Últimas Notícias

Compartilhe

Presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pretende concluir a votação do texto no plenário principal da Câmara ainda nesta semana.


Por Bernardo Caram

Comissão especial da Câmara analisa relatório sobre a reforma trabalhista (Foto: Bernardo Caram/G1)

Comissão especial da Câmara analisa relatório sobre a reforma trabalhista (Foto: Bernardo Caram

A comissão especial da Câmara destinada a analisar a reforma trabalhista deve votar o parecer do relator Rogério Marinho (PSDB-RN) nesta terça-feira (25). O texto foi encaminhado ao Legislativo pelo governo do presidente Michel Temer e propõe uma reformulação nas regras trabalhistas.

O colegiado está reunido para debater o relatório. Um pedido para retirada de pauta foi apresentado pela deputada Bendita da Silva (PT-RJ) e recusado pela comissão. A expectativa de Rogério Marinho é que o parecer seja votado pelos membros da comissão até o fim desta tarde.

Inicialmente, o projeto da reforma trabalhista tinha caráter conclusivo, ou seja, iria direto à apreciação do Senado após aprovação na comissão especial da Câmara, sem necessidade de passar pelo plenário principal da Casa.

Na última semana, porém, os deputados aprovaram um requerimento de tramitação em regime de urgência. Com a decisão, o texto que for aprovado pela comissão passará pelo plenário da Câmara.

O projeto é considerado polêmico e é alvo de críticas, principalmente da oposição. Até o início da sessão desta terça-feira, 457 emendas, com sugestões de mudanças no relatório, haviam sido apresentadas na comissão.

É possível, também, observar resistência dentro da base aliada do governo. Na segunda (24), o líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), afirmou que o ponto que trata do fim da obrigatoriedade da contribuição sindical gera “um clima de muita tensão” entre os aliados do Palácio do Planalto.

O texto do governo define pontos da lei trabalhista que podem ser fruto de acordo entre empresários e representantes dos trabalhadores, passando a ter força de lei. O relator, porém, incluiu diversas mudanças. Entre elas a que trata da contribuição sindical.

Para ser aprovado no plenário da Câmara, a reforma trabalhista precisa de menos votos que a reforma da Previdência. O projeto exige o voto de maioria simples, ou seja, se 300 deputados estiverem em plenário, 151 votos são necessários para aprovar o texto.

No caso da Previdência, por se tratar de uma emenda à Constituição, são exigidos ao menos 308 votos favoráveis do total de 513 deputados.

Cerca de 50 ladrões fortemente armados invadiram a sede de uma transportadora de valores no Paraguai, na fronteira com o Brasil, na madrugada de segunda (24).


Por Fabiula Wurmeister e Erikson Rezende, G1 PR e RPC Foz do Iguaçu

A Polícia Federal detalhou o trabalho para prender suspeitos de mega-assalto no Paraguai (Foto: Erikson Rezende/ RPC)

A Polícia Federal detalhou o trabalho para prender suspeitos de mega-assalto no Paraguai (Foto: Erikson Rezende/ RPC)

A Polícia Federal (PF) disse na manhã desta terça-feira (25) que parte dos suspeitos envolvidos no mega-assalto a uma transportadora de valores no Paraguai, na fronteira com o Brasil, vinha usando uma mansão em Ciudad del Este, mesmo município da ação. A casa funcionava como base estratégica da quadrilha no país vizinho. Até o início da tarde, dez suspeitos haviam sido presos, o último em Cascavel, no oeste do Paraná, por volta das 12h.

Segundo o delegado-chefe da PF em Foz do Iguaçu, Fabiano Bordignon, a Polícia Nacional localizou a residência que vinha sendo usada pela quadrilha ainda na tarde de segunda (24).

"Já estamos colhendo material genético dos suspeitos presos para comparar com o material encontrado neste local", adiantou ao afirmar que outros imóveis e locais clandestinos supostamente usados pelo grupo, entre eles um no Brasil, estão sendo investigados.

Inicialmente a Polícia Nacional declarou que o grupo havia roubado cerca de US$ 40 milhões e mais tarde disse não ser possível saber o montante exato levado. Mas acredita que este tenha sido o maior assalto já praticado no país.

