "Agora é um momento de calma. É normal a sociedade buscar os responsáveis, mas é cedo para apontar culpados. Vamos respeitar o momento da família e começar a série de depoimentos na próxima semana", disse.
Procurada pela reportagem do iG , a FMU enviou um comunicado lamentando a morte da estudante e detalhando a ordem cronológica dos fatos. Também informou que tem 2 mil alunos matriculados e que possui um desfibrilador com inspetores habilitados a usá-lo. O aparelho emite choques elétricos que podem retomar as batidas do coração de quem sofreu parada cardiorrespiratória. De acordo com a legislação municipal, ele é obrigatório em locais com frequência média superior a 1,5 mil pessoas por dia (não há, de acordo com a lei, a obrigatoriedade de existência de ambulatórios em instituições de ensino).
Veja a íntegra do comunicado:
"O Complexo Educacional FMU lamenta, com muito pesar, o ocorrido na noite de 23/08, no campus Itaim Bibi, com a aluna Angelita Pinto Simões Caldas, do curso de Ciências Contábeis, e presta os seguintes esclarecimentos:
19h15: Angelita chega ao campus para assistir aula.
20h40: Após assistir a primeira aula, a aluna sai para o intervalo.
20h45: No intervalo de aula, a aluna comenta com colegas de classe e com o professor que estava cansada, pois havia dormido pouco na noite anterior e relata ainda que tinha se alimentado de forma inadequada.
21h: Todos os alunos retornaram para sala de aula, inclusive Angelita.
21h37: Roberta Lima notou que sua amiga não estava passando bem. Nesse momento o professor foi ao encontro de Angelita e verificou que a mesma se encontrava em estado de mal súbito e imediatamente se deslocou para a administração do campus para pedir socorro.
21h40. Foi acionado simultaneamente pela FMU o Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar e o SAMU - Serviço de Atendimento Móvel de Urgência.
21h51: O Corpo de bombeiro, que já estava no local, iniciou os primeiros atendimentos.
22h05: Chegada do SAMU ao local da ocorrência.
Toda a comunidade metropolitana está em luto, em respeito a perda de nossa aluna, Angelita Pinto Simões Caldas, e informa que está amparando seus amigos e familiares nesse momento de muita tristeza e dor."
Cientistas observaram comportamento de girafas em reservas na África e chegaram à conclusão que a espécie está no grupo do animais que sentem a morte de companheiros

BBC | - Atualizada às

Zoe Muller

"Velar" filhote é comportamento incomum para girafas

Um curioso incidente a respeito de uma girafa morta reabriu a discussão sobre se os animais sofrem por seus mortos.

Zoólogos testemunharam uma girafa mãe se recusando a sair de perto do corpo de seu filhote morto, no terceiro incidente do tipo registrado.

Outros animais sociais, como elefantes e chimpanzés, são conhecidos por examinar atentamente os corpos de seus mortos, especialmente de parentes próximos. Esse tipo de comportamento levanta discussões sobre a possibilidade de que os animais tenham um "modelo mental" de morte.

Detalhes do último incidente foram publicados no African Journal of Ecology.

O professor de zoologia Fred Bercovitch, pesquisador do Primate Research Institute &Wildlife Research Centre na Universidade de Kyoto, no Japão, e da Giraffe Conservation Foundation, com sede em Surrey, na Grã-Bretanha, testemunhou um desses episódios.

Enquanto observava girafas no South Luangwa National Park, na Zâmbia, Bercovitch testemunhou uma girafa se inclinar sobre seu filhote natimorto. Ela passou vários minutos lambendo o filhote, antes de levantar

A girafa repetiu o comportamento algumas vezes, ficando ao todo mais de duas horas examinando do filhote que perdeu.

Comportamento
Esse comportamento é surpreendente por diversas razões. As girafas fêmeas raramente passam tempo sozinhas, e no entanto esta passou horas com seu filhote morto, longe das outras fêmeas.

As girafas também raramente se inclinam, a não ser para beber ou comer. E, a não ser por dois outros episódios semelhantes, as girafas não costumam ser vistas examinando atentamente seus mortos.

"A reação maternal a seu filhote morto não foi tão prolongada quanto a observada em elefantes africanos", escreveu Bercovitch. Elefantes e  chimpanzés, ambos vivendo em grupos altamente sociais, já foram observados aparentemente sofrendo a perda de seus mortos .

Os elefantes ficam agitados quando um membro de sua manada morre, examinam o morto e geralmente protegem os corpos. Há registros de chimpanzés carregando seus filhotes mortos. Geralmente, filhotes mais velhos são carregados por mais tempo.


Zoe Muller

Episódios mostram que girafas mães formam laços mais profundos com filhotes do que se pensava

Episódios
No caso das girafas, em um dos três episódios registrados até agora, em 2010, no Quênia, uma girafa fêmea passou quatro dias ao lado do filhote de um mês que havia acabado de morrer. O comportamento foi observado pela bióloga Zoe Muller.

Dezessete outras girafas fêmeas cercaram o corpo do filhote em diferentes momentos ao longo dos quatro dias.

No incidente da Zâmbia, testemunhado por Bercovitch no fim do ano passado, a girafa ficou duas horas com o filhote, que aparentemente nasceu morto.

O terceiro episódio foi registrado em 2011, na Namíbia, quando uma manada de girafas parou para inspecionar o local em que uma jovem fêmea havia morrido três semanas antes.

Uma girafa macho parou de caminhar e farejou o terreno. Quatro outros membros da manada examinaram o local da mesma maneira.

Laços
No entanto, enquanto o comportamento de elefantes e primatas tem sido usado para sugerir que alguns mamíferos são capazes de conceituar a morte, Bercovitch se mantém cauteloso.

Os episódios claramente mostram que girafas mães formam laços com seus filhotes de maneira mais profunda do que se pensava, diz Bercovitch.

Mas a importância da descoberta também pode residir mais no fato de que amplia o número de espécies que reagem quando parentes ou membros de seu grupo morrem.