"Acreditamos que nem mesmo os ladrões sabem quanto roubaram", comentou o delegado.

Em nota, a Prosegur disse lamentar a morte do policial paraguaio e reconhecer os esforços da polícia. A multinacional declarou ainda que não pode comentar mais sobre o caso porque disso depende o sucesso da operação para a captura e prisão dos envolvidos no assalto. Leia a nota na íntegra abaixo.

Durante a coletiva de imprensa realizada na delegacia da PF em Foz do Iguaçu, o balanço divulgado mais cedo foi atualizado. Segundo a polícia, alguns dos presos usavam documentos falsos. Dois ficaram feridos em um confronto na tarde de segunda em Itaipulândia. Outros três suspeitos foram mortos no mesmo tiroteio.

A polícia assegura que estes homens estão entre os cerca de 50 que participaram do assalto a uma transportadora de valores durante a madrugada de segunda em Ciudad del Este.

A PF informou também ter apreendido sete veículos (entre eles, um carro de polícia roubado pelo grupo), dois barcos, cinco fuzis, uma metralhadora, explosivos, malotes vazios e um com cédulas de guarani, dólar e real, além de munição de grosso calibre.

Bordignon disse que o dinheiro está sendo contado e que o valor será divulgado até o fim da tarde. "O malote foi lacrado na presença de testemunhas", destacou.

Balanço da PF envolvendo suspeitos do roubo até as 13h30

Presos: 10

Apreensões: sete veículos (entre eles, um carro de polícia), dois barcos, cinco fuzis, uma metralhadora, explosivos, malotes vazios e um com dinheiro, além de munição de grosso calibre.

Mortes: 3 suspeitos e 1 policial paraguaio

Reforço

O secretário de Segurança Pública do Paraná, Wagner Mesquita, comentou que mais de 400 policiais militares e civis, além de quatro helicópteros, estão integrados à ação conjunta organizada por tempo indeterminado para a prisão dos assaltantes.

"A maioria dos presos é de outros estados e participa de organizações criminosas que agem no país e agora também no exterior", observou Mesquita. "Vamos permanecer com a operação e esgotar todas as possibilidades na região. Assim como no assalto ao Banco Central, cada grupo determina a sua rota de fuga. Acreditamos que prendemos parte de um desses grupos e estamos em busca dos demais. Por isso, estes dados do balanço divulgado podem ser alterados a cada momento."

Por causa do assalto, as polícias reforçaram a segurança na região da fronteira. E, as investigações estão sendo coordenadas diretamente de um comitê de gestão de crise montado na delegacia da PF, em Foz do Iguaçu.

Em nota, o presidente Michel Temer determinou ao ministro da Justiça, Osmar Serraglio, que coloque a Polícia Federal à disposição das autoridades paraguaias para colaborar com as investigações dos fatos ocorridos na cidade paraguaia.

"O governo federal acompanha os desdobramentos das ações policiais já em curso em território nacional e apoiará, com todos os recursos necessários, as investigações conduzidas atualmente pelas autoridades paraguaias. O governo brasileiro se solidariza com as vítimas dessa ação criminosa e, em especial, com os familiares do policial paraguaio morto", diz a nota.

Organização criminosa

O ministro do Interior do Paraguai, Lorenzo Lezcano, acredita que as primeiras evidências e a metodologia do mega-assalto à empresa Prosegur, em Ciudad del Este, podem ser atribuídas ao Primeiro Comando da Capital (PCC).

A declaração foi dada ao jornal ABC Color, na segunda-feira (24).

“Tudo aponta que são integrantes do PCC", disse ele em entrevista. De acordo com o veículo, é a primeira autoridade que atribui o feito à facção criminosa do Brasil.

Lezcano assegurou também que os brasileiros tiveram apoio dos paraguaios, com um arsenal que superou a capacidade de resposta da Polícia Nacional. Ele ainda afirmou ao jornal que é a primeira vez que ocorre uma situação do tipo na região e citou pelo menos dois casos parecidos no Brasil em que a polícia também foi encurralada.

O assalto

Segundo a Polícia Nacional do Paraguai, os ladrões fortemente armados invadiram a sede da transportadora de valores Prosegur. Eles explodiram a entrada da empresa e trocaram tiros com vigilantes. A ação durou aproximadamente três horas e eles fugiram com dinheiro.


A sede da empresa fica a 4 quilômetros da Ponte Internacional da Amizade, no oeste do Paraná.

Confronto

Policiais federais trocaram tiros no começo da tarde de segunda-feira (24) com suspeitos do assalto por volta do meio-dia, na área rural de Itaipulândia, às margens do Lago de Itaipu, no oeste do Paraná.

De acordo com a Polícia Federal, uma equipe que estava de patrulha pela região se deparou com um grupo de cerca de 12 suspeitos que atirou e fugiu. Policiais militares e civis da região foram acionados para reforçar a segurança no local. Helicópteros também estão sendo usados na ação.

Por volta das 14h, houve outra troca de tiros, desta vez em São Miguel do Iguaçu. De acordo com o delegado Francisco Sampaio, os suspeitos abandonaram um veículo roubado havia pouco na região, munição de fuzil e explosivos.

Leia a nota da Prosegur na íntegra

Sobre ataque sofrido na base de Ciudad del Este, Paraguay,

A companhia manifiesta que:

Na madrugada de segunda houve um assalto à base logística da Prosegur em ciudad del Este, Paraguay.

Imediatamente depois de ter conhecimento do ocorrido, a companhia colocou em prática seus Protocolos de Atuação e informado as autoridades competentes.

Prosegur quer, en primeiro lugar, expresar seu mais profundo pesar pelo falecimiento de um agente de polícia e dar seu mais sincero pêsame à familia. A companhia também quer reconhecer o trabalho das autoridades policiais que de imediato prestaram serviço naa base de Ciudad del Este e mostra sua preocupação pela organização, capacidade e material bélico empregado pelo crime organizado nesta ação.

Neste momento, a companhia não pode aportar mais informações sobre o ocorrido já que o sucesso depende da investigação policial. Prosegur ativou seus protocolos internos de atuação e colocará toda a informação a serviço das autoridades policiais e judiciais.

Prosegur cumpre com rigor os estritos controles que se aplicam à gestão de efetivo e custódia de valores em bases de logísitica com as máximas normas de segurança.

Cantor, que se tratava de câncer, morreu aos 70 anos no domingo (23). Familiares e amigos, como o cantor Erasmo Carlos, estiveram presentes no velório.


Por Henrique Coelho

Vinis do cantor e uma guitarra podiam ser vistos durante o enterro (Foto: Henrique Coelho/ G1)
Vinis do cantor e uma guitarra podiam ser vistos durante o enterro (Foto: Henrique Coelho/ G1)

O corpo do cantor Jerry Adriani, que morreu no domingo (23), foi enterrado no fim da tarde desta segunda-feira (24), no Cemitério Francisco Xavier, no Caju, Zona Portuária do Rio. Ídolo da Jovem Guarda, o artista enfrentava um câncer e morreu aos 70 anos.

Alguns fãs que acompanhavam a cerimônia de despedida cantaram músicas do cantor ao longo do cortejo até o jazigo. Vinis do artista e até uma guitarra podiam ser vistos na hora do enterro de Jerry Adriani.

O filho Thadeu Vivas recebeu o corpo na capela B do cemitério. Para que todos os amigos, familiares e fãs pudessem se despedir do cantor, o corpo foi velado durante todo a segunda-feira (24).

Fãs e parentes estiveram presentes no enterro de Jerry Adriani (Foto: Henrique Coelho/ G1)
Fãs e parentes estiveram presentes no enterro de Jerry Adriani (Foto: Henrique Coelho/ G1)

Por volta das 9h, a viúva de Jerry, Ceila Passos chegou acompanhada da atriz Alcione Mazzeo, mãe do ator Bruno Mazzeo. Ela contou que Adriani era muito próximo dela e lamentou a morte do amigo.

"Ele era uma pessoa muito especial. Nós sempre tivemos muito contato. Ele era uma pessoa muito boa. Uma pessoa íntegra, carinhosa e que encontrou uma mulher maravilhosa, atual esposa, a Ceila. Ele estava vivendo um grande amor, estava tão feliz, e aí descobriu essa doença", lamenta Alcione.