Somente ao coletar evidências de várias espécies os cientistas poderão começar a investigar se os animais sofrem por seus mortos, e em que momento da evolução essa característica apareceu.
O secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça, se reúne com representantes s dos integrantes das carreiras do ciclo de gestão
O secretário de Relações do Trabalho do
Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça
em reunião com servidores (Valter Campanato/ABr)


Brasília - O Ministério do Planejamento informou, há pouco, que será concluída hoje (24) a negociação para fechamento de acordos salariais com os servidores públicos em greve. A pasta admite, porém, que podem haver ainda conversas com algumas categorias amanhã (25).
Segundo a assessoria de Comunicação, o objetivo é encerrar as reuniões com os sindicatos que representam os servidores para que o ministério possa redigir a proposta de lei orçamentária anual, a ser encaminhada ao Congresso Nacional até sexta-feira.


Até agora, duas entidades aceitaram o acordo. A Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores das Universidades Públicas Brasileiras (Fasubra) – representante dos técnicos administrativos – concordou com o aumento de 15,8% parcelado até 2015. A Federação de Sindicatos de Professores de Instituições de Ensino Superior (Proifes), que representa os professores, aceitou reajuste de 25% a 40% para os docentes.


Nas duas últimas semanas, dirigentes da Secretaria de Relações do Trabalho Ministério do Planejamento participaram de mais de 60 reuniões com categorias em greve, ou que ameaçam paralisação. Desde 6 de março, quando começou a campanha salarial, foram realizados mais de 180 encontros.


Apesar disso, não foi possível chegar a um denominador comum com os servidores. O Planejamento admite que pode não ser possível cumprir a meta de alcançar acordos até o fim desta sexta-feira, mas destaca que as categorias que não aderirem à proposta do governo,  em tempo hábil, podem ficar sem reajuste.


Hoje (24), servidores da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) se reuniram com o secretário de Relações do Trabalho, Sérgio Mendonça. Eles receberam proposta de reajuste de 15,8% em três anos, a mesma feita à maior parte das categorias. O secretário recebe também os servidores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Da Redação

Cienstistas da tailândia descobriram uma nova doença parecida com a Aids.

O anticorpo faz com a imunidade cair assim como àqueles infectados pelo HIV.

Como resultado, as pessoas afetadas têm mais chances de infecções provocadas por microbactérias.

De acordo com o estudo, essas infecções são comuns em pessoas com com baixa imunidade, como aquelas que sofrem com a Aids.

No entanto, elas são raras entre aqueles que não têm a doença.

O artigo acrescentou que são necessárias mais pesquisas para determinar por que as povoações do sudeste asiático parecem predispostas ao desenvolvimento deste problema.

Como a idade média dos participantes era de 50 anos, os pesquisadores sugerem a hipótese de que esses anticorpos se desenvolvem não apenas como resultado de fatores genéticos, mas também ambientais.

Meia hora de exercícios diários trouxe resultados surpreendentes

Reprodução

DE BBCBRASIL
Trinta minutos de exercícios diários são tão efetivos na redução de peso e de massa corporal quanto 60 minutos, segundo um estudo dinamarquês.
A pesquisa, feita por especialistas da Universidade de Copenhague, acaba de ser publicada na revista científica American Journal of Physiology.
Durante 13 semanas, a equipe da Faculty of Medical and Health Sciences monitorou 60 homens obesos - porém saudáveis - que tentavam melhorar sua condição física.
Metade dos participantes seguiu um programa de uma hora de exercícios diários e a outra metade fez apenas meia hora de exercícios. Enquanto se exercitavam, os dois grupos usavam um medidor de batimentos cardíacos e um contador de calorias
Os exercícios tinham vigor suficiente para produzir suor. Os resultados do experimento surpreenderam a equipe dinamarquesa.
Em média, os participantes que fizeram 30 minutos de exercícios diários perderam 3,6 quilos em três meses. Os que fizeram uma hora de exercícios, no entanto, perderam apenas 2,7 quilos. Nos dois grupos, a perda de massa corporal foi a mesma - 4 quilos.
Segundo um dos pesquisadores, Mads Rosenkilde, os 30 minutos de exercícios ofereceram uma vantagem adicional: "Os participantes que fizeram 30 minutos de exercícios por dia queimaram mais calorias do que deveriam em relação ao programa de treinamento que criamos para eles".
Em contrapartida, "observamos que fazer exercícios por uma hora em vez de meia hora não oferece perda adicional de peso ou gordura. Os homens que fizeram mais exercícios perderam pouco em relação à energia que queimaram correndo, andando de bicicleta ou remando".
"Trinta minutos de exercícios concentrados dão resultados igualmente bons na balança", concluiu.

Motivação

A equipe sugeriu algumas possíveis explicações para os resultados. Segundo Rosenkilde, fazer 30 minutos de exercícios por dia é uma meta tão possível de ser alcançada que os participantes tinham vontade e energia para mais atividades físicas após sua sessão diária de exercícios.
Além disso, o grupo que passou 60 minutos se exercitando provavelmente comeu mais, portanto perdeu um pouco menos peso do que o esperado.
"Os participantes do nosso estudo treinaram todos os dias durante três meses. Os treinos foram planejados para produzir um leve suor, mas os participantes tinham de aumentar a intensidade e dar tudo de si três vezes por semana", explicou Rosenkilde.
Ele admitiu que ficou surpreso com os resultados e disse que agora a equipe quer estudar o efeito de outros tipos de exercício.
Em média, 40% dos homens dinamarqueses estão classificados como moderadamente obesos.
O estudo da equipe da Universidade de Copenhague é único por ter se focado nessa parcela da população.
Os participantes queriam mudar seu estilo de vida com a ajuda dos exercícios, e durante o período de duração do estudo, foram acompanhados de perto por especialistas em saúde interessados em questões como o equilíbrio energético, resistência à insulina e presença de hormônios no sangue.
Etnólogos também participaram do estudo para tentar entender as barreiras culturais associadas ao exercício e à mudança em hábitos arraigados.
Em outro estudo britânico noticiado recentemente pela BBC Brasil, pesquisadores da University College London concluíram que fazer duas horas e meia de exercícios moderados por semana, mesmo quando a pessoa adota a prática na meia idade (após os 40 e até 50 anos de idade) já é suficiente para proteger a saúde do seu coração.

24 de agosto de 2012 16h17 atualizado às 16h29




Zé Carioca surgiu em 1942 como uma política de boa vizinhança dos EUA pré-2° Guerra Mundial. Foto: Reprodução Zé Carioca surgiu em 1942 como uma política de boa vizinhança dos EUA pré-2° Guerra Mundial

Foto: Reprodução


Zé Carioca, o mais malandro dos personagens brasileiros criado no exterior, completa 70 anos nesta sexta-feira (24). A data marca a première da animação Alô Amigos, com o papagaio da Disney, no Rio de Janeiro, em 1942. Porém, muitos creditam sua criação no ano anterior, quando Walt Disney em pessoa desenhou o icônico pássaro em um guardanapo no hotel Copacabana Palace.     Em 1941, os Estados Unidos ainda não estavam envolvidos na 2° Guerra Mundial, mas já sentiam a ameaça iminente do Japão no Oceano Pacífico. Precisando de aliados em toda a América, o governo decidiu que precisava acabar com o antiamericanismo no continente e usou da influência dos estúdios Disney para uma ofensiva cultural. Quatro meses antes do ataque de Pearl Harbor pelo Japão, em dezembro de 1941, o cartunista fez uma turnê por Brasil, Argentina, Chile e Peru com esse propósito.     Em Alô Amigos, produção de 42 minutos, Pato Donald visita o Brasil e aprende samba com Zé Carioca, com Aquarela do Brasil e Tico-tico no Fubá como trilha sonora. A animação apresenta ainda o cowboy Pateta visitando os pampas argentinos, Pato Donald arrumando confusões com uma Lhama no Lago Titicaca, entre o Peru e Bolívia, e o avião cargueiro Pedro partindo do Chile com destino a Mendonza, na Argentina.   Em quadrinhos, o preguiçoso e farrista papagaio brasileiro chegou primeiro nos jornais Estados Unidos pelo pincéis de Paul Murry e roteiro de Hubie Karp, entre 1942 e 1945, com um total de 104 páginas. Nos HQs, Zé Carioca apareceria pela primeira vez em dezembro de 1942, na revista Walt Disney's Comics and Stories, também dos Estados Unidos.     No Brasil, Zé Carioca ganhou sua própria revista em 1961, pela Editora Abril, mas sua primeira edição recebeu o número 479, já que as histórias do personagem eram publicadas desde os anos de 1950 em O Pato Donald, também pela empresa de Victor Civita.     Outra versão sobre o surgimento de Zé Carioca é ambientada também em 1942 com o músico José do Patrocínio Oliveira. Segundo a história, enquanto finalizava Alô Amigos, Walt Disney teria conhecido o brasileiro, que era cheio de trejeitos. O personagem, então, teria sido inspirado nele, que emprestou sua voz para o papagaio na versão brasileira.
São Paulo, 24/08/2012
Propagandas de Chalita com participação de Dilma ou filiados do PT são suspensas
O juiz eleitoral Manoel Luiz Ribeiro concedeu liminar para suspender, imediatamente, a transmissão de inserções em áudio e vídeo do candidato à prefeitura pelo PMDB, Gabriel Chalita, em que a presidente Dilma Roussef ou qualquer filiado do Partido dos Trabalhadores (PT) apareçam.
O magistrado acatou pedido da Coligação Para Mudar e Renovar São Paulo, composta pelo PT / PC do B / PSB / PP, e entendeu que “há, em tese, a associação de ideia que pode confundir o eleitor”, ou seja, a aparição de Dilma ou partidários do PT corre o risco de induzir o eleitor a pensar em um apoio político inexistente.
Por se tratar de concessão de liminar, o mérito da representação ainda será julgado.
23 de Agosto de 2012 - 11:36
 
Justiça concede liberdade ao cabo Bruno após 27 anos de prisão Cabo Bruno, acusado de mais de 50 assassinatos, terá direito a liberdade (Foto: Reprodução/TV Globo)
Decisão torna o ex-policial livre de débitos pendentes com a Justiça.
Oliveira havia sido condenado a 120 anos de prisão


A Justiça de Taubaté concedeu na tarde de quarta-feira (22) o indulto para Florisvaldo de Oliveira, conhecido como Cabo Bruno.
Condenado a 120 anos de prisão, ele cumpriu 27 anos e deverá deixar a penitenciária Doutor José Augusto César Salgado, em Tremembé, conhecida como P2, ainda nesta quinta-feira (2).

Segundo o Tribunal de Justiça, foi concedido indulto pleno do restante da pena. Assim, o Oliveira não terá mais débitos pendentes com a Justiça.

Ex-policial militar de São Paulo, cabo Bruno é acusado de chefiar um esquadrão da morte que atuava na periferia da capital paulista na década de 1980. Ele foi acusado de mais de 50 assassinatos e está detido em Tremembé desde 2002, onde atuava como pastor.

Em 2009, o advogado de defesa pediu a progressão da pena - do regime fechado para o semiaberto. Os exames criminológicos apontaram bom comportamento do preso.

No último dia 14, o promotor Paulo José de Palma, responsável pelo processo do cabo Bruno, encaminhou um parecer favorável ao indulto para a decisão final da Vara Criminal.

Junto com o parecer do promotor, baseado em lei que prevê a liberdade definitiva para presos com bom comportamento e com mais de 20 anos de prisão cumpridos, estão documentos com elogios de funcionários e da própria direção da P2 quanto à conduta de Florisvaldo na unidade.

Em agosto, na saída temporária dos presos no Dia dos Pais, o cabo deixou a penitenciária pela primeira vez. A saída foi comemorada por amigos no site de relacionamento da mulher dele, uma cantora evangélica que se casou com Florisvaldo dentro da penitenciária.

Expectativa
Na segunda-feira (20), a reportagem do G1 conversou com Florisvaldo de Oliveira em uma área da sede administrativa do presídio. Calmo, sempre sorridente e bastante observador, Cabo Bruno contou sobre sua rotina, a expectativa de ganhar a liberdade e lembrou fatos que vivenciou durante o período do cárcere.

Enquanto aguardava o despacho que poderia mudar sua vida, Florisvaldo manteve a rotina que segue desde 2009 no regime semiaberto. Ele acorda por volta das 5h30 e às 6h, quando o portão do alojamento é aberto, sai para o café da manhã e vai para a horta da unidade, onde trabalha diariamente cultivando os vegetais que são servidos no almoço dos próprios detentos.

Entre 11h20 e 12h20, o ex-policial segue para o almoço, e em seguida retorna para o trabalho na horta até as 17h. Depois, encara a fila nos quatro orelhões existentes no pátio disponíveis para os presos do regime semiaberto, para conseguir ligar para a família e saber as notícias do lado de fora. Cada preso tem até dez minutos para usar os aparelhos e a ordem de uso é definida por meio de uma lista elaborada por eles, diariamente e conforme o interesse de uso.