Amigos se despedem

O músico e amigo Erasmo Carlos chegou por volta das 11h30 ao velório. "A gente perde uma pessoa única que se foi para deixar muita saudade. Era um grande cantor, sincero, honesto com o que faz, feliz e com uma legião de fãs. Ele deixou um legado pra mim, que adorava e adoro, e vou continuar ouvindo as músicas dele", disse o Tremendão. A atriz e cantora Zezé Motta também esteve no velório. Neguinho da Beija-Flor afirmou que visitou Jerry na sexta-feira. "Conhecia há mais de 40 anos", afirmou.

O cantor Zeca Pagodinho, grande amigo de Jerry, também enviou uma coroa de flores em homenagem ao artista.

Zeca Pagodinho enviou flores para o velório de Jerry Adriani (Foto: Bruno Albernaz/G1)
Zeca Pagodinho enviou flores para o velório de Jerry Adriani (Foto: Bruno Albernaz/G1)

Agnaldo Timóteo, contemporâneo de Adriani nos anos 60, foi até o caixão do amigo e se emocionou. "Era um artista completo, versátil e de muitos sucessos. Ele vai embora, mas a sua imagem nunca, vai ficar sempre aqui", disse Timóteo.

Nas redes sociais, a viúva de Jerry lamentou a morte do cantor e citou um texto atribuído a Charlie Chaplin: "Cada pessoa que passa em nossa vida, passa sozinha é porque cada pessoa é única e nenhuma substitui a outra. Cada pessoa que passa em nossa vida passa sozinha e não nos deixa só, porque deixa um pouco de si e leva um pouquinho de nós. Essa é a mais bela responsabilidade da vida e a prova de que as pessoas não se encontram por acaso."

Zezé Motta chega ao velório de Jerry Adriani (Foto: Henrique Coelho/G1)
Zezé Motta chega ao velório de Jerry Adriani (Foto: Henrique Coelho/G1)

Perfil do artista

Jair Alves de Souza nasceu em 29 do janeiro de 1947, no bairro do Brás, em São Paulo. Adotou o nome artístico de Jerry Adriani quando começou sua carreira como cantor, em 1964. O primeiro disco foi "Italianíssimo", quando cantava músicas em italiano, algo que seguiu fazendo em toda a carreira.

Em 1965, o cantor passou a gravar em português, com músicas reunidas no disco "Um grande amor". Também na década de 1960, Jerry virou apresentador do programa “Excelsior a Go Go”, da TV Excelsior. O programa coapresentado por Luiz Aguiar era um musical com apresentações de artistas como Os Vips, Os Incríveis e Cidinha Santos.

Jerry Adriani em foto de 29/10/2012 (Foto: Divulgação)
Jerry Adriani em foto de 29/10/2012 (Foto: Divulgação)

Incentivo a carreira de Raul

Jerry Adriani também aproveitou de sua fama para dar apoio a novos artistas. Ele, por exemplo, foi um dos primeiros a incentivar um então pouco conhecido Raul Seixas.

Raulzito e os Panteras atuaram como banda de apoio de Jerry por três anos. O cantor gravou músicas de Raul ("Tudo que é bom dura pouco", "Tarde demais" e "Doce doce amor") e foi produzido pelo maluco beleza entre 1969 e 1971.

Depois da TV e do cinema, Jerry tentou a sorte no teatro. Em 1975, participou do musical "Brazilian Follies", tendo ficado um ano e meio em cartaz.

Após essa experiência, ele seguiu fazendo shows e gravando discos. Em 1985, lançou "Tempos Felizes", com regravações dos tempos de Jovem Guarda.

Em 28/11/2002, no 'Jovens Tardes', Jerry Adriani e a banda LS Jack (Foto: TV Globo/Gianne Carvalho)
Em 28/11/2002, no 'Jovens Tardes', Jerry Adriani e a banda LS Jack (Foto: TV Globo/Gianne Carvalho)

No início da década de 1990, Jerry se dedicou a um disco sobre as origens do rock, com o nome "Elvis Vive". Em 1994, participou da novela "74.5 uma onda no ar", exibida pela TV Manchete. Um ano depois, fez shows para comemorar os 30 anos da Jovem Guarda e participou como convidado especial de uma coletânea do estilo.