"Estou ansioso pela decisão da Justiça, mas ao mesmo tempo me mantendo com os pés no chão. São 27 anos nesta vida e sou igual a Tomé, só acredito vendo", disse.

Fé e arte
Além do trabalho na horta, Cabo Bruno divide o tempo na prisão com a missão de pastor evangélico, celebrando cultos nos fins desemana na capela da P2 - construída pelos próprios presos - e com a pintura de telas. Autodidata, Florisvaldo aprendeu a pintar quadros em 1996, quando esteve preso na Casa de Custódia de Taubaté.

Desde então, segundo ele, já fez entre 800 e 1000 telas, que foram vendidas para detentos e parentes de presos. "É uma forma que encontrei de ajudar a família com as despesas", disse. O preço 'normal' das telas de cabo Bruno varia entre R$ 300 e R$ 400. Suas pinturas passeiam entre paisagens e natureza morta.

Entre os clientes de Cabo Bruno também estão promotores, juízes e presos 'famosos', como o ex-controlador do Banco Santos Edemar Cid Ferreira, que também esteve preso na P2 em 2006, acusado de lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. "Edemar entendia de arte e gostou muito do meu trabalho. Foram pelo menos dez quadros com preços entre R$ 1000 e R$ 1500 que ele levou para a coleção de arte dele", contou.

Liberdade
Este mês Florisvaldo pôde sentir por cinco dias o gosto da liberdade. Entre os dias 8 e 13 de agosto, ele ficou fora da unidade prisional, convivendo com a família, beneficiado pela primeira vez com a saída temporária do Dia dos Pais.

"Foi uma sensação difícil de explicar. A alegria era tanta que eu não quis avisar ninguém. Aproveitei cada segundo e sai da prisão caminhando por mais de duas horas até a casa da minha esposa, onde fiz uma surpresa para todos", contou.

No período que esteve longe das grades, Florisvaldo frequentou cultos evangélicos todas as noites junto com a esposa que é pastora. Eles se conheceram durante as visitas evangélicas que ela fazia na capela do presídio.

"Na primeira noite de liberdade depois de 21 anos sem ver a rua, cumpri minha promessa feita para Deus quando eu ainda estava no regime fechado: passei a primeira noite em um monte junto com outros irmãos da igreja e a minha esposa, orando e agradecendo. Apesar de nunca ter tido a noite oficial de núpcias, a primeira noite fora foi dedicada a Deus", brincou. Entre um culto e outro, Cabo Bruno participou de reuniões familiares e fez questão de ir ao centro da cidade fazer compras.

Prisão e fugas
Cabo Bruno foi preso pela primeira vez em 1983 e levado para o presídio militar Romão Gomes, na capital. Entre 1983 e 1990, o ex-pm fugiu três vezes da unidade, uma delas inclusive depois de fazer funcionários reféns. Em maio de 1991 foi recapturado pela quarta vez, e nunca mais saiu.

Em junho de 1991 Florisvaldo foi levado para a Casa de Custódia de Taubaté, onde ficou até 1996. Dentro do 'piranhão' da Custódia, unidade onde nasceu a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), o ex-policial permaneceu os mais de cinco anos em uma cela isolado 24 horas dos demais presos.

"Com ameaças de morte frequentes, passei estes anos sem banho de sol, porque não podia encontrar com os outros detentos. De dentro da minha cela, eu apenas conseguia ouvir as vozes de detentos de celas próximas, por onde comecei a pregar, até instituir o horário diário das orações, no final do dia", lembra.

Em 1996, Florisvaldo foi levado para o Centro de Observação Criminológica, onde ficou até 2002, quando foi transferido para a P2 de Tremembé. Em 2009 ele passou do pavilhão do regime fechado da P2 para o semiaberto, dentro da mesma unidade, separados apenas por uma muralha.


Fonte: Portal G1
quinta-feira, 23 de agosto de 2012 19:58 BRT
 
 
BRASÍLIA, 23 Ago (Reuters) - Servidores do Poder Judiciário e do Ministério Público que se manifestavam na Praça dos Três Poderes entraram em confronto com a Polícia Militar nesta quinta-feira, após grevistas derrubarem algumas das grades de contenção instaladas entre o Palácio do Planalto e a praça, rodeada pelas sedes do Executivo, Judiciário e Legislativo.
O trânsito foi interrompido por cerca de uma hora na via que dá acesso ao local, segundo o tenente-coronel da Polícia Militar do Distrito Federal, Antonio Carlos.
Após derrubarem algumas das grades que cercam a praça e também o Palácio do Planalto, houve um confronto entre manifestantes e a polícia, que chegou a usar sprays contra os servidores, informação não confirmada pelo tenente-coronel.
Alguns manifestantes também atiraram objetos como cabos de bandeiras e pedras no efetivo de aproximadamente 200 policiais.
A Tropa de Choque foi mobilizada e posicionada, mas não entrou em ação. Um servidor foi detido, e logo depois liberado. Segundo a PM, não há relatos de feridos.
De acordo com o coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário e Ministério Público do DF (SindJus-DF), Jailton Assis, a manifestação contou com cerca de 2 mil pessoas. Já a PM estima que o protesto reuniu aproximadamente 500 pessoas em seu momento de pico.
Assis explicou que a categoria que representa reivindica um reajuste em média de 32 por cento, enquanto o governo, segundo o coordenador-geral, ofereceu uma proposta de 15,8 por cento em três anos.
"Queremos que o governo abra o diálogo", disse Assis a jornalistas. "Nós estamos há seis anos sem reajuste... toda vez que vamos negociar, falta adequação orçamentária", afirmou, argumentando que o governo teria condições de conceder um reajuste maior tendo em vista, na sua opinião, a perspectiva de crescimento da economia no segundo semestre.
As greves de servidores públicos têm trazido dor de cabeça ao governo, que tem até o dia 31 deste mês para incluir os reajustes na Lei Orçamentária Anual de 2013.  
Publicada em 23/08/2012 15:58:31
 
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski
O ministro Ricardo Lewandowski, revisor do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF), votou nesta quinta-feira (23/8) pela absolvição do réu João Paulo Cunha do crime de corrupção passiva.
Essa é a primeira divergência entre o revisor e o relator Joaquim Barbosa, que votou pela condenação do parlamentar nesse quesito.
De acordo com a denúncia do Ministério Público, o então presidente da Câmara dos Deputados, João Paulo Cunha, recebeu R$ 50 mil para privilegiar a SMP&B Comunicação, de Marcos Valério, em contrato de licitação na Casa.
O dinheiro foi sacado em espécie pela mulher de João Paulo Cunha, Márcia Regina, em uma agência do Banco Rural em Brasília.
A defesa de João Paulo Cunha alega que o parlamentar não tinha influência na comissão licitatória que escolheu a SMP&B entre outros seis concorrentes. Os advogados confirmam o saque de R$ 50 mil, mas informam que o valor foi liberado pelo PT e era destinado ao pagamento de pesquisas eleitorais na região de Osasco.
Para Lewandowski, não há corrupção se não ficar provado que houve ação ou omissão do funcionário publico como contraprestação da vantagem indevida. “Forçoso é concluir que o Ministério Público não logrou produzir uma prova sequer, nem mero indício, de que João Paulo Cunha trabalhou para favorecer ou dar tratamento privilegiado à SMP&B”, destacou.
De acordo com o ministro, a acusação do Ministério Público foi “abstrata”, pois todas as provas colhidas no processo comprovam que a comissão licitatória atuou de forma independente na escolha da SMP&B. Ele ainda lembrou que a contratação foi considerada legal pelo Tribunal de Contas da União e que nenhum concorrente contestou o resultado.
Lewandowski também entendeu que ficou “largamente provado” que os R$ 50 mil sacados por João Paulo Cunha não eram propina e, sim, quantia disponibilizada pelo PT para pagar pesquisas eleitorais. Para o revisor, as provas indicam que o dinheiro foi solicitado ao ex-tesoureiro nacional do PT Delúbio Soares, pois a região de Osasco era considerada prioritária para a legenda.
O revisor ainda entendeu que os presentes dados por Marcos Valério a João Paulo Cunha – uma caneta Montblanc e passagens aéreas para a secretária do parlamentar – não provam que houve corrupção. "Há ausência do ato de ofício cometido em contrapartida, de resto não identificado pela acusação”, concluiu. 
publicado em 23/08/2012 às 13h59

Transporte de alta velocidade vai ligar Rio a São Paulo ao custo de R$ 33,3 bilhões
 

Trem-balaMikhail Metzel/AP

O governo brasileiro anunciou nesta quinta-feira (23) a retomada do projeto para a construção de um trem de alta velocidade entre o Rio de Janeiro e São Paulo, uma obra calculada em R$ 33,3 bilhões e que tem licitação prevista para maio de 2013.

A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) publicou em seu portal os detalhes da licitação, que terá uma fase prévia de consultas à população, que poderá fazer "sugestões" sobre o projeto até 24 de setembro.

Segundo fontes da ANTT, as empresas interessadas, nacionais ou estrangeiras, poderão apresentar ofertas até 30 de abril de 2013 e a licitação será fixada para o dia 29 de maio. O processo será dividido em duas fases.

Na primeira, será escolhida a empresa ou consórcio responsável pela fabricação dos trens, com a obrigação de transferência de tecnologia e de operação do sistema. Na segunda fase, serão eleitos os responsáveis pela construção dos trilhos, das estações e do resto da infraestrutura necessária para o funcionamento do trem.

O projeto se arrasta há praticamente quatro anos e faz parte dos preparativos para a Copa do Mundo de 2014. No entanto, três licitações anteriores foram declaradas nulas, pois as empresas interessadas rejeitaram certas exigências do governo, como os preços considerados baixos para as passagens.
A última licitação foi realizada em julho de 2011, quando pela terceira vez o processo foi invalidado. Até agora, empresas da Coreia do Sul, França, Espanha, Japão e Alemanha demonstraram interesse no projeto, que pretende construir uma linha de alta velocidade ao longo de 510 quilômetros entre as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, de onde sairia uma segunda linha de 97 quilômetros até a cidade de Campinas.

Nos últimos meses, autoridades espanholas também avisaram o governo brasileiro que pretendem participar da licitação em função da vasta experiência em trens de alta velocidade, com empresas como a Ineco e a Renfe. O governo propôs que 60% da obra seja financiada com créditos dos bancos públicos brasileiros, sugestão inclusive que já foi aceita pelo Congresso.

Segundo os cálculos das autoridades, o primeiro trem de alta velocidade da América do Sul transportaria cerca de 33 milhões de pessoas no primeiro ano de operação, e esse número poderia chegar a 100 milhões em 2030. O projeto foi considerado complexo por muitos especialistas, já que implicará na construção de 90,9 quilômetros de túneis e de outros 107,8 quilômetros de pontes e viadutos para salvar os rios e poder passar pelos desníveis do relevo que apresentam as duas serras que separam São Paulo do Rio de Janeiro.

A retomada do projeto foi anunciada uma semana depois da apresentação de um ambicioso plano de concessões para o setor privado, no valor de R$ 133 bilhões, com o qual o governo pretende melhorar a antiga infraestrutura do país e alavancar a atividade econômica.
 Sem lingerie, Dani Sperle usa vestido transparente em ensaio
23 de agosto de 2012 20h00 atualizado às 20h16
Dani Sperle recebe os últimos ajustes durante ensaio fotográfico. Foto: Cacau Oliver/Divulgação Dani Sperle recebe os últimos ajustes durante ensaio fotográfico
Foto: Cacau Oliver/Divulgação
Dani Sperle esteve em São Paulo, nesta quinta-feira (23), onde participou de um ensaio fotográfico de moda. A modelo usou um vestido transparente, em que pôde exibir suas curvas. Ex-namorada do ator Alexandre Frota, Sperle participou de sessões de fotos para a revista Sexy e o site Paparazzo, entre outros. Mais recentemente, ela teria pedido ao hacker que invadiu sua conta no Twitter para que não divulgue uma conversa picante que teve com o jogador Neymar.

Em depoimento à CPI, Léa Batista de Oliveira afirmou que silêncio dos depoentes na comissão é prova de que a organização do contraventor ainda está ativa


Em depoimento à CPI do Cachoeira nesta terça-feira (21), a procuradora da República responsável pela operação Monte Carlo, Léa Batista de Oliveira, afirmou a organização criminosa comandada pelo contraventor Carlinhos Cachoeira não foi desarticulada e continua ativa, apesar de seu chefe estar preso.
Léa comparou o grupo de Cachoeira a uma máfia, com hierarquia e organização próprias. "O certo é que a operação desvelou uma máfia, uma sociedade bem estruturada, mais lucrativa que uma grande empresa. Um grupo profissionalizado, estável, permanente e habitual, montado para o cometimento de crimes de natureza grave. A sua existência por mais de uma década foi suficiente para montar uma estrutura estável e entranhada no seio do Estado”, disse Léa Batista.