Em 1996, voltou à música italiana, com o disco CD "IO". Em 1997, teve duas músicas em trilhas de novelas da Globo. "Engenho" fez parte da trilha de "A indomada", e "Con te partiró", dueto com a italiana Mafalda Minnozzi, foi parar na trilha de "Zazá".

Versões de Legião Urbana

Também na década de 1990, saiu o disco "Forza Sempre" (1999). O trabalho tinha apenas músicas da Legião Urbana regravadas em italiano.

Foi um dos maiores sucessos da carreira de Jerry Adriani desde os tempos da Jovem Guarda. De acordo com o site oficial do cantor, bateu a marca de 200 mil cópias. De quebra, "Santa Luccia Luntana" foi bastante tocada na novela "Terra Nostra".

O primeiro DVD da carreira foi gravado em 2007, no Canecão, no Rio. "Jerry Adriani Acústico Ao Vivo" trouxe sucessos e inéditas em formato acústico. Em 2011, lançou o CD "Pop, Jerry & Rock", incluindo homenagem para Raul Seixas e Tim Maia na música "2012". A ideia de cantar outros ícones da músicas brasileira e do rock rendeu ainda o show "Jerry toca Raul & Elvis".

Em 2014, Jerry Adriani completou 50 anos de carreira. Ele seguia em turnê pelo Brasil.

Audiência está marcada para 3 de maio, na sede da Justiça Federal do Paraná, em Curitiba.


Por G1 PR, Curitiba

A Polícia Federal (PF) pediu o adiamento do interrogatório do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva na ação penal que envolve o triplex em Guarujá. A audiência está marcada para as 14h de 3 de maio, na sede da Justiça Federal do Paraná, em Curitiba.

O pedido foi assinado pelo superintendente da PF no Paraná, delegado Rosalvo Ferreira Franco. No documento, ele diz que precisa solicitar "mais tempo para realizar as tratativas com os órgãos de segurança e de inteligência para audiência que será realizada".

Agora, cabe ao juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância, autorizar o adiamento.

Foto: (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Lula comentou a possível transferência de datas durante um seminário do Partido dos Trabalhadores, realizado em Brasília nesta segunda-feira. Ao sair da sala, foi questionado pela imprensa sobre o pedido da Polícia Federal (PF) para que seja adiado o interrogatório dele na ação penal sobre o tríplex em Guarujá seja adiado. “Não é problema meu”, limitou-se a responder.

Durante o discurso, afirmou que não vai deixar de comparecer, independente da data. "A hora que for marcado o meu depoimento, eu estarei em Curitiba ou onde quer que seja. Dentre todos quem deseja a verdade é o companheiro Lula. Eu tenho direito de falar, porque faz três anos que eu estou ouvindo. Agora, parece que a grande prova contra mim é um pedágio. Estou muito tranquilo, não estou preocupado com a data", disse.

O advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins, também se manifestou sobre o pedido. "Estamos aguardando a decisão do juiz de primeiro grau diante do pedido da PF. O ex-Presidente Lula está pronto para prestar o seu depoimento no dia 3 de maio ou em qualquer outra data marcada", disse em nota.

Tríplex

O processo em questão trata do suposto pagamento de propina por parte da OAS ao ex-presidente Lula. Na ação penal, o Ministério Público Federal (MPF) diz que a construtora entregou ao político um imóvel no Guarujá, litoral paulista, em troca de supostos serviços prestados por ele para beneficiar a empresa.

O imóvel, no entanto, não tem escritura em nome do ex-presidente e, no papel, ainda pertence à OAS. Em depoimento, o ex-presidente da empreiteira, José Aldemário Pinheiro Filho, conhecido como Léo Pinheiro, disse que o triplex em Guarujá nunca foi colocado à venda pela OAS. "Eu tinha uma orientação para não colocar à venda, que pertenceria à família do ex-presidente".

Segundo ele, a orientação foi passada pelo ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto e pelo presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto. “A orientação que foi me passada naquela época foi ‘toque o assunto do mesmo jeito que você vinha conduzindo. O apartamento não pode ser comercializado, o apartamento continua em nome da OAS, e, depois, a gente vai ver como fazer a transferência ou o que for’”. De acordo com Pinheiro, assim foi feito.