Leonardo Prado/Agência Câmara
Para a procuradora da República, "silêncio orquestrado" de depoentes é prova de que organização continua na atividade

Acompanhe as últimas notícias da CPI do Cachoeira
Segundo ela, a atividade do grupo fica clara pela estratégia de "silêncio orquestrado" adotada pelos acusados e pelas ameaças a autoridades. Lea afirma que experiências anteriores mostram que, normalmente, membros de organizações criminosas aceitam colaborar com as investigações em troca de reduções de pena, mas isso não acontece com integrantes do grupo de Cachoeira. "Ninguém fala nada, é um código de silêncio, todos são leiais ao chefe da organização”, afirmou.
A procuradora relatou também três episódios em que recebeu ameaças que poderiam ser ligadas ao grupo: dois e-mails que diziam que "eu e minha família corríamos risco", enviados de Anápolis (GO), "reduto" do grupo de Cachoeira, a tentativa de uma mulher de entrar em seu apartamento às 5h45 e um episódio em que um dos seguranças identificou uma marcação no veículo usado por ela.
“Tivemos que alterar totalmente a nossa rotina e isso faz com que nossas famílias passem a absorver. Não é segurança para nós, membros do Ministério Público, mas também para nossas famílias”, disse Daniel Rezende Salgado, procurador da República que também depôs à CPI nesta terça-feira
Entretando, Léa acredita que a estratégia não atrapalhará as investigações. "Na ação penal, esse código de silêncio não vai interferir porque foi uma investigação muito bem feita, temos filmagens. Eles podem exercer o direito constitucional, mas isso não vai influenciar na ação penal", completou.
Leia também: CPI decide reconvocar Carlinhos Cachoeira para depor
De acordo com Lea, é necessário atingir o núcleo empresarial da organização para que ela pare de funcionar. “Enquanto não conseguirmos sufocar essa organização, em termos financeiros, ela vai continuar atuando, independentemente de o chefe estar preso ou não”, disse.
Leia mais: Ex-presidente do Detran-GO e sócia de empresa fantasma comparecem à CPI
Para Salgado o vazamento de informações sobre as investigações foi responsável pela falha das investigações em atuar sobre o nível empresarial. "A antecipação da Operação Monte Carlo, em razão do vazamento de informações, fez com que deixássemos de investigar outras áreas. Tinha uma parte empresarial do grupo criminoso e não conseguimos investigar. Temos um material bruto que precisa ser submetido a análise", explicou.
Violência: Grampos da PF envolvem Cachoeira em suspeita de sequestro
Saiba mais: STJ autoriza investigação sobre relação de Perillo com Cachoeira
A procuradora Léa lembrou ainda que, no início deste ano, as escutas telefônicas mostraram que integrantes da quadrilha haviam descoberto que estavam sendo investigados. Sabiam o nome da operação da PF e a Vara Federal responsável pelas investigações, por isso foi preciso antecipar a deflagração da operação Monte Carlo. “O juiz responsável pelo caso ficou vulnerável e, por isso, tivemos de deflagar a operação antes da hora”, afirmou.
Com Agência Câmara, Agência Senado  e  Agência Brasil

Pedro Taques ficou irritado porque o senador de Alagoas não respeitou o tempo de sua fala na comissão

iG São Paulo | - Atualizada às


Os senadores Pedro Taques (PDT-MT) e Fernando Collor (PTB-AL) bateram boca nesta terça-feira na CPI do Cachoeira . Os dois gritaram porque Collor extrapolou os 10 minutos de sua fala e Taques reclamou com o presidente da comissão, Vital do Rêgo (PMDB-PB). O senador de Alagoas ignorou a reclamação e continuou falando. Foi quando virou para trás e gritou com Taques, que revidou os berros.
Leia mais: Para procuradora, grupo de Cachoeira continua 'vivo e operando'
Acompanhe as últimas notícias da CPI do Cachoeira


Agência O Globo
Os senadores Collor e Pedro Taques batem boca em reunião da CPI do Cachoeira

Em sua fala, Collor voltou criticar a atuação do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmando que ele demorou cerca de dois anos para adotar qualquer iniciativa em relação à operação Vegas, da Polícia Federal. O trabalhista declarou que Gurgel “faltou com a verdade ao dizer que agiu de acordo com a lei ao não tomar providências”.
Violência: Grampos da PF envolvem Cachoeira em suspeita de sequestro
Saiba mais: STJ autoriza investigação sobre relação de Perillo com Cachoeira
O senador também afirmou que os procuradores Daniel Rezende Salgado e Léa Batista de Oliveira, que falaram à CPI, entregaram a repórteres da revista Veja, em março deste ano, os inquéritos das operações Vegas e Monte Carlo, da Polícia Federal. Os procuradores, no entanto, negaram o encontro citado por Collor.
Com Agência Senado
Nota a imprensaO Diretório do Partido dos Trabalhadores de Botucatu vem a públicopara desmentir a informação dada como verdadeira pelo Sr. Haroldo Amaral noJornal Diário da Serra, no ultimo sábado, dia 18 de Agosto de 2012. Diferentedo que foi publicado, Marcos Batista de Oliveira, pai do jovem Dennis WillianSoares, não é filiado ao PT e nem está em processo de filiação. Porém,ressalta que o partido é democrático e está sempre aberto a quem quer queseja, desde que respeitados os trâmites internos. O PT em momento algum utilizou a morte do rapaz, que segundo afamília teria ocorrido em virtude da demora do atendimento no Pronto SocorroMunicipal, com fins políticos como insinua a reportagem. O PT de Botucatu étotalmente solidário a família nesse momento difícil e entende que a dor de umpai e seu desejo de justiça deva ser respeitado. Entendemos que Marcos temtodo o direito como cidadão de se manifestar e cobrar respostas dosresponsáveis, afinal, assim como ele, também queremos uma saúde de maisqualidade em nossa cidade. Também não é verdade que “militantes do PT tenham divulgado demaneira organizada” nas redes sociais o convite a participação da passeata. OPT entende que seus filiados, aliás, não só os filiados, mas toda a populaçãotem o direito de se manifestar da maneira que acharem adequadas, porémpelos motivos já expostos, o partido decidiu enquanto instituição não participarda manifestação, mesmo entendendo-a legítima. Assim, solicitamos que tais informações inverídicas sejam retificadas para o bem da democracia, do respeito às instituições e, principalmente, paraque não haja nenhuma interferência ao processo eleitoral. Carlos César RamosPresidente do Diretório MunicipalPT - Botucatu
Continuando com as publicações dos programas de governo, vamos publicando hoje, as ultimas páginas do programa da Coligação Botucatu Para Todos, mesmo porque os outros candidatos, não têm mais propostas para apresentar para a população. Página 45 de 47 Programa de Governo / Coligação “Botucatu Para Todos”  Incentivar e promover a publicação de livros e artigos sobre a história de Botucatu, como a reedição dos livros “Achegas” e as reportagens especiais do “Jornal A Gazeta”, dentre outros.  Apoiar festas e tradições populares, como o carnaval, festas juninas, Festa do Posso do Divino, Festas religiosas, Festas folclóricas, dentre outras.  Implantar o Projeto de Pontos de Cultura do Governo Federal.  Promover e incentivar nos bairros a expressividade cultural, através de oficinas de teatro, música e danças, como forma de inclusão social, sem qualquer tipo de discriminação, inclusive como forma de disseminação do caráter público e coletivo da cultura.  Reestruturar e ampliar a Feira do Livro, criada em nosso governo, readequando a sua verdadeira finalidade do estimulo a leitura e conhecimento das mais diversas formas de publicações literárias.  Ampliar o conhecimento e o acesso da população aos projetos e acervos culturais locais, através de tecnologias de informação e comunicação, como “Espaço On Line” com acesso gratuito a internet, implantado em nosso governo.  Planejar e implantar Arquivo Histórico Municipal, para guarda e consulta de pesquisadores e comunidade em geral.  Resgatar a história dos povos imigrantes que se instalaram em nosso município, como os portugueses, italianos, espanhóis, libaneses, sírios, japoneses, belgas, africanos, alemães, holandeses, chilenos, bolivianos, colombianos, paraguaios, bascos, dentre outros, com incentivo a publicações de livros e eventos específicos.  Resgatar a história dos migrantes de outros estados do Brasil, que residem em nosso município, como os mineiros, paranaense, gaúchos, baianos, alagoanos, sergipanos, pernambucanos, paraibanos, potiguares, cearense, maranhenses, piauienses, goianos, dentre outros, com incentivo a publicações de livros e eventos específicos.  Resgatar a história dos migrantes oriundos de outras cidades paulistas, que se instalaram em nosso município, como os paulistanos, osasquenses, sorocabanos, itapetininganos, tatuienses, tieteenses, piracicabanos, ituanos, Página 46 de 47 Programa de Governo / Coligação “Botucatu Para Todos” campineiros, são manuelenses, dentre outras, com incentivo a publicações de livros e eventos específicos.  Realizar ou incentivar a Festa dos Imigrantes (Festa das Nações).  Criar, realizar ou incentivar a Festas dos Migrantes, como dos mineiros (oriundos de Botumirim, Grão Mogol, Cristália, Itacambira, entre outras), paranaenses, baianos, paulistas (migrantes de outras cidades paulistas), dentre outros.  Recuperar o programa de cidades irmãs, como o da cidade irmã de Botumirim / MG, dentre outras cidades brasileiras ou estrangeiras, no intercambio cultural e de ajuda mutua.  Planejar e implantar projeto de preservação da história e capela de Ana Rosa.  Recuperar e realizar anualmente a Festas do Pólo Cuesta, em conjunto com as cidades pertencentes a nossa região.  Criar e realizar anualmente o Festival da Musica Raiz, com musica, dança, literatura, poesia, prosa, culinária, dentre outras manifestações culturais das tradições caipiras.  Criar e realizar anualmente o Festival do Cururu, como parte integrante do Festival da Musica Raiz.  Implantar o “Centro de Tradição Caipira”, para resgatar e preservar a cultura caipira.  Apoiar a auxiliar o Museu do Boiadeiro e o Museu de Rubião Junior.  Implantar o Museu Ferroviário, em parceria com as associações de ferroviários.  Apoiar e auxiliar nas pesquisas de resgate e elaboração da culinária caipira do médio Tietê, incentivando as atividades comerciais de produtos como comidas típicas, doces e compotas, queijos e artesanato, dentre outros.  Apoiar e auxiliar nas pesquisas do resgate das identidades culturais, como as figuras folclóricas do Saci, Curupira, Mãe D’água, Boitatá, Mula-sem-cabeça, a Bola de Fogo e a historia de Ana Rosa, dentre outras. Página 47 de 47 Programa de Governo / Coligação “Botucatu Para Todos”  Apoiar e auxiliar nas pesquisas do resgate das identidades culturais, como a musica regional caipira, o Cururu, as danças da Catira, os Pousos do Divino, Festas da Padroeira, dentre outras.  Criar e realizar anualmente Festa das Arvores e Frutas Nativas da Região de Botucatu.  Apoiar a realização de livros e vídeos sobre os botucatuenses significativos para a nossa história.  Aprimoramento dos músicos das Orquestras, Bandas e Corais, dentre outros interessados, com cursos oferecidos pela Escola de Musica da Secretaria Municipal de Educação.  Aprimoramento dos artistas plásticos, artistas cênicos, circenses, cineastas, videomakers, dentre outros interessados, com cursos e estágios oferecidos pelas Escolas Temáticas da Secretaria Municipal de Educação.  Reestruturar e ampliar o MAC - Museu de Arte Contemporânea de Botucatu. Botucatu é uma cidade economicamente forte, com uma população trabalhadora e poderá ser a melhor cidade brasileira para se viver. Só depende de nós, para abraçar e amar com muita paixão a nossa cidade e nos orgulharmos de ser botucatuense, sem medo de ser feliz, e fazer voltar a tremular na entrada principal da cidade a nossa bandeira. É possível, vamos acreditar e votar, para ver acontecer. Agora, vejam o que diz a lei 12.034 sobre registro de candidatura. Candidatos terão que registrar plano de governo junto com candidatura Este ano, o candidato que pretende disputar as eleições para ocupar cargo no Executivo terá que registrar, junto com sua candidatura, um plano básico de governo. Essa medida está determinada pela Lei nº 12.034, de 29 de setembro 2009, passando a exigir dos candidatos aos cargos de prefeito, governador e presidente da República o registro das propostas de governo de cada um, antes do início do período de campanha. Em vigor desde as eleições de 2010, o pleito de 2012 será a primeira eleição, a nível municipal, na qual se exigirá tal obrigação dos candidatos a chefiar o Poder Executivo. A exigência é uma condição para o deferimento do registro de candidaturas, de modo que o não cumprimento desse pressuposto implicará, para os candidatos a prefeito, a impugnação ao direito de concorrer ao pleito.