A defesa do ex-presidente diz que o imóvel nunca foi transferido para ele ou para alguém da família e nega qualquer irregularidade junto à OAS.

Na madrugada desta segunda-feira (24), cerca de 50 ladrões fortemente armados invadiram a sede de uma transportadora de valores em Ciudad del Este, na fronteira.


Por Erick Gimenes, Fabiula Wurmeister e Ronaldo Ragadali, G1 PR

Destruição causada por explosões durante roubo a transportadora de valores em Ciudad del Este, no Paraguai (Foto: Francisco Espinola/Reuters)
Destruição causada por explosões durante roubo a transportadora de valores em Ciudad del Este, no Paraguai (Foto: Francisco Espinola/Reuters)

Três suspeitos do mega-assalto na cidade paraguaia de Ciudad del Este, na fronteira com o Brasil, foram mortos depois de um tiroteio no começo da tarde desta segunda-feira (24), conforme a Polícia Federal (PF). Outros dois homens feridos foram presos - um deles, em uma rodoviária, tentando embarcar para São Paulo.

De acordo com a polícia, eles estão entre os 50 homens que participaram do roubo a uma transportadora de valores durante a madrugada. Além disso, a PF diz ter apreendido cinco veículos (entre eles, um carro de polícia), um fuzil, uma pistola, um barco, 7 quilos de explosivos, malotes vazios e munição de grosso calibre.

O assalto

Segundo a Polícia Nacional do Paraguai, os cerca de 50 ladrões fortemente armados invadiram a sede da transportadora de valores Prosegur em Ciudad del Este, no Paraguai, durante a madrugada desta segunda-feira (24). Eles explodiram a entrada da empresa e trocaram tiros com vigilantes. A ação durou aproximadamente três horas e eles fugiram com dinheiro.

Um policial paraguaio que estava em um carro foi morto pelos bandidos.

Inicialmente, a Polícia Nacional do Paraguai informou que o grupo havia fugido com US$ 40 milhões (o equivalente a mais de R$ 120 milhões). Mais tarde, a própria polícia informou que os valores ainda estão sendo contabilizados.

A sede da empresa fica a 4 quilômetros da Ponte Internacional da Amizade, no oeste do Paraná.

Confronto

Policiais federais trocaram tiros no começo da tarde desta segunda-feira (24) com suspeitos do assalto por volta do meio-dia, na área rural de Itaipulândia, às margens do Lago de Itaipu, no oeste do Paraná.

De acordo com a Polícia Federal, uma equipe que estava de patrulha pela região se deparou com um grupo de cerca de 12 suspeitos que atirou e fugiu. Policiais militares e civis da região foram acionados para reforçar a segurança no local. Helicópteros também estão sendo usados na ação.

 (Foto: Editoria de Arte/G1)
(Foto: Editoria de Arte/G1)

Por volta das 14h, houve outra troca de tiros, desta vez em São Miguel do Iguaçu. De acordo com o delegado Francisco Sampaio, os suspeitos abandonaram um veículo roubado havia pouco na região, munição de fuzil e explosivos.

Nota da Presidência

"O Presidente Michel Temer determinou hoje ao ministro da Justiça, Osmar Serraglio, que coloque a Polícia Federal à disposição das autoridades paraguaias para colaborar com as investigações dos fatos ocorridos em Ciudad del Este, na madrugada desta segunda-feira (24).

O governo federal acompanha os desdobramentos das ações policiais já em curso em território nacional e apoiará, com todos os recursos necessários, as investigações conduzidas atualmente pelas autoridades paraguaias.

O governo brasileiro se solidariza com as vítimas dessa ação criminosa e, em especial, com os familiares do policial paraguaio morto.

Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República"

O assalto a uma transportadora de valores em Ciudad del Este, no Paraguai, já é considerado o maior do país (Foto: Francisco Espinola/Reuters)
O assalto a uma transportadora de valores em Ciudad del Este, no Paraguai, já é considerado o maior do país (Foto: Francisco Espinola/Reuters)



Ultimas Notícias

Loading...