Estado fica atrás de Santa Catarina, entre colégios públicos e privados
Dado do MEC considera Ideb 2011 da 8ª série do Ensino Fundamental.

São Paulo é o segundo estado brasileiro no ranking das melhores escolas do país, entre públicas e privadas, atrás de Santa Catarina. A informação foi divulgada nesta terça-feira (14) pelo Ministério da Educação, com base no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, o Ideb, da 8ª série ou 9º ano do Ensino Fundamental.
Segundo o mesmo levantamento, 16 escolas públicas do estado de São Paulo figuram entre as 100 melhores do país. Nenhuma delas fica na capital.
Entre todas as unidades da federação, ainda considerando o Ideb da 8ª série, São Paulo teve, em 2011, Ideb de 4,7, ante 4,9 de Santa Catarina. Já se forem comparados apenas os índices de escolas estaduais pelo Brasil, São Paulo teve Ideb de 4,3, empatado com Mato Grosso e atrás de Santa Catarina (4,7) e Minas Gerais (4,4).
Em nota, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo comemorou os resultados. “A rede de ensino estadual paulista ultrapassou mais uma vez todas as metas do Ideb estabelecidas pelo MEC", diz o texto. A rede estadual conta com cerca de 5,3 mil escolas, 228 mil professores e 4,3 milhões de estudantes. Na nota, a pasta atribui o bom resultado à manutenção de programas como a unificação do currículo, a produção de material pedagógico e a avaliação de rendimento do aprendizado dos alunos.
De acordo com o MEC, o Ideb foi criado para medir a qualidade de cada escola e de cada rede de ensino. O indicador é calculado a cada dois anos, em escala de zero a dez, com base no desempenho do estudante em avaliações do Inep, como a Prova Brasil, e em taxas de aprovação. A Prova Brasil avalia o desempenho de estudantes em língua portuguesa e matemática no final dos ciclos do ensino fundamental, de 4ª série (5º ano) e 8ª série (9º ano), e no terceiro ano do ensino médio.
Ideb São Paulo SP (Foto: Editoria de Arte/G1)
A primeira colocada na lista estadual dos melhores índices entre escolas públicas foi a Escola Municipal Professora Dagmar Ribas Trindade, que fica em Barueri. A escola ocupa a 28ª posição no ranking nacional para a 8ª série do Ensino Fundamental, entre 30.842 escolas.
Já a primeira escola pública paulistana a aparecer no ranking do Ideb de 8ª série ocupa a 73ª posição na lista do estado de São Paulo e o 315º lugar no ranking nacional, a Escola Estadual de Aplicação da Faculdade de Educação da USP. A Secretaria Municipal de Educação informou, em nota ao G1, que não recebeu os dados e, portanto, não pode comentá-los.
A Escola Estadual Jardim Esperança, na Zona Sul de São Paulo, inaugurada no início do ano passado, tirou 2,1 em uma escala de 0 a 10 no Ideb. Foi o pior desempenho entre as escolas públicas do estado, considerando ainda a avaliação da 8ª série do Ensino Fundamental. No ranking nacional, o colégio está atrás de mais de 30 mil escolas. Entre as piores 10 escolas públicas de São Paulo, três ficam na capital.
Em São Paulo, o Ideb 2011 para a 8ª série foi de 4,7. A projeção feita em anos anteriores previa um Ideb de 4,6, considerando a rede pública e a rede privada. Já entre os alunos da 4ª série, o Ideb 2011 foi 5,6 e a projeção era 5,5. No Ensino Médio, o índice no estado foi 4,1 e a projeção era 3,9.
Em 2011, o Ideb nacional para a 8ª série foi 4,1, ante 4,0 em 2009. A projeção para 2011, segundo o MEC, era de um índice de 3,9. O objetivo é que o país, a partir do alcance das metas municipais e estaduais, tenha nota 6 em 2022, o que corresponde, de acordo com o Ministério, à qualidade do ensino em países desenvolvidos.
Confiras 10 escolas públicas de SP com melhores e piores desempenhos no Ideb*
Melhores desempenhosPiores desempenhos
1EEFMT Professora Dagmar Ribas Trindade - Municipal - Barueri (SP)Jardim Esperança - Estadual - São Paulo (SP)
2Emefei Oscar Novakoski - Municipal - Dois Córregos (SP)Dr. Armando De Salles Oliveira – Estadual – Botucatu (SP)
3Prof. Antonio Perches Lordello- Estadual - Limeira (SP)Paulo Virginio – Estadual – Cachoeira Paulista (SP)
4Jose Mariotto Ferreira Major Aviador - Estadual - São José dos Campos (SP)Prof.ª Josephina Cintra Damiao – Estadual – São Paulo (SP)
5Emef Prof. Jose Negri - Municipal - Sertãozinho (SP)Padre Agnaldo Sebastião Vieira – Estadual – Santo André (SP)
6Emef Prof. Julio Ridolfo - Municipal - Araras (SP)Parque Primavera – Estadual – Guarulhos (SP)
7Usina Henry Borden Unidade Municipal de Ensino - Municipal - Cubatão (SP)Prof. Lucas Nogueira Garcez – Estadual – Guarujá (SP)
8Emef Prefeito Adone Bonetti - Municipal - Jaguariúna (SP)Prefeito Engenheiro Celso Augusto Daniel – Estadual – Santo André (SP)
9Emef Prof. Waldemar Ramos - Municipal - São José dos Campos (SP)Emef Oziel Alves Pereira – Municipal – Campinas (SP)
10Emef Prof.ª Mercedes Carnevalli Klein - Municipal - São José dos Campos (SP)Prof. José Vieira de Moraes – Estadual – São Paulo (SP)
Fonte: Ministério da Educação/Ideb 2011 da 8ª série do Ensino Fundamental

Ultimas Notícias

Loading